24/03/2010

Gatos Místicos

Antigo Egito

Arqueólogos encontraram ossaturas de gatos em Jericó num lugar ocupado por humanos no período Neolítico, com mais de 9000 anos. Os ancestrais do gato doméstico foram atraídos, em primeiro lugar, pelo odor dos
alimentos e pelo calor do fogo aceso à noite, pelos humanos, que apreciavam a companhia destes pequenos e travessos animais que se aproximavam e brincavam com as chamas das fogueiras. Isto se passava no Antigo Egito, onde o gato selvagem africano (felis lybica) foi
domesticado ao menos a partir de 2000 anos antes de Cristo. Estes gatos são representados com detalhes em numerosas pinturas egípcias e possuíam pelagem avermelhada, marrom ou tigrada, com longas orelhas e silhueta alongada e fina como os siameses atuais. Transformaram-se em animais sagrados a partir de 1567 a.C., quando os antigos egípcios passaram a ver neles a encarnação da deusa Bastet.
Esta deusa solar reinava sobre a
fertilidade, a cura e os prazeres da vida: a tranqüilidade, a música, a dança, a solidariedade e o amor sensual. Quando alguém quisesse algum
favor da deusa Bastet, levavam os melhores peixes e ofereciam aos seus representantes terrestres, os gatos. Por ocasião da morte de um gato, seu corpinho era mumificado e depois enterrado em túmulos próprios. Foram encontradas, em escavações arqueológicas, milhares destas pequenas múmias.
Segundo alguns estudiosos, todos os gatos domésticos (Felis
lybica domestica), tanto os de pedigree quanto os vira-latas descendem deste ramo egípcio. Os gatos de rua são gatos domésticos abandonados. Eles se instalam instintivamente perto de residências humanas, a procura de calor e alimento.


China

Do Egito, os gatos domésticos expandiram-se através de outras culturas. Na China, o gato foi considerado como animal de companhia a partir da dinastia Han, 1000 a.C. E, 500 anos antes de Cristo, os gatos chineses tornaram-se populares em todos os reinos da época. Hoje, na China, acredita-se que quanto mais velho o gato, mais ele traz fortuna e felicidade.


O Culto Celta

Na cultura celta, a deusa Cerridwen tem um elo de ligação com o culto ao gato relativo à fecundidade através de seu filho Taliesin, que em uma de suas encarnações foi descrito como um gato com a cabeça sarapintada.


Europa

Na Europa, durante a Idade Média, os gatos caíram em desgraça assim que a Igreja acusou de feitiçaria os praticantes de ritos pagãos. E, por causa dos olhos iluminados no escuro, os gatos foram tratados como filhos do demônio. Durante os processos de bruxaria estabelecidos pela "Santa" Inquisição, centenas de milhares de gatos foram jogados dos altos dos campanários e também queimados junto com seuscompanheiros humanos, nas fogueiras. Isto causou uma quase extinção de sua presença em território europeu até meados do séc. XVI, a um ponto tão extremo que ele constava de inventários de conteúdos das casas, junto com os móveis!...Mas, voltando à Idade Média, acredita-se que a
Peste Negra, trazida por ratos que se multiplicavam por toda a Europa neste período, tenha sido catastrófica justamente pela matança hedionda dos gatos praticada pela igreja católica. A primeira exposição pública de gatos de diversas raças, importadas principalmente do Oriente, aconteceu em Londres, em 1871, quando nasceu o National Cat Club of Britain, a primeira associação mundial de criadores de felinos.A criação de gatos hoje é cada vez mais importante apesar do número imenso de bichanos abandonados, sobretudo nas 3 Américas. E, a popularidade dos gatos contribuiu para a formação de uma forte indústria oferecendo produtos e serviços para nossos bichinhos e seus criadores. Esta indústria é tão importante que só na América do Norte ela movimenta bilhões de dólares anualmente.

Virgens Negras


Há, em algumas partes da Europa, África América do Norte, Central e do Sul, uma devoção incomum a certas imagens de cor escura, encontradas não apenas em basílicas, igrejas e pequenos santuários, mas também em grutas, nas encostas das montanhas ou na forquilha de árvores no meio de florestas. De onde se originam essas imagens, calculadas em cerca de 450? Por que são negras ou escuras e tão veneradas?

A Igreja católica tem sua resposta para a questão da cor: "As imagens", diz o clero, "eram claras, mas com o passar do tempo escureceram, em virtude da fumaça das velas dos seus devotos, por causa da poluição e até pelo fato de que muitas estiveram expostas às intempéries, mergulhadas na água ou enterradas'. Essa explicacão, contudo, não retrata toda a verdade, porque hoje se sabe que as imagens espalhadas pelo mundo sempre foram negras e as que se encontram na África seriam, por força das circunstâncias, escuras. Este fato é confirmado por documentos antigos datados de 1340, 1591, 1619, 1676 e 1778. Até mesmo um santo católico, São Luiz, fala das estatuetas escuras que conseguiu no Oriente e deixou em Forenz (França), num relatório escrito em 1235.

Rainha de Sabá

Outro santo católico, São Bernardo de Clairvaux (1090 1153) não
só possuía sua própria Virgem Negra (que ele venerava), mas, segundo a lenda, a imagem entronizada em Chatillon (Franca) lhe teria dado três gotas do leite de seu seio. Este alimento foi tão poderoso que Bernardo transformou a pequena e moribunda Ordem de Cireaux numa poderosa multinacional, com centenas de abadias e mosteiros espalhados por diversos países ela Europa, todos dedicados a Nossa Seirhora.

Bernardo foi o autor de diversos poemas e numerosos sermões. Num de seus versos, sobre Salomào e sua amada a rainha de Sabá, observa se a sua admiraçào pela cor negra: "Ó, filhos de jerusalém, sou negra, mas sou bela."

Deusa Babilônica Astarte

É interessante saber que, para incentivar a segunda cruzada, São Bernardo pregou na catedral de Metz (França), outrora um centro druida onde, até o século 16, havia uma estátua de Ísis, a deusa negra egípcia.

O povo sempre mostrou uma devoção incomum por essas imagens escuras, e isto é compreensível porque, segundo as lendas, elas não só curam, mas praticam milagres prodigiosos. Um deles é o poder que têm de ficar excessivamente pesadas quando não querem sair do lugar onde foram descobertas ou no qual se encontram no momento. E, quando mostram sua predileção por um determinado local, elas o defendem dos que perturbam a sua paz. Conta se que, em 1580, durante uma guerra, a Virgem Negra de Hal, entronizada na Igreja de St. Martin, em Bruxelas (Bélgica), interceptou os grandes petardos de ferro lançados pelos canhões inimigos, colocando os em seu colo. Esses petardos ainda podem ser vistos naquela igreja.

Outra Virgem Negra também serviu como defensora da cidade onde se encontrava. É Nossa Senhora de Vilvoorde, que há séculos se encontra num convento de carmelitas em Vilvoorde (Bélgica). Durante o sítio a que foi submetida aquela cidade, ela apareceu nas muralhas, de onde não pôde ser retirada em virtude de seu grande peso. De lá impediu a invasão das tropas inimigas e, em seguida, mudou de lugar para apagar o fogo que consumia a igreja e o convento. Essa imagem foi um presente da duquesa de Brabant ao convento, em 1247.

Deusa Negra Egípicia - Ísis

Muitos milagres são comprovados pelos ex votos que ficam guardados nas igrejas ou santuários onde as imagens estão entronizadas. A Nossa Senhora de Vie, em Avioth (França), perto da fronteira belga, ressuscitava bebês mortos para que pudessem ser batizados e, assim, saíssem do limbo onde se encontravam. Debaixo do seu templo há uma fonte cujas águas tornam as mulheres férteis.

Mas as Virgens Negras, além de serem guerreiras, piedosas, curarem os doentes e ressuscitarem os mortos podem ser vingativas com os que profanam suas imagens. Conta se que a de Evaux les Bains (França) teve sua cabeça decepada e
o corpo lançado num poço por quatro incrédulos. Os profanadores foram duramente punidos: o que arrancou a cabeça da imagem cortou seu próprio pescoço; o segundo morreu ao cair de um penhasco; o terceiro, que se gabava de ter quebrado o queixo da estátua, teve sua língua decepada. O último morreu quando um raio o atingiu.

Virgem Negra

Estes e muitos outros milagres explicam a devoção do povo pelas Virgens Negras. Mas, pergunta se de onde surgiram e por que são negras? Dizem os antropólogos que estas Virgens estão diretamente ligadas às antigas deusas pagãs: Ísis, Cibele, Ártemis, Perséfone, Débora, Diana, Inanna, Neith e outras. As formas como algumas delas, ainda hoje, são homenageadas comprova isso, pois não diferem muito daquelas usadas pelos povos antigos. Por exemplo, a Virgem Negra de Marselha (França) é reverenciada com procissões iluminadas com lanternas. A deusa Neith, de quem ela se originou, era uma virgem andrógina que não nasceu, produziu a própria vida, e seu culto obedecia ao mesmo processo: procissões com lanternas acesas.

Deusa Grega Perséfone

Mas existem certas questões que não foram esclarecidas nem pelos religiosos nem pelos cientistas. Uma delas é por que a cor e as feições das imagens não obedecem a padrões coerentes. Por exemplo: a estátua de La Dourade, em Toulouse (Franca), é negra e venerada pelos cristãos como sendo uma Virgem Negra. Contudo, segundo os pesquisadores, essa mesma estátua anteriormente representava Palas Atena, uma deusa pagã branca. Mas ela também teria representado Anat, a irmã do terrível deus Baal, e, portanto, possivelmente seria de cor escura.

Essas mudanças de cor, porém, não ocorrem de forma consistente. Outras estátuas, hoje reverenciadas pelos cristãos e que antes representavam deusas pagãs, continuam com a sua cor inalterada. Isso aconteceu com a mais antiga imagem que se conhece: a das catacumbas de Pricila, em Roma. A estátua, que é escura, representava a deusa egípcia ísis; hoje ela é uma Virgem Negra crista. Como esses casos não são incornuns, conclui se que a questão da cor ainda não está esclarecida.

Na parte central da Franca, constata se ainda outro particular: algumas imagens escuras encontradas em forquilhas de árvores são tipicarnente celtas ou teutónicas. A Nossa Senhora da Boa Esperança, de Dijon que tem grandes seios caídos e uma barriga avantajada, mais se parece com uma bondosa feiticeira do que com uma casta virgem cristã. Esta imagem é famosa porque salvou Dijon dos suíços, em 1513, e dos alemães durante a Segunda Guerra Mundial (1944). Infelizmente, o padre local não permite que a figura seja reproduzida em cartões postais.
Que essas imagens também estiveram envolvidas em cultos desaprovados pela Igreja católica é algo evidente. A Virgem Negra de Onval (Luxemburgo) estava coroada com uma estrela de cinco pontas, e como uma destas pontas estava virada para baixo, dirigida para a cabeca da imagem, os iniciados sabiam que este sinal indicava que lá se praticava a magia negra e o ocultismo. A estrela foi agora desvirada.

Inanna

E quanto a Inanna (ou Iniuni), uma divindade pagã do culto da fertilidade que se transformou numa Virgem Negra? Antigamente Inanna era considerada a deusa universal dos céus, da fertilidade, da guerra, justica, amor sexual, curas, etc., e seu trono era a Árvore do Mundo. Mas quando Gilgamesh cortou a Árvore e o Deus do Céu (Entil) a despejou de sua moradia, Inanna tornou se uma viajante que lamentava a perda do lar. A sua canção tem uma estranha semelhança com o que consta no Evangelho de Mateus, capítulo 8, versículo 20: "As raposas tem tocas, e as aves do céu seus ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça." O lamento da deusa pagã diz o seguinte: "O pássaro tem seu ninho ( . . .), o peixe deita se em águas calmas, o cão ajoelha se na porta, mas eu não tenho porta . . ."

Outros detalhes relativos a Inanna também se mostram semelhantes às narrações contidas nos Evangelhos. Ela desceu ao inferno, onde foi despida, humilhada, chicoteada e dependurada numa cavilha. No terceiro dia foi salva e voltou ao mundo da luz. Em Marcos 10:34, lê se: "E o escarnecerão, e acoitarão, e cuspirão nele, e o matarão, e no terceiro dia ressuscitará."

Virgem Negra

Em vista desses fatos e existem muitos outros parece que os antropólogos não erram quando dizem que as Virgens Negras que hoje fazem parte do culto cristão foram. de inicio, deusas pagãs.

Mas, além da ligação das imagens com o paganismo, existem elos não religiosos associando as Virgens, à dinastia dos merovingios e a Maria Madalena. Observou se que onde há urna Virgem Negra geralmente se encontra um santuário ou uma igreja onde Maria Madalena é venerada.


Existe uma relação entre Maria Madalena e as Virgens Negras

A explicação para este fato é oferecida por Ean Begg, em seu livro “The Cull of the Black Virgin”, e também pelo pregador dominicano Jean-Baliste Hetu i Licordaire (1802
1861). Segundo essas fontes, Maria Madalena fazia parte da dinastia dos merovíngios, fato proclamado até pelo rei Luiz XI (1423 1483). Outro dado a ser considerado é que as Virgens Negras estão associadas e são veneradas pelos membros de uma sociedade secreta que existe desde o século 12: La Ordre de Prieuré Notre Dame de Sion, uma organização político religiosa secreta, interessada em assuntos esotéricos e ocultos e, em especial, no restabelecimento no trono da Franca de um membro da linha dos merovingeos, considerada a "primeira raca" . daquele país. Os lugares onde Maria Madalena e as Virgens Negras eram veneradas seriam os locais de encontro dos membros da Prieuré.

Os cátaros e os templários também estariam envolvidos com o culto da Virgem Negra. Sabe se que Igreja católica considerava os cátaros hereges e promoveu uma Inquisição no século 12 que praticamente os aniquilou. Contudo, um pequeno grupo conseguiu escapar do morticínio e asilou se numa área perto dos Pirineus. Outro grupo de famílias cátaras se ocultou na zona entre Arques e Lirnoux (França), e é naquelas áreas que se encontram duas imporiantes Virgens Negras: a Nossa Senhora da Paz e a Nossa Senhora de Merceille.

Virgem Negra - Notre Dame - Dijon

A mais ou menos 2km de Arques há um templo também dedicado ao culto de Maria Madalena, comprovando o que se disse anteriormente: os locais onde se estabeleciam templos dedicados às Virgens Negras e os altares à santa não ficavam muito distantes uns elos outros.

Um templo perto de Rennes le-Chatéau, onde Maria Madalena é venerada e onde deve ter se praticado a magia, surpreende até os seus devotos. Na entrada há um demônio com chifres e asas, corpo rubro e roupa verde. É Asmodeus, o filho de Lilith, o qual interferia no relacionamento sexual dos recém casados e roubou o Anel da Sabedoria de Salomão. No interior de outro templo em Stenay (França) vé se uma imagem de Jesus ajoelhado cujas feições são idênticas às de Asmodeus. Num arranjo singular, pode se ver a Virgem carregando uma criança nos braços enquanto, do lado oposto, José carrega outra.

Lilith

Observou se, ultimamente, que as Virgens Negras e Maria Madalena estão se tornando cada vez mais populares esta devoção coincide com a necessidade do homem moderno de reconciliar o sexo com a religião. Isso é compreensível porque, como ninguém ignora, a Virgem Maria inspira o celibato, a castidade e a virgindade, enquanto a Virgem Negra sempre estendeu a mão para ajudar na reprodução, auxiliando as mães na hora do parto, fazendo o leite jorrar e devolvendo a vida aos bebês mortos sem batismo.

E, quanto a Maria Madalena, o calendário da Igreja católica conta com um certo número de meretrizes que se tornaram santas. Maria, a Egípcia, prostituiu-se durante dezessete anos para conseguir o preço de uma passagem para Jerusalém, onde desejava venerar, a verdadeira cruz. Ela voltou depois a morar no deserto, coberta unicamente com seus longos cabelos. Lá, queimada pelo Sol, tornou-se cada vez mais escura e, depois de 47 anos de solidão, já com os cabelos brancos, encontrou-se com Zózimo, a quem pediu que voltasse no ano seguinte para enterrá-la. Isso Zózimo fez, com a ajuda de um leão. Segundo E. Saillens, autor de Nos Vierges Noir, a Virgem Negra de Orleans, França, seria Santa Maria, a Egipcia.

As meretrizes-santas

Existem outras meretrizes-santas em santuários dedicados às Virgens Negras, geralmente acompanhadas de Santa Catarina de Alexandria, que, cortejada pelo imperador Maximiliano, recusou-o e foi por eIe torturada e morta.

Não nos devemos esquecer que, além de ter muitas qualidades confortadoras ao homem moderno, a Virgem Negra é também defensora dos direitos humanos e das nações - na Polónia, a Madona Negra de Czestochowa é soberana.

Madona Negra de Czestochowa

Contudo, apesar da crescente devoção dos leigos, existe uma certa repulsa do clero católico pelas Virgens Negras. Este fato foi constado quando, em 1952, dois estudiosos desta área apresentaram um ensaio sobre o assunto à Sociedade Americana para o Progresso da Ciência. Todos os padres e freiras presentes na ocasião, abandonaram o recinto.

E, na Europa, o curador de um santuário em Les Barroux (França) proibe a entrada de curiosos e se recusa a dar informações sobre o local exato onde a imagem da VírgemNegra se encontra. Este e outros fatos semelhantes estão gerando um sentimento de proteção por parte dos devotos leigos, que também começaram a esconder as imagens. Assim, a não ser que estejam expostas em grandes basílicas, elas estão fadadas a, pouco a pouco, desaparecer dos olhos do povo - mas, pelo que parece, não do coração de seus devotos ...

Revista Planeta

Práticas BRUXAS na Igreja Católica

Ao longo de toda sua existência, a Igreja Católica veio assimilando cultos e práticas pagãos, alguns dos quais adquiriram papel fundamental no exercício da religião cristã. Pela observação sistemática de alguns destes cultos e práticas, comparando o significado que têm para os bruxos com o significado que têm para os cristãos, podemos compreender que, embora sigam caminhos diferentes, bruxos e cristãos, em essência, são muito mais parecidos do que ambos admitem.

A Metade Escura da Roda do Ano nas Comemorações Cristãs

Sabates são as principais celebrações comuns às mais diversas tradições bruxas, que se identificam a antigas celebrações pagãs. Os pequenos sabates ocorrem nos equinócios e solstícios e os grandes sabates têm datas fixas entre cada equinócio e solstício.

Os sabates, sejam grandes ou pequenos, representam as fases pelas quais a natureza passa, sendo confundido pelos profanos com as estações do ano, apesar de estas serem apenas quatro e os sabates serem oito. Relacionam-se ao eterno girar da Roda do Ano, sucessão dosp rocessos de nascimento, concepção, frutificação e morte/hibernação da natureza.

O ano bruxo se inicia no frio e escuro meio do outono (1º de maio no hemisfério sul e 31 de outubro no hemisfério norte). Nesta data se celebra o Tempo dos Idos, conhecido pela tradição celta como Samhain. Na verdade, no dia deste sabate se considera que o ano acaba, mas por três dias o outro ainda não começa. E como se passa a estar fora do ano que se foi e o outro ainda não começou, trata-se de um período fora do tempo, onde vivos e mortos, bem como seres desprovidos de corpo físico, podem se encontrar.

Enquanto os bruxos celebram Samhain, com as crianças e os não iniciados esculpindo lanternas em abóboras para afugentar os espíritos que vagam livremente entre os vivos nesta época (noite do dia 31 de outubro a 2 de novembro), os cristãos estão celebrando o Dia de Todos os Santos (alterado de 13 de maio para 1º de novembro pelo Papa Gregório II, no século VIII) e o dia de finados (2 de novembro, conforme estabelecido pela Igreja em fins do século X). Tanto bruxos quanto cristãos dedicam este período a entrar em contato com entidades não encarnadas e lhes render homenagens.

O sabate seguinte é a festa do inverno, Yule, pela tradição celta. Este é comemorado no solstício de inverno, menor dia do ano, mas, justamente por isso, é o momento de renascimento do Sol, ou seja, a partir da celebração de Yule os dias começarão a crescer.

Sempre lembrando que nos referimos às datas de sabates no hemisfério norte, pois as datas das comemorações cristãs foram estabelecidas acima da linha do equador, os cristãos celebrarão, nesta época, o natal.

No natal os cristãos celebram o nascimento de Jesus. Ainda criança, ele é a promessa de dias de glória. Enquanto isso, os bruxos, na festa do inverno, celebram o nascimento do Sol, como promessa de que o inverno que se inicia, tempo de dificuldades, será substituído pela primavera à medida que o Sol se tornar mais forte. Desta forma, tanto em um quanto em outro credo, se celebra o nascimento do Deus e a gradual substituição das trevas pela luz.

Os festejos de 2 de fevereiro têm o mesmo nome na Igreja e na BRUXARIA Ibérica. Trata-se da festa de Candelárias, quando os católicos comemoram a apresentação de Jesus no Templo e os bruxos celebram a força da vida, a luz que já brilha no escuro, mas ainda não o ilumina, a vida que começa a forçar caminho sob a neve e que só é percebida por quem, a partir de sua sabedoria, vê além. Na passagem bíblica que remete à apresentação de Jesus no templo, o idoso Simeão pega Jesus no colo e diz:
"Agora Senhor, deixa teu servo ir em paz, segundo a
tua palavra, porque meus olhos viram a salvação
que preparaste ante a face de todos os povos,
luz que brilhará sobre todas as nações,
glória do teu povo, Israel".
(Lc 2, 29-33)

A semelhança de significado é inescapável: Jesus é pequeno demais para afastar o frio e a escuridão, mas naquele momento ele já se faz perceber como a luz do mundo.

Ambos, cristãos e bruxos, celebram Candelárias (Imbolg, na tradição celta) acendendo e portando VELAS , antiga prática pagã aconselhada por São Cirilo de Alexandria: "celebremos o mistério deste dia com lâmpadas flamejantes", inspirado no próprio Testamento ("Vamos, irmãos! Vede o círio que hoje arde entre as mãos de Simeão! Vinde buscar nele a luz, vinde acender nele as vossas VELAS , quero dizer, as lâmpadas que o Senhor quer ver entre as vossas mãos" - Lc 12, 35).

O espírito dominante, em ambas as crenças, é o de crer na ou perceber a luz no fim do túnel, de renovar as esperanças em meio a tempos de dificuldade.

Os sinais que em Candelárias eram vistos apenas pelos sábios, se tornam visíveis a todos com o equinócio de primavera. A partir de então, os dias serão maiores que as noites, o que se tornará perceptível mais adiante, no próximo sabate. As neves se derretem, a alegria inocente paira no AR, propiciando o AMOR . Mais uma vez os nomes dos ritos pagãos e cristãos se confundem, os primeiros celebram Ostara (originalmente celebração à Deusa grega Ostera / germânica Esther), enquanto a Igreja celebra a Páscoa (Easter em inglês, Oster em alemão).

Se restar dúvida acerca da identidade de significado entre a Páscoa e Ostara, pelo fato do Concílio de Nicéia ter estabelecido que a Páscoa deixaria de festejar a fuga dos judeus do EGITO e passaria a comemorar a ressurreição de Jesus, os símbolos, idênticos em ambas as celebrações, deixam claro que na prática trata-se da evocação dos mesmos sentimentos de ressurgimento da vida após o fim do inverno. O ovo, símbolo da origem da vida, é aliado à lebre (coelho de páscoa, para os cristãos), símbolo da fertilidade. Curioso ainda notar que, mesmo após a destruição das culturas pré-colombianas, das quais restaram poucos traços, em tempos mais recentes foi reunido às comemorações de páscoa o uso do chocolate, alimento de origem olmeca, de uso ritualístico relacionado à fertilidade, e preparado com as sementes do cacaueiro (cacahuaquchtl, em maia), considerados presentes dos DEUSES ao homem, e que, independente das crenças maias, apenas por serem sementes, já trazem o mesmo significado do ovo.

Ostara é o último sabate da Metade Escura da Roda do Ano. Até aqui, contamos quatro sabates perfeitamente equivalentes, em espírito e significado, a comemorações cristãs.

Tempo dos Idos/Samhain - Todos os Santos e Finados
Festa do Inverno/Yule - Natal
Candelárias/Imbolg - Candelárias
Festa da Primavera/Ostara - Páscoa

Encerra-se o tempo do frio e escuridão e no sabate seguinte, Beltane, se inicia a Metade Clara da Roda do Ano, o tempo das luzes e do calor. No próximo segmento, abordaremos os quatro sabates pertencentes à Metade Clara.

FONTE: Coluna publicada porTaliesin

gltaliesin@terra.com.br
http://www.osbennu.ecn.br
http://www.oldreligion.com.br/novo/colunistas/colunas/index.asp?Qs_...

A LUA DE CADA MÊS E O RITO DE ADORAÇÃO E INVOCAÇÃO A MÃE LUA.

A Lua do Lobo (Janeiro)

A Lua dos Antepassados - O contato com os antepassados é parte essencial na vida de um bruxo. Amorosos e sempre prontos a nos ajudar, nossos ancestrais mortos se dispõe a atender a nossos pedidos e nos dão força nos momentos difíceis. O primeiro passo para você assegurar a comunicação com seus antepassados que habitam outros planos é lembra-se deles - mesmo daqueles que nunca conheceu. Assim, dedique o mês de janeiro às recordações. Pense nas crianças que morreram antes de se tornar adultas ou menos antes de nascer. Folheie antigos álbuns de família, olhe os retratos dos parentes que já fizeram a viagem para os planos espirituais. Relembre também os amigos que se perderam nessa caminhada.

Para homenagear esses mortos queridos, coloque lugares extras à mesa, como se eles fossem seus convidados. Prepare e coma deliciosos doces e chocolates em memória das crianças e faça alguns dos pratos favoritos dessas pessoas falecidas. E nunca pense nos seus mortos com tristeza, pois se eles perceberem que você está triste também ficarão infelizes. Numa noite de Lua Cheia desse mês, encha uma vasilha de vidro com água e jogue uma pequena pedra dentro dela. Observe atentamente a água e concentre-se. Depois de algum tempo de meditação, você receberá uma mensagem, que poderá vir na forma de um pensamento ou mesmo pelo som de uma voz distante . Não tenha medo: é um antepassado se comunicando com você.

1° de Janeiro - Celebração das Sete Divindades da Sorte na Japão e da Deusa Fortuna em Roma
2 de janeiro - Nascimento da Deusa Inanna na Antiga Suméria

5-6 de janeiro - Ritual Noturno em honra de Kore; celebrado no Koreion, Alexandria. O quinto dia do primeiro mês marcava o nascimento do deus chinês da riquesa, Tsai Shen ou T`sai-Shen

6 de janeiro - Dia Celta da Deusa Tríplice: Donzela, Mãe, Anciã.

10 de Janeiro - Dia de Freya, a Deusa Mãe Nórtica.

12 de janeiro - Besant Pachami, ou Dawat Puja, o Festival de Sarasvati na Índia; ou na Lua Crescente mais próxima. Em Roma, a Compitália, para celebrar os lares, ou deuses dos lares.
18 de janeiro - Teogamia de Hera, festival feminino celebrado todos os aspectos da Deusa

20 de janeiro - Na Bulgária, Baba De, ou Dia da Avó, em honra da deusa Baba Den, ou Bada Yaga, Na China, dia do Deus da Cozinha.

24 de janeiro - Na Hungria, a Bênção da Vela das Mulheres Alegres, cerimônia de purificação honrando a deusa do fogo

27 de janeiro - Paganalia, dia da Mãe Terra em Roma A Lua Cheia de Janeiro honrava Ch'ang-O, a deusa chinesa dos quartos de dormir e protetora das crianças.O Ano na China começa no primeiro dia de Lua Crescente com o Sol em Aquário. Isto ocorre no período que vai de 21 de Janeiro a no máximo 19 de fevereiro.



Lua de Gelo (Fevereiro)

A Lua da Busca do Conhecimento - Em sua grande maioria, os bruxos do passado foram pessoas do povo, que não tiveram acesso a uma educação formal, mas contaram com os benefícios de uma sabedoria ancestral e uma intuição aguçadíssima. Hoje, que podemos nos aventurar pelas sendas dos conhecimentos antes reservados aos homens ou à elite, temos o dever de aproveitar essa oportunidade para aprimorar nossa cultura. Em fevereiro, a Lua da Busca do Conhecimento favorece o estudo. É o momento de você ler e adquirir novas informações, ampliando seus horizontes. É assim que você vai cumprir um dever para com seus antepassados bruxos, que sofreram por não poderem penetrar num mundo praticamente exclusivo dos homens ou da elite da época.
Em todas as noites de fevereiro, prepare um chá com folhas frescas de Artemísia (de preferência, plantadas e colhidas por você mesmo), erva que estimula o intelecto e favorece o aprendizado. Enquanto saboreia o chá, dedique-se à leitura ou ao estudo. Dê preferência às obras de filosofia, aos poemas e aos clássicos da literatura. Mesmo que, no começo, o desafio pareça grande demais, insista. Invoque a poderosa deusa Atena, senhora do conhecimento, para que ela ajude você nesse aprendizado. Aos poucos, sua mente se tornará mais ágil e você começará a aprender com muito mais facilidade. Se você necessita de um estudo mais específico, orientado para um objetivo determinado - algo ligado ao seu trabalho, por exemplo , aproveite o mês de fevereiro para colocar esse projeto em prática e mergulhar nos livros.

1-3 de fevereiro - Os Mistérios Elusianos Menores na Grécia Antiga; uma celebração da Filha que Retorna: Deméter e Perséfone, Ceres e Prosérpina.

7 de fevereiro - Dia de Selene e outras deusas da Lua.

9 de fevereiro - A Procissão de Chingay, o Ano Novo de Singapura, o qual é uma celebração a Kuan Yin e a promessa de primavera vindoura.

12 de fevereiro - Festival de Diana, Divina Caçadora (a grega Ártemis) em Roma
13-18 de fevereiro - Em Roma, a Parentália e a Ferália, um festival de purificação em honra às Deusas Mania e Vesta; devotas aos ancestrais, à paz e ao amor.

14-15 de fevereiro - Em Roma, a Lupercia, quando as mulheres pediam a Juno-Lúpia por filhos. Também honravam o deus Fauno, um aspecto de Pã.

14-21 de fevereiro - Festival do Amor de Afrodite, em Roma.

17 de fevereiro - Fornacália, ou festa dos Fornos, em Roma

20 de fevereiro - em Roma, o dia de Tácita (a deusa silenciosa), que protege contra calúnias.
21 de fevereiro - Festival das Lanternas na China e em Taiwan. Também é uma celebração a Kuan Yin; Lua Cheia.

22 de fevereiro - em Roma, a Carista, um dia de paz e harmonias em família



Lua de Tempestade (Março)

A Lua do Olho Interior - O dom de enxergar além das aparências é inerente a todos os bruxos. Em março, na Lua do Olho Interior, você poderá trabalhar sua capacidade de enxergar as verdades que estão ocultas. Para que essa sensibilidade se manifeste, porém , você precisará aperfeiçoar sua relação com o mundo. Diariamente, exercite esse dom de "observar" o universo:

1. Ao acordar, dirija-se à janela e olhe o dia. Perceba como está o tempo. Chove? Faz Sol? Olhe bem para o céu.

2. Ao tomar o café da manhã, "sinta" o sabor dos alimentos. Comente com os outros o que você está sentindo.
3. Ao sair de casa, observe atentamente o caminho, parando sempre que alguma coisa chamar sua atenção.
4. Cumprimente gentilmente todas as pessoas que passarem por você, mesmo aquelas a quem não conhece.
5. Ao encontrar um amigo, converse com ele e diga o quanto está feliz por vê-lo.

6. Dê atenção a todos animal que encontrar.

7. Ao entardecer, suspenda suas atividades e observe o dia que termina. Perceba as cores, os sons, os cheiros, os movimentos da natureza.

8. Ao jantar, converse com os outros sobre os acontecimentos do dia e agradeça pelo alimento que agora você come.

9. Antes de dormir, "converse" com a noite e diga-lhe que você deseja ampliar sua visão interior.


1° de março - Matronália em Roma e na Grécia; um festival de Hera e Juno Lucina. Entre os Celtas, o Festival de Rhinnon

4 de março - Na Grécia, Antestéria, o festival das flores; dedicado a Flora e Hécade.

5 de março - Celebração de Ísis como a protetora dos navegantes, barcos, pesca e da jornada final da vida.

14 de março - Diásia, para proteger-se da pobreza, na Grécia.

17 de março - Festival de Astarde em Canaã. Em Roma, a Liberália, o festival feminino da liberdade.

18 de março - Dia de Sheelah a Irlanda, em honra a Sheelah-na-Gig, a deusa de fertilidade.
19-23 de março - O panateneu Menor na Grécia, m honra a Atena.

20 março - No Egito, o festival da colheita de Primavera, honrando a Ísis.

21 de março - Equinócio de Primavera. Festival de Kore e Deméter na Grécia. Durante quatro dias,

após o equinócio, Minerva era homenageada em Roma.

22-27 de março - Hilária, festivais em honra a Cibele, na Grécia.

23 de março - Quinquátria, o nascimento de Atena/Minerva em Roma.

29 de março - Delfínia, ou Ártemis Soteira, festival de Ártemis na Grécia Expulsão dos maus demônios no Tibete.

30 de março - Festival de Eostre, a deusa germânicada Primavera, renascimento, fertilidade, e da Lua.
31 de março - Festival romano de Luna, a deusa da Lua.

Na Lua Cheia temos o festival do Barco Dragão na China.



Lua do Crescimento (Abril)



A Lua das Vozes do Mundo - Agora que você já começou a desenvolver a sua sensibilidade e o dom de enxergar além das aparências, chegou o momento de aprender a lidar com as informações recebidas por meio da intuição. É a hora de ouvir as "vozes do mundo". Esse processo pode ser um pouco doloroso, pois nem sempre ouvimos aquilo que nos agrada. Mas a verdadeira sabedoria está em lidar serenamente com as adversidades que se apresentam, com plena consciência de que elas vão ser superadas no momento certo.

Para entrar em sintonia com essa Lua, trabalhe sua tranqüilidade interior. Ao longo de todo mês consuma chás, verduras e temperos calmantes, à base de melissa, erva-cidreira, camomila, manjericão, alface ou folhas de maracujá. E abra seu coração para este momento, sem qualquer temor: aprendemos com as dificuldades, quando se manifestam coisas boas, sentimos uma deliciosa felicidade.
1° de abril - Festival de Kali na Índia, Fortuna Virilis de Vênus em Roma, Dia de Hathor no Egito.
4 de abril - A Megalésia de Cibele, ou Magna Mater, na Frígia e em Roma, celebrando a chegada de deusa seu templo romano. Festival de sete dias.

5 de abril - Festival da Boa Sorte em Roma; a deusa Fortuna.

8 de abril - Hana Matsuri, ou Festival das Flores, no Japão; honra aos ancestrais e decoração dos santuários. A Mounichia de Ártemis na Grécia; um dia para os bolos da Lua.

11 de abril - Na Armênia, dia de Anahit, deusa do amor e da Lua.

12-19 de abril - Cereália, ou retorno de Perséfone, em Roma, honrando a Ceres e a sua filha.

15 de abril - Festival de Bast no Egito

22 de abril - Festival de Ishtar na Babilônia.

28 de abril-3 de maio - O festival de três dias de Flora e Vênus, ou a Florália, em Roma; deusa de sexualidade e das flores de Primavera.

O quinto dia da Lua Crescente é o festival da Artemísia na China. Na China, a Lua Cheia é também conhecida como Lua Pestilenta; Chung K'uei, o grande caçador espiritual de demônios, é homenageado.



Lua da Lebre (Maio)

A Lua de Contar Histórias - O conhecimento dos bruxos é transmitido oralmente. Um bruxo passa para o outro aquilo que ele sabe, sem necessidade de "aulas" ou qualquer sistema formal de ensino. A arte de contar histórias é um dom que deve ser exercitado durante a Lua de maio.

Nessa época, escolha uma pessoa de quem você gosta para ensinar a ela tudo o que você sabe. Mesmo que ainda esteja dando seus primeiros passos na feitiçaria, você perceberá que tem muito conhecimentos valiosos. Não se trata de ensinar simpatias ou encantamentos. Vale passar as receitas dos pratos que você sabe preparar melhor, ensinar a fazer um bordado, dar uma explicação sobre matemática. Mas o mais importante, nessa Lua, é passar adiante as histórias de família. Sabe aquelas coisas que ouvimos sobre nossos ancestrais, os casos de avós e tios? Tudo isso tem um poder muito grande. Conte essas histórias para as crianças da sua família, para que elas também conheçam o passado que pertence a todos. Ler as histórias de bruxos antigos e contá-las aos outros é uma boa opção, pois a tradição diz que, enquanto os bruxos forem lembrados, eles serão imortais. Durante esse mês, peça para a Mãe Lua brindar você com o dom da palavra e da sabedoria. E não esqueça de ouvir as valiosas lições que as pessoas mais velhas têm para ensinar.

1° de maio - Dia bruxo da Sorveira para a deusa finlandesa Rauni.

4 de maio - Dia do Pilriteiro Sagrado na Irlanda; início do mês do Estrepeiro

5 de maio - Festa do Dragão na China

9 de maio - Festa de Ártemis na Grécia.

9,11 e 13 de maio - Lemúria em Roma, quando os espíritos errantes de familiares eram homenageados.

12 de maio - Festival de Shashti na Índia; Aranya Shashti é um deus da floresta semelhante a Pã.

15 de maio - Da de Maya, uma deusa da Lua Cheia, na Grécia.

16 de maio - Savitu-Vrata na Índia, em honra a Saravasti, Rainha do Paraíso.

19-28 de maio - Kallyntaria e Plynteria; um festival de limpeza e purificação da Primavera, em Roma e na Grécia.

23 de maio - Rosália em Roma, o festival das rosas de Flora e Vênus.

24 de maio - Nascimento de Ártemis/Diana, chamado de a Thargelia; normalmente na Lua Crescente. Uma antiga celebração grega nesse dia era a de honrar os Horae. É também a celebração das três Mães nas regiões celtas, as quais traziam prosperidade e boas colheitas

26 de maio - Dia de Chin-hua-fu-jen na China, uma deusa amazona semelhante a Diana.

26-31 de maio - Festival de Diana como deusa dos bosque silvestres em Roma

30-31 de maio - Festa da Rainha do Submundo em Roma.

Na Lua Cheia acontecia o Festival de Edfu para Hathor no Egito; na Lua Crescente sua imagem iniciava sua jornada por barcos até Edfu.



Lua dos Prados (Junho)

A Lua dos Labirintos - Chegou o momento de você lidar com tosas as suas facetas. Em vez de ficar cobrando de si mesmo "coerência" ou "lógica", aceite que você é um ser humano de múltiplos aspectos, alguns contraditórios. Dentro de você moram todas as deusas e os deuses. Procure harmonizar-se com a vaidosa Afrodite, a maternal Deméter e a ousada Ártemis. Experimente com o máximo de intensidade cada uma dessas qualidades que habitam seu ser.

Para se integrar com Afrodite, aguarde a fase cheia da Lua e prepare uma infusão com pétalas de rosa cor-de-rosa. Tome esse banho mágico ao anoitecer e mire-se nu no espelho. Admire cada curva do seu corpo e faça uma massagem, sentindo a suavidade da sua pele. Passe seu perfume favorito e vista-se com uma roupa bem bonita, acompanhada de adornos delicados. A maternal Deméter pode ser invocada por meio de fazeres domésticos. Prepare um bolo de chocolate bem gostoso e bonito, enquanto "conversa" com a deusa, que lhe trará harmonia familiar e paz doméstica. A ousadia de Ártemis pode se obtida por meio da integração com a natureza. Busque um contato maior com as plantas e os animais. Afinal, ela é a deusa da caça, e sabe que a natureza só dá aquilo que merecemos - se você respeitá-la, a deusa certamente saberá retribuir.

1-2 de junho - Em Roma, Dia de Carna, deusa da sobrevivência física, das portas e fechaduras. Syn, a deusa nórdica da inclusão e exclusão, é semelhante

2 de junho - O Shapatu, ou Sabbat, de Ishtar na Babilônia.

6 de junho - Bendídia de Bendis, deusa lunar da Trácia. Na Grécia, bolos eram deixados em encruzilhadas como oferenda a Ártemis.

14 de junho - Aniversário das Musas

16 de junho - Noite d Lágrima, Festa das Águas do Nilo, no Egito, celebrando a deusa Ísis e seus lamentos.
17 de junho - Em Roma, Ludi Piscatari, ou festival dos pescadores.

21 de junho - Solstício de Verão. Na Inglaterra, Dia de Cerridwen e seu caldeirão. Na Irlanda, dia dedicado à deusa fada Aine de Knockaine. Dia de Todas as Heras, ou mulheres Sábias. Dia do Homem Verde na Europa.

24 de junho - Dia das Lanternas em Sais, no Egito, uma celebração a Ísis e Neith.

25 de junho - Na Índia, Teej, um festival para mulheres e garotas em honra a Parvati.

27 de junho - Na Grécia, a Arretophorria, um festival de ninfas em honra à Donzela e às deusas Amazonas.

Fim de julho na Grécia: Panathenaea, em honra a Pallas Atena.



Lua do Feno (Julho)

A Lua das Sereias - A Lua de julho nos convida a despertar para a beleza e a sensualidade. Ouça o canto da sereia que a convida a penetrar nos mistérios de Afrodite, a deusa da arte, do amor e da manifestação da beleza em todas as suas formas. Para entrar em contato com a deusa, recolha na praia um punhado de conchas do mar e água de rosas. Consiga um espelho de tamanho regular, oval e com cabo. Lave-o co água de rosas e deixe-o secar naturalmente. Quando o espelho estiver seco, comece a colar as conchas em volta dele, até preencher todo o seu contorno. À noite, coloque-o para tomar o sereno da Lua e só o retire ao amanhecer. Sempre que quiser entrar em contato com a deusa, recite o seguinte encantamento: Carne, mármore, flor, Vênus, em ti eu creio. Essas palavras mágicas foram retiradas de um dos poemas do francês Arthur Rimbauld. Ao recitá-las, você estará brindando a deusa com aquilo de que ela mais gosta - beleza e arte.

4 de julho - Dia de Pax, deusa da Paz, e Concórdia, em Roma.

7-8 de julho - em Roma, o festival da mais velha entre as mulheres, Nonae Caprotinae, dedicado a Juno, a Grande Mãe.

10 de julho - Dia de Hel, ou Holde (deusa anglo-saxã e nórtica), e de Cerridwen (deusa celta)

14 de julho - O-Bon, ou festival das Lanternas no Japão; dedicado aos espíritos ancestrais.

15 de julho - Chung Yuan, ou festival dos Mortos (China)

17 de julho - Nascimento de Ísis, no Egito.

18 de julho - Nascimento de Néftis, no Egito

19 de julho - Ano Novo egípcio. Festival de Opet, ou o Casamento e Ísise Osíris no Egito. É também a celebração de Vênus e Adônis em Roma.

23 de julho - Em Roma, a Neptunália, em homenagem a Netuno, deus dos terremotos.

27 de julho - Procissão das Bruxas na Bélgica

Mês do Festival Hindu de Ganesha; conhecido como Ganesha Chaturthi, ou Chauti.



Lua do Milho (Agosto)



A Lua da Loba - A mulher que é bruxa ou o homem que é bruxo tem que saber lidar com o amadurecimento e com a velhice. Mesmo você que seja um adolescente, pensar na maturidade é um desafio importante, que precisa ser encarado na Lua da Loba, você vai aprender a reconhecer a força da maturidade. Procure passar mais tempo na companhia de pessoas que você admira. Pode ser na companhia de sua mãe, pai, uma amiga ou um amigo, uma professora, uma tia ou de seus avós. Não importa. Basta que seja uma pessoa forte, de personalidade marcante, mas ao mesmo tempo bondosa, e que tenha mais de 50 anos. Olhe bem para essa pessoa e reconheça nela as qualidades da Lua. A intuição, o amor, a inteligência que reluz nos olhos de todos os filhos da Deusa e do Deus. Pense em Diana, a senhora da caça que supera todos os obstáculos com firmeza. Banhar-se com uma infusão de alfazema e mil-folhas, ervas que trazem força, vai ajudá-lo a entrar em sintonia com a energia sutil da Lua da Loba.



1° de agosto - Festival do Pão Novo nas Regiões celtas. Entre os astecas, o festival de Xiuhtecuhtli, deus do calendário e do fogo espiritual.

1-3 de agosto - Festival das Dríades na Macedônia, um honra aos espíritos femininos da água e dos bosques.

6 de agosto - Festival de Thoth no Egito. Início do Mês dos Espíritos na China e em Singapura.

7 de agosto - No Egito, a Quebra do Nilo, dedicado a Hathor.

12 de agosto - Bênção egípcia dos barcos.

13 e 15 de agosto - Diana dos Bosques e Hécate, a Mãe Escura da Lua nos primórdios de Roma e da Grécia; Lua Cheia.

17 de agosto - Festa de Lua Cheia para Diana em Roma.

23 de agosto - Nemesea, o festival de Nêmesis (deusa do Destino) na Grécia. Em Roma, a Volcanália, festival para o deus Vulcano para proteção contra incêndios acidentais. Em Roma, a Vertumnália, em honra a Vertúmnus, deus das mudanças sasonais.

25 de agosto - Em Roma, Opseconsiva, festival da colheita em honra à deusa Ops.

26 de agosto - Dia de Festa de Ilmatar ou Luonnotar, uma deusa finlandesa.

29 de agosto - Nascimento de Hathor e Dia do Ano Novo egípcio.

30 de agosto - Festival romano de Ação de Graça, conhecido como Charisteria.

31 de agosto - Festival hindu de Anant Chaturdasi, purificação das mulheres, em honra à deusa Ananta.
A Lua Crescente marca o festival de Gauri na Índia.A Lua Crescente mais próxima do Equinócio de Outono marcava a Citua, ou Festa da Lua, entre os incas.A Lua Cheia marcava o Festival do Porco, o qual honrava a grega Deméter e a nórtica Freya.



Lua da Colheita (Setembro)

A Lua da Risada de Afrodite - A poderosa Afrodite vem nos cobrar quando fazemos mau uso do nosso corpo. Temperamental, ela afasta das pessoas que se prendem a relacionamentos insatisfatórios, baseados na hipocrisia e na falsidade, ou que se tornam escravos dos padrões convencionais de beleza e amor exigidos pela sociedade.

Para fazer as pazes com Afrodite, realize um feitiço de amor. No primeiro dia de Lua nova de setembro, despeje seu perfume favorito num caldeirão e coloque-o para ferver em fogo baixo. Quando o perfume estiver bem aquecido, apague o fogo e adicione 1/2 colher de chá de pólen de lírio, 1/2 colher de chá de canela em pó, 3 gotas de orvalho colhido de uma roseira, 1 gota de seu próprio sangue e 1 pêlo de um gato negro (não arranque do animal: pegue um pêlo que tenha caído naturalmente). Então recite o encantamento: Afrodite, senhora das seduções, aquela que ao homem dá o ardor, me traz o calor das paixões e faz de mim um templo de amor! Guarde tudo num vidro e deixe-o ao ar livre. Recolha o vidro na manhã seguinte, antes do nascer do Sol. Use essa poção quando você quiser seduzir alguém que mereça o seu amor. Se usar esse feitiço de maneira leviana, poderá cair no desagrado dos deuses.

8 de setembro - No Tibete, o Festival das Águas, honrando regato e duendes das águas.

10 de setembro - Twan Yuan Chieh, ou festival feminino da reunião, um festival lunar em honra a Ch'ang-O, na China.

13-14 de setembro - Cerimônia de Acender o Fogo no Egito, em honra a Néftis e aos espíritos dos mortos.
18 de setembro - O Chung-Chiu, ou festival chinês da Lua da Colheita, honrando a deusa lunar Ch'ang-O; aniversário da Lua. Normalmente na Lua Cheia.

19 de setembro - Em Alexandria, no Egito, um jejum de um dia em homenagem a Thoth, deus sabedoria e da magia.

21 de setembro - No Egito, Festa da Vida Divina, uma celebração em homenagem à tripla deusa como Donzela, Mãe e Anciã.

22 de setembro - Equinócio de Outono, Morte de Tiamat na Sumária.

23 de setembro - Festival de Nêmesis, deusa do Destino, na Grécia.

23 de setembro - 1° de outubro Festival sagrado Grego de Nove Dias da Grande Elusínia

27 de setembro - Choosuk, ou Festival da Lua, na Coréia do Sul e em Taiwan, o qual honra os espíritos dos mortos. Nascimento de Atena na Grécia.

30 de setembro - Festival de Têmis como governante de Delfos.

Lua Cheia: Festival de Ciuateotl, a deusa mulher serpente; astecas e toltecas. Lua Cheia: o Disirblot, ou Disablot, de Freya, marcava o início do inverno para os nórticos.



Lua de Sangue (Outubro)

A Lua da Cura - Curar-se não é apenas se livrar de uma doença. É também entrar em harmonia com seu corpo, com seus órgãos, com seu ritmo, e conservar seu organismo em equilíbrio.

O primeiro passo é o controle da respiração. Inspire e expire consciente dos seus movimentos, da entrada e saída de ar dos pulmões. Todas as noites, antes de dormir, procure visualizar seus órgãos internos. Imagine seu coração batendo, o estômago em movimentos suaves para realizar a digestão, o fígado filtrando o que é bom para seu organismo. Evite comer coisas que fazem mal, abstenha-se das bebidas alcoólicas e modere qualquer tendências a exageros. Com o tempo você vai perceber que é possível "ouvir "seu organismo, e dificilmente será vítima de uma doença inesperada. Comer uma folha fresca de sálvia todos os dias também vai ajudá-la a manter a saúde em ordem. E, para se prevenir contra contágios, faça um amuleto com um dente de alho, uma folha seca de sálvia, uma pedrinha de cânfora e nove cravos-da-índia. Carregue-o preso a roupa com um alfinete, para tê-lo sempre junto com o corpo.

7 de outubro - Ano Novo na Suméria, em honra a deusas como Ishtar e Astarte.
11-13 de outubro - A Thesmophoria, festival exclusivamente feminino em honra a Deméter e a Kore na Grécia.

12 de outubro - Fortuna Redux, uma celebração às jornadas Felizes, em Roma.

14 de outubro - Durga Puja, ou Dasain, no Nepal, Bangladesh e Índia, em honra à vitória de Grande Mãe Durga sobre o mal.

15 de outubro - Em Roma, purificação da cidade.

16 de outubro - Lakshmi Puja, ou Diwalii, o Festival das luzes, na Índia; Lakshmi.

18 de outubro - A Grande Feira dos Cornos na Inglaterra, homenageando o Deus Cornudo.

21 de outubro - Dia de Orsel ou Ursala, deusa lunar eslava.

22 de outubro - Dia dos Salgueiros, festival mesopotâmico de Belili ou Astarte.

25 de outubro - Na China, Festival de Han Lu, deusa da Lua e das Colheitas.

26 de outubro - Festival da Lua Cheia de Hathor no Egito.

Festival inca dos mortos, Ayamarca, nesse período.


Lua Azul (27 de Outubro a 1° de Novembro)*

A Lua dos Sonhos - Sonhar é receber mensagens. Sonhar é encontrar respostas. Sonhar é conversar com amigos de outros planos. Assim é o sonhar do bruxo: não um desligamento da realidade, mas uma entrada num plano superior. O verdadeiro bruxo aprende a controlar seus sonhos e a realizar viagens astrais, sendo capaz de visitar, em espírito, lugares distantes e desconhecidos.

Para despertar esse dom de sonhar, durma com um caroço de ameixa na mão esquerda. Assim, você ativará sua intuição e se tornará mais consciente do real significado dos seus sonhos. Procure, ainda, ao acordar, anotar o que você sonhou na noite anterior. Desse modo, você vai aprender a dar atenção aos seus sonhos e será capaz de interpretá-los corretamente. E a Lua dos Sonhos também ensina a não temer o contato com outras dimensões. É natural que você fique insegura e sinta-se impelido a fugir do desconhecido. Reaja e assuma a plenitude de seu poder!

28 de outubro - 2 de novembro Ísia, festival egípcio de seis dias de Ísis; celebra a busca e a recuperação de Osíris

29 de outubro - Festa dos Mortos dos iroqueses, em honra aos mortos.

30 de outubro - Angelitos no México, lembrança das almas das crianças mortas.

31 de outubro - Festival celta dos Mortos, Festa de Sekhmet e Bast no Egito. Festival outonal de Dasehra na Índia, celebrado a batalha de Rama e Kali contra o demônio Ravana.

1° de novembro - Reino da Anciã Cailleach, ou festival dos Mortos, nas regiões celtas. Dia das Banshees na Irlanda. Rito de Hel nos países da Escandinávia. Festa dos Mortos no México. O quinto dia da Ísis, o encontro de Osíris, no Egito.



Lua de Neve (Novembro)

3 de novembro - Último dia da Ísias no Egito; renascimento de Osíris.

6 de novembro - Nascimento de Tiamat na Babilônia.

8 de novembro - Fuigo Matsuri, um festival Shinto em honra a Inari ou Hattsui No Kami, Deusa do Fogão no Japão.

10 de novembro - Kali Puja na Índia, para Kali, a destruidora do mal.

9-10 de novembro - Noite de Nicnevin na Escócia.

11 de novembro - Festa dos Einheriar (Guerreiros Vencidos), nórtica.

15 de novembro - Shichigosan (Dia Sete-Cinco-Três) para a seguraça das crianças como essas idades no Japão. Na Índia, Dia das Crianças. Em Roma, Ferônia para a deusa das florestas e da fertilidade.
16 de novembro - Noite de Hécate na Grécia; inicia no crepúsculo, Festival de Bast no Egito.

24 de novembro - Festa de Queima das Lanternas no Egito para Ísis e Osíris.

27 de novembro - Dia de Parvati-Devi, a Deusa Tríplice que se partia em Sarasvati, Lakshmi e Kali, ou as Três Mães.

30 de novembro - Dia de Hécate das Encruzilhadas na Grécia, na Lua Nova. Skadi entre os nórticos. Dia de Mawu, criadora africana do Universo e partir do caos.



Lua Fria (Dezembro)

A Lua de Contar as Bênçãos - Ao chegar na décima-segunda Lua. você vai enumerar todas as coisas boas que lhe aconteceram no decorrer do ano. Examine sua vida e verifique os efeitos de todos os rituais realizados. Veja se você alcançou seu objetivo de se tornar uma pessoa mais completa. Lembre-se de que um bruxo está integrado à natureza, ama as plantas e os animais, respeita seus semelhantes e convive em harmonia com todos que o cercam. Se você estiver assim, feliz, bonito e satisfeito, é sinal de que seu trabalho foi bem-sucedido. Se ainda não chegou ao ponto desejado, insista, pois a magia requer paciência. E, no última dia do ano, agradeça à Mãe Lua, olhando para ela e recitando palavras de gratidão e amor. Agora, você e a Lua são únicos: mãe e filho, irmãos, namorados, companheiros, cúmplices de feitiços e momentos de magia. Sinta essa força e nunca desista da sua caminhada.

1° de dezembro - Dia de Pallas Atena/Minerva na Grécia e em Roma.

3 de dezembro - Festa romana da Bona Dea (A Boa Deusa), deidade da justiça.

8 de dezembro - Festival de Ixchel entre os maias. Festival de Neith no Egito. Astraea entre os Gregos, para a deusa Astraea, deidade da justiça.

10 de dezembro - Festival de Lux Mundi (Luz do Mundo), em honra à deusa romana Liberdade.

13 de dezembro - Dia de Sta. Lucia na Suécia.

17-23 de dezembro - Saturnália em Roma.

19 de dezembro - Opalia, para Ops, em Roma; sucesso e fertilidade. Pongol na Índia; festival hindu do Solstício para Sarasvati.

21 de dezembro - Solstício de Inverno. Festival celta das estrelas. Retorno de Osíris para Ísis no Egito.

23 de dezembro - Dia de Hathor no Egito. Noite das Lanternas, ou sepultamento final de Osíris, no Egito.

24 de dezembro - Modresnach, ou Noite da Mãe entre os anglo-saxões. Noite das Mães na Alemanha.

25 de dezembro - Fim da Saturnália em Roma. Dia das Geniae na Grécia; Atena também é honrada. Celebração de Artarte nos países semitas.

26 de dezembro - Nascimento de Hórus no Egito.

27 de dezembro - Nascimento de Freya nórtica.

31 de dezembro - Dia de Hécade em Roma. Dia da Sorte de Sekhmet no Egito. Norns na Escandinávia. Fadas de Van em Gales. Hogmanay na Escócia; expulsão de maus espíritos através do uso de adereços como peles e chifres. Na Sicília, festa de Strenia, deusa dos presentes. Na França, Dame Abonde, por presentes. Noite dos Desejos no México.



I. RITO DE ADORAÇÃO E INVOCAÇÃO A MÃE LUA.

O Ritual da Lua Cheia é um forte, que nos coloca em sintonia com as Deusas

Você vai precisar:

- duas velas brancas - um sino - vinho - Uma Taça

Trace o Círculo Mágico. De frente ao seu altar diga:

“ESTA É A ÉPOCA DA LUA CHEIA, UM MOMENTO DE GRANDE PODER POSITIVO, UM MOMENTO DE FELICIDADE E CONQUISTA.

SOU EU, SEU FILHO, QUE EM AMOR E ADORAÇÃO, ESTOU DIANTE DE TI E COMO SEU FILHO TI PEÇO QUE ESTEJA COMIGO AGORA E SEMPRE

PERMITA-ME SENTIR SUA PRESENÇA, NESTA NOITE DE MAGIA E PODER, ME INVADINDO E ME PREENCHENDO. "

Vá ao leste com o sino. toque-o uma vez e diga:

“PODERES DO AR, AUXILIEM-ME A SENTIR A FORÇA DA SENHORA DENTRO DE MINHA MENTE. "

Vá ao sul. toque-o sino e diga

"PODERES DO FOGO, DEIXE-ME SENTIR A FORÇA DA SENHORA DENTRO DE MEU ESPÍRITO INFINITO. "

Vá ao oeste. toque o sino e diga:

"PODERES DA ÁGUA, DEIXE-ME SENTIR A FORÇA DA SENHORA DENTRO DE MEUS SENTIMENTOS, DE MINHAS EMOÇÕES, DE MINHAS RAZÕES. "

Vá ao norte. Toque o sino e diga:

"PODERES DA TERRA, DEIXE-ME SENTIR A FORÇA DA SENHORA EM MEU CORPO. "

Quando você se sentir pronto, volte-se para o norte, levante os braços para o alto acima da cabeça e diga com força:

"GRANDE MÃE! SENHORA DA LUA E DA LUZ, SEHORA DOS MISTÉRIOS E DA MAGIA, TU, QUE ILUMINAS A TERRA COM TUA INFINITA LUZ TU, E SOMENTE TU, ÉS O COMEÇO O MEIO E O FIM, ABRIGA-ME AGORA EM TEU VENTRE VENHA ATÉ MIM E PREENCHA-ME COM SUA PRESENÇA.”

Após ter dito isto, sente-se no meio do círculo, feche os olhos e concentre-se, centre-se e visualize a Grande Mãe vindo até você. Sinta a presença dela, a ponto de senti-la respirar cada vez mais próximo de você

Quando conseguir sentir a respiração dela próximo de você, então você estará pronto para confidenciar-lhe seus desejos, seus medos e tudo aquilo que quiser desabafar.

Quando terminar, diga:

"A TI, E SOMENTE A TI, DOU TODA HONRA E TODO MEU AMOR. DEUSA DA VIDA, DA LUZ E DO AMOR A TI DEUSA DE TODOS OS DEUSES...

Erga a taça com o vinho e diga:

“BRINDO A ALEGRIA DE SER SEU FILHO! "

Desfaça o Círculo Mágico.

(Extraído do livro de Scott Cunningham – Guia Essencial da Bruxa Solitária)




Verá com melhor nitidez esse site, com os navegadores Mozilla Firefox ou Google Chrome.

Obrigada, pela visita. Beijos de luz violeta na alma.

Tempo real da Terra e da Lua