20/07/2010

ELFOS - FILHOS DA DEUSA VARDA


Na exata hora em que Varda, a Senhora dos Céus, reacendeu as brilhantes estrelas sobre a Terra-média, as Crianças de Eru despertaram no Lago Cuiviénen, a "água do despertar". Essas pessoas eram os Quendi, que são conhecidos como Elfos; e quando vieram a existir a primeira coisa que notaram foi a luz das novas estrelas. Por isso os Elfos amam as estrelas acima de tudo e adoram Varda, a quem chama de Elentári, Rainha das Estrelas, acima de todos os Valar. E mais tarde, quando a nova luz atingiu os olhos dos Elfos no momento do despertar, ficou presa neles, e daí vem o brilho dos olhos dos Elfos.


Desta forma Eru, o Único, que os nascidos na terra chamam de Ilúvatar, criou a mais bela e mais sábia das raças. Ilúvatar declarou que os Elfos teriam e construiriam maiores belezas do que qualquer outra raça, que possuiriam as maiores felicidades e a maiores tristezas. Deveriam ser imortais e eternos, e deveriam viver tanto quanto a terra viveria. Nunca conheceriam doenças nem pestilências, mas seus corpos seriam como a terra, em substância, e poderiam ser destruídos. Poderiam ser mortos com fogo ou aço na guerra, ser assassinados ou mesmo morrer de uma grande tristeza.

Mitologia nórdica

http://www.vopus.org/es/images/articles/odin-la-mitologia-nordica.jpgA Mitologia no qual JRR. Tolkien se baseu para escrever o Senhor dos Anéis
Do livro As melhores histórias da mitologia nórdica
Autores: A.S. Franchini, Carmen Seganfredo,



A Mitologia Nórdica diz respeito aos povos que habitaram, nos tempos précristãos, os atuais países escandinavos (Noruega, Suécia e Dinamarca), além da gélida Islândia. Este conjunto de mitos também teve especial desenvolvimento na Alemanha, que foi a grande divulgadora da riquíssima cultura dos nórdicos. Com a expansão das navegações vikings, esta difusão acentuou-se ainda mais, indo alcançar também os povos de língua inglesa e deixando sua marca até na própria denominação dos dias da semana destes países (Thursday, por exemplo, é o "dia de Thor"; e Friday, "dia de Freya").

http://quizilla.teennick.com/user_images/L/LI/LIN/LINKCYBERPUNK/1236293487_2789_full.jpeg

No século XIII (cerca de trezentos anos após a conversão da Islândia ao cristianismo), o islandês Snorri Sturluson (1179 - 1241) codificou grande parte destes mitos no livro Edda em Prosa. Nesta obra, o poeta e historiador islandês registrou algumas das principais lendas relativas aos deuses e heróis dos tempos pagãos que recolheu em suas andanças por todo o país. Acrescentou também um extenso tratado de arte poética, onde ensinava a métrica e o elaborado sistema de metáforas dos escaldos (poetas que difundiam, oralmente, as antigas lendas).
Apesar de algumas destas histórias serem trágicas (como, por exemplo, a história de Sigurd e Brunhilde), a maioria delas, ao contrário, tem uma veia cômica bastante pronunciada, especialmente, aquelas nas quais os deuses são os protagonistas. Jamaissaberemos, no entanto, até que ponto a versão original destas histórias tinha mesmo estaconotação ou até onde houve a intenção (deliberada, ou não) do cristão Sturluson de tentar ridicularizar os antigos deuses do paganismo. De qualquer forma, são justamente estas as histórias mais interessantes e representativas da riquíssima mitologia nórdica.
Nelas, Odin (ou Wotan) e sua irrequieta trupe estão sempre envolvidos em jogos de enganação com os gigantes, seus eternos inimigos, destacando-se, invariavelmente, o astuto - e quase sempre perverso - Loki, o enganador por excelência (Loki representa nesta mitologia um papel análogo ao da velha serpente dos cristãos, que se compraz em tramar nas sombras a destruição dos deuses). De modo geral, Odin e seus comparsas saem-se melhor nestas divertidas - e quase sempre violentas - disputas, embora, às vezes, também façam o papel de bobos, como na desastrada visita que Thor fez a Jotunheim, a terra dos Gigantes.
Fonte de inspiração para as mais variadas áreas, a riquíssima mitologia nórdica inspirou a criação de muitas obras, como a do escritor inglês J. R. R. Tolkien, que foi colher na mitologia escandinava o fundamento básico de seu fantástico universo literário.
O argentino Jorge Luis Borges também não escapou a essa influência, dedicando várias de suas páginas às brilhantes metáforas ("kenningar") que encontrou na poesia islandesa.

Outro grande artista que se inspirou nas lendas vikings foi o compositor alemão Richard Wagner, que as utilizou largamente para compor a sua famosa tetralogia operística "O Anel dos Nibelungos", que apresentamos sob a forma romanceada de uma pequena novela, na segunda parte deste volume. O leitor haverá de notar que, embora os personagens continuem praticamente os mesmos, há, porém, algumas alterações nas suas denominações (Odin, por exemplo, na transposição de uma mitologia para a outra, passa a se chamar Wotan), além de ligeiras modificações em seus atributos. Entretanto, o leitor, que a esta altura já estará familiarizado com o universo mítico dos nórdicos, não encontrará dificuldade alguma em situar-se na trama, que gira em torno da luta impiedosa pela posse de um anel maléfico (onde já vimos isto antes?) e das conseqüências que a ambição desmedida acarreta ao ser humano - e, por fim, ao próprio universo.
Com a inclusão desta obra fundamental da cultura alemã, cremos haver reunido num único volume as principais lendas relativas à riquíssima mitologia dos povos do norte da Europa, servindo de introdução a todos aqueles que apreciam estes verdadeiros devaneios poéticos das raças que são as mitologias de todos os povos.


A Criação


Primeiro, havia o Caos, que era o Nada do Mundo, e isto era tudo quanto nele
havia. Nem Céu, nem Mar, nem Terra - nada disto havia. Apenas três reinos coexistiam: o Ginnungagap (o Grande Vazio), abismo primitivo e vazio, situado entre Musspell (o Reino do Fogo) e Niflheim (a Terra da Neblina), terra da escuridão e das névoas geladas.
Durante muitas eras, assim foi, até que as névoas começaram a subir lentamente das profundezas do Niflheim e formaram no medonho abismo de Ginnungagap um gigantesco bloco de gelo.
Das alturas abominavelmente tórridas do Musspell, desceu um ar quente e este encontro do calor que descia com o frio que subia de Niflheim começou a provocar o derretimento do imenso bloco de gelo. Após mais alguns milhares de eras - pois que o tempo, então, não se media pelos brevíssimos anos de nossos afobados calendários - o gelo foi derretendo e pingando e deixando entrever, sob a outrora gelada e espessa capa branca, a forma de um gigante.
Ymir era o seu nome - e por ser uma criatura primitiva, dotada apenas de instintos, o maniqueísmo batizou-a logo de má. Ymir dormiu durante todas estas eras, enquanto o gelo que o recobria ia derretendo mansamente, gota à gota, até que, sob o efeito do calor escaldante de Musspell, que não cessava jamais de descer das alturas, eis que ele começou a suar. O suor que lhe escorria copiosamente do corpo uniu-se, assim, à água do gelo, que brotava de seus poderosos membros - e este suor vivificante deu origem aos primeiros seres vivos. Debaixo de seu braço surgiu um casal de gigantes e da união de suas pernas veio ao mundo outro ser da mesma espécie, chamado Thrudgelmir. Estes três gigantes foram as primeiras criaturas, que surgiram de Ymir; mais tarde, Thrudgelmir geraria Bergelmir, que daria origem à toda a descendência dos gigantes.
Entretanto, do gelo derretido também surgira, além das monstruosidades já citadas, uma prosaica vaca de nome Audhumla, de cujas tetas prodigiosas manavam quatro rios, que alimentavam o gigante Ymir. Audhumla nutria-se do gelo salgado, que lambia continuamente da superfície, e, deste gelo, surgiu ao primeiro dia o cabelo de um ser; no segundo, a sua cabeça; e, finalmente, no terceiro, o corpo inteiro. Esta criatura egressa do gelo chamou-se Buri e foi a progenitora dos deuses. Seu primeiro filho chamou-se Bor,e, desde que pai e filho se reconheceram, começaram a combater os gigantes, que nutriam por eles um ódio e um ciúme incontroláveis.
Esta foi a primeira guerra de que o universo teve notícia e incontáveis eras sucederam-se sem que ninguém adquirisse a supremacia. Finalmente, Bor casou-se com a giganta Bestla e, desta união, surgiram três notáveis deuses: Wotan (também chamado Odin), Vili e Ve. Dos três, o mais importante é Wotan, que um dia chegará a ser o maior de todos os deuses. E, porque assim será, um dia, ele próprio disse a seus irmãos:
- Unamo-nos a Bor e destruamos Ymir, o perverso pai dos gigantes!
Os quatro juntos derrotaram, então, o poderoso gigante, e com sua morte, acabou também a quase totalidade dos demais de sua espécie, afogada no sangue de Ymir. Um casal, entretanto, escapou do massacre: Bergelmir e sua companheira, que construíram um barco feito de um tronco escavado e foram se refugiar em Jotunheim, a terra dos Gigantes, onde geraram muitos outros. Desde então, a inimizade estabeleceu-se, definitivamente, entre deuses e gigantes, cada qual vivendo livremente em seu território, mas sempre alerta contra o inimigo.
Dos restos do cadáver do gigantesco Ymir, Wotan e seus irmãos moldaram a Midgard (Terra-Média): de sua carne, foi feita a terra; enquanto que, de seus ossos e seus dentes, fizeram-se as pedras e as montanhas. O sangue abundante de Ymir correu por toda a terra e deu origem ao grande rio que cerca o universo.
- Ponhamos, agora, a caveira de Ymir no céu - disse Wotan a seus irmãos, após haverem completado a primeira tarefa.
Wotan fez com que quatro anões mantivessem a caveira suspensa nos céus, cada qual colocado num dos pontos cardeais. Em seguida, das faíscas do fogo de Musspell, brotaram o sol, a lua e as estrelas; enquanto que, do cérebro do gigante, foram engendradas as nuvens, que recobrem todo o céu.
Entretanto, após terem remexido a carne do gigante, com a qual moldaram a terra, os três deuses descobriram nela um grande ninho de vermes. Wotan, penalizado destas criaturas, decidiu dar-lhes, então, uma outra morada, que não, o Midgard. Os seres subumanos, que pareciam um pouco mais turbulentos que os outros, foram chamados de Anões e receberam como morada as profundezas sombrias da terra (Svartalfheim). Os demais, que pareciam ter um modo mais nobre de proceder, foram chamados de Elfos e receberam como morada as regiões amenas do Alfheim.
Completada a criação de Midgard, caminhavam, um dia, Wotan e seus irmãos sobre a terra para ver se tudo estava perfeito, quando encontraram dois grandes pedaços de troncos caídos ao solo, próximos ao oceano. Wotan esteve observando-os longo tempo, até que, afinal, teve outra grande idéia:
- Irmãos, façamos de um destes troncos um homem e do outro, uma mulher! E assim se fez: ele foi chamado de Ask (Freixo) e ela, de Embla (Olmo). Wotan lhes deu a vida e o alento; Vili, a inteligência e os sentimentos; e Ve, os sentidos da visão e da audição. Este foi o primeiro casal, que andou sobre a terra e originou todas as raças humanas que habitariam por sucessivas eras a Terra-Média. Depois que Midgard e os homens estavam feitos, Wotan decidiu que era preciso que os deuses tivessem também uma morada exclusiva para si:
- Façamos Asgard e que lá seja o lar dos deuses! - exclamou ele, que, como se vê, era um deus de energia e vontade inesgotáveis.
Este reino estava situado acima da elevada planície de Idawold, que flutuava muito acima da terra, impedindo que os mortais o observassem. Além disso, um rio cujas águas nunca congelavam - o Iffing - separava a planície do restante do universo. Mas, Wotan, sábio e poderoso como era, entendeu que não seria bom se jamais existisse um elo de ligação entre deuses e mortais. Por isso, determinou que fosse construída a ponte Bifrost (a ponte do Arco-íris), feita da água, do logo e do mar. Heimdall, um estranho deus nascido ao mesmo tempo de nove gigantas, ficaria encarregado, desde então, de vigiá-la noite e dia para que os mortais não a atravessassem livremente no rumo de Asgard. Para isso, ele portava unia grande trompa, que fazia soar todas as vezes que os deuses cruzavam a ponte.

A morada dos deuses possuía várias residências, as quais foram sendo ocupadas pelos deuses à medida que iam surgindo. O palácio de Wotan, o mais importante de todos, era chamado de Gladsheim. Ali, o deus supremo linha instalado o seu trono mágico, Hlidskialf, de onde podia observar tudo o que se passava nos Nove Mundos e receber de seus dois corvos, Hugin (Pensamento) e Muniu (Memória), as informações trazidas das mais remotas regiões do universo.
Entretanto, se na mais alta das regiões estava situado o paraíso daquele soberbo universo, nas profundezas da terra, muito abaixo de Midgard, estava o Niflheim, o horrível e gelado reino dos mortos. Lá pontificava a sinistra deusa ú, filha de Loki, que se regozija Com a fome, a velhice e a doença, e que tem i lado a serpente Nidhogg. Esta se alimenta dos cadáveres dos mortos e se dedica a roer continuamente uma das raízes da grande árvore Yggdrasil, um freixo gigantesco que se eleva por cima do mundo e deita suas raízes nos diversos reinos, entre os quais, o próprio Asgard. Ao alto da copa frondosa desta imensa árvore, sobrevoa uma gigantesca águia, que vive em guerra aberta contra a serpente Nidhogg. Um pequeno esquilo - Ratatosk -, que passa a vida a correr desde o alto da Árvore da Vida até as profundezas onde está a terrível serpente, é o leva-traz dos insultos que estas duas criaturas se comprazem em trocar sem jamais esgotar seu infinito estoque de injúrias.
Nesta árvore fundamental, diz a lenda que o próprio Wotan esteve pendurado durante nove longas noites, com uma lança atravessada ao peito, para que pudesse aprender o significado oculto das Runas, o alfabeto nórdico, que rege e governa a vida
dos deuses e dos homens. Quando seu martírio terminou, Wotan havia se tornado, definitivamente, o mais poderoso e sábio dos deuses, tendo o poder de curar doenças e de derrotar os inimigos com sua poderosa lança, Gungnir - ao mesmo tempo, sua mais poderosa arma e local de registro de todos os seus acordos.
Yggdrasil é o centro do mundo, e, enquanto suas raízes continuarem a suportar o peso de seu prodigioso tronco e de seus ramos infinitos, o mundo estará firme e a vida será soberana, sob os auspícios de Wotan, senhor dos deuses.




Glossário

ALBERICH: anão da raça dos nibelungos que roubou o Ouro do Reno das ninfas e
forjou o anel de poder. Pai de Hagen.
ALFHEIM: terra dos elfos felizes, situada próxima a Asgard, morada dos deuses.
ANDARILHO: disfarce utilizado por Wotan para percorrer o mundo.
ANEL: objeto mágico forjado por Alberich que desperta a cobiça de deuses e
homens.
ANÕES: também chamados de Nibelungos, vivem em seu país situado abaixo da
terra.
ÁRVORE DA VIDA: também chamada de Yggdrasil, é o grande freixo que está
situado no meio do mundo.
ASGARD: a morada dos deuses, construída por Wotan.
ASK: o primeiro homem, criado a partir de um pedaço de tronco.
AUDHUMLA: a vaca primordial que surgiu junto com o gigante Ymir.
BERGELMIR: filho do gigante Thrudgelmir, deu origem à descendência dos gigantes
que habitaria Jotunheim, a terra dos gigantes.
BESTLA: giganta, casou-se com Bor e deu origem aos três primeiros deuses do
panteão nórdico: Wotan (ou Odin), Vili e Ve.
BIFROST: a ponte do arco-íris que liga o mundo dos mortais a Asgard, o lar dos
deuses.
BOR: filho de Buri, foi pai de Wotan, Vili e Ve, as primeiras divindades.
BRUNHILDE: filha de Wotan e de Erda, era uma das Valquírias. Após desobedecer
ao pai foi punida com a perda desta condição, tornando-se uma mortal comum.
BURI: antepassado dos deuses, veio ao mundo quando a vaca Audhumla lambeu o
gelo de um iceberg até que ele surgisse.
CREPÚSCULO DOS DEUSES: o fim do mundo, época em que os deuses deixarão
de existir. Também chamada de Ragnarok. A versão relatada, aqui, difere muito daquela
consagrada nos mitos nórdicos, que a apresenta como uma grande batalha apocalíptica
travada entre deuses e gigantes.
DRAGÃO: monstro que guarda o anel e o tesouro dos nibelungos. Originariamente,
era o gigante Fafner que, graças ao mágico elmo de Tarn, pôde se metamorfosear no
temível dragão que o herói Siegfried termina por abater em um sangrento duelo.
EINHERIAR: os guerreiros mortos recolhidos pelas Valquírias que farão parte do
exército de Wotan e que estão reunidos no palácio do Valhalla.
ELFOS: criaturas de grande virtude moral que surgiram da carne de Ymir, gigante
abatido por Wotan e seus irmãos. Originariamente, eram vermes, tais como os anões.
ELMO DE TARN: elmo mágico fabricado pelo anão Mime, que dá a quem o possui o
poder de se locomover, rapidamente, de um lugar para o outro, além de se
metamorfosear em qualquer ser.
EMBLA: a primeira mulher que surgiu de uni tronco de árvore, a exemplo de Ask, o
primeiro homem.
ERDA: divindade da terra, amante de Wotan. Era a deusa da sabedoria e mãe de
Brunhilde e de todas as Valquírias.
FAFNER: um dos gigantes que construíram o Valhalla. Mais tarde, transformou-se
em um dragão para proteger o anel que recebera como pagamento pela obra.
FASOLT: irmão de Fafner, era gigante como este. Foi morto pelo irmão, após ter
construído com ele o Valhalla, durante uma discussão pela posse do anel.
FLOSSHILD: uma das ninfas do Reno que protegiam o ouro ali escondido.
FREYA: deusa do amor e da juventude, foi entregue por Wotan aos gigantes Fafner
e Fasolt como garantia pelo pagamento da construção do Valhalla.
FRICKA: esposa de Wotan, deusa do casamento e da fidelidade.
GIBICH: fundador do clã dos Gibichungs, era pai de Gunther e Gutrune.
GIBICHUNGS: família que protagoniza alguns dos episódios mais importantes do
"Crepúsculo dos Deuses", era composta pelos irmãos Gunther e Gutrune.
GIGANTES: raça criada a partir do gigante Ymir. Na história do Anel, são apenas
dois: Fafner e Fasolt.
GINNUNGAGAP: o abismo vazio que existia antes de o mundo ser formado.
GLADSHEIM: o magnífico palácio de Wotan, instalado em Asgard.
GRIMGERDE: uma das nove Valquírias.
GRIMHILDE: esposa de Gibich, vendeu-se a Alberich, o nibelungo, para que este
pudesse gerar o ambicioso Hagen, meio-irmão de Gunther e Gutrune.
GUNGNIR: a lança de Wotan, onde o deus registra todos os seus acordos. Termina
partida por Siegfried num duelo que o deus mantém com seu neto, sendo derrotado por
este, simbolizando, ao mesmo tempo, o declínio da velha divindade.
GUNTHER: irmão de Gutrune, deseja casar-se com Brunhilde. Para isso, arma uma
trama com Siegfried, que termina com funestas conseqüências para todos.
GUTRUNE: irmã de Gunther, deseja casar-se com Siegfried, mas vê seus objetivos
frustrados após a morte do herói, assassinado traiçoeiramente por Hagen, filho de
Alberich e meio-irmão de Gutrune.
HAGEN: filho do nibelungo Alberich, transforma-se no carrasco de Siegfried para
poder se apossar do anel.
HEIDRUN: cabra que fornecia o hidromel, a bebida dos deuses, aos habitantes do
Valhalla.
HEIMDALL: vigia que guardava a ponte Bifrost, que ligava o mundo mortal a Asgard.
Estava sempre munido de uma trompa para anunciar aqueles que por ela atravessassem.
HEL: deusa infernal, filha de Loki. Comandava o reino dos mortos.
HLIDSKIALF: o trono mágico de Wotan. Dali ele podia observar tudo quanto se
passava nos Nove Mundos.
HUGIN: um dos corvos mensageiros de Wotan. Seu nome significa "Pensamento".
HUNDING: marido de Sieglinde, termina por matar o irmão da esposa, Sigmund,
num duelo. Wotan, em seguida, pune-o também com a morte.
IDAWOLD: planície situada acima da terra que abrigava Asgard, a morada dos
deuses.
IFFING: o rio que separava Idawold, a planície que abrigava Asgard, do restante do
universo.
JOTUNHEIM: a terra dos Gigantes. Bergelmir e sua esposa, únicos gigantes
sobreviventes de um massacre promovido por Wotan e os demais deuses, foram lá
buscar refúgio, acabando por fazer de Jotunheim o novo lar dos gigantes.
LERAD: árvore mágica, cujas folhas alimentavam a cabra Heidrun, fornecedora do
hidromel aos guerreiros do Valhalla.
LOKI: filho de gigantes, era o mais esperto e ladino dos deuses. Também assume a
persona de deus do fogo, a partir da segunda parte da tetralogia do Anel dos Nibelungos.
MIDGARD: ou Terra-Média, era a morada dos mortais, construída por Wotan e seus
irmãos no começo dos tempos.
MIME: irmão de Alberich, é um nibelungo como ele. Pai de criação de Siegfried,
termina morto por este ao tentar assassiná-lo para se apoderar do anel que este
conquistara do dragão Fafner. MIMIR: gigante cuja cabeça reside às margens do rio da
sabedoria. Exigiu que Wotan lhe desse um de seus olhos para deixá-lo beber da fonte.
MUNIN: um dos corvos mensageiros de Wotan. Seu nome significa "Memória".
MUSSPELL: reino primordial do fogo, que havia antes da Criação.
NIBELUNGOS: raça de anões escuros que vivem embaixo da terra, no País dos
Nibelungos.
NIDAVELLIR: outra denominação da morada dos anões.
NIDHOGG: serpente venenosa que habita o Niflheim, região sombria dominada pela
sinistra deusa Hei.
NIFLHEIM: morada dos mortos e das névoas geladas, habitada por Hei.
NORNAS: filhas de Erda, são em número de três e tecem o fio da vida e da morte.
Eqüivalem às Moiras gregas ou às Parcas dos latinos.
NOTUNG: a espada invencível forjada por Wotan, que Siegfried reforjou junto com o
anão Mime.
ODIN: outra denominação (mais popular) que se dá a Wotan, pai dos deuses.
OURO DO RENO: tesouro escondido nas profundezas do Reno, guardado por três
ninfas, que o anão Alberich rouba para forjar o Anel de Poder. RAGNAROK: o mesmo que
o "Crepúsculo dos Deuses", época apocalíptica na qual os deuses deixarão de existir
após uma conflagração universal.
RATATOSK: esquilo que percorre os galhos da Arvore da Vida, levando recados
desaforados que a águia transmite à serpente Nidhogg e vice-versa.
ROSSWEISE: uma das nove Valquírias, filhas de Wotan e Erda.
RUNAS: alfabeto nórdico que teria propriedades mágicas. Wotan esteve por nove
noites preso à Arvore da Vida para obter os segredos mágicos que as runas podem
transmitir aos seus iniciados.
SAEHRIMNIR: o javali gigante que os guerreiros do Valhalla devoram todas as
noites, mas que renasce sempre no dia seguinte, intacto, para ser devorado outra vez.
SCHWERTLEITE: uma das nove Valquírias, filhas de Wotan.
SIEGFRIED: filho de Sigmund e de sua irmã Sieglinde, era neto de Wotan. Libertou
Brunhilde de seu confinamento num rochedo cercado de chamas e enfrentou o dragão
que guardava o Anel de Poder. Morreu pelas mãos traiçoeiras de Hagen, filho do
nibelungo Alberich.
SIEGLINDE: filha de Wotan e irmã de Sigmund, teve um romance com o próprio
irmão, do qual surgiu Siegfried, o maior herói da saga germânica do Anel.
SIEGRUNE: uma das Valquírias.
SIGMUND: filho de Wotan, era irmão de Sieglinde e foi morto pelo esposo dela,
Hunding, em um duelo. Era pai de Siegfried.
SKULD: uma das três Nornas, deusas que presidem o destino. Tinham o dom de
prever o futuro.
SLEIPNIR: o cavalo de oito patas de Wotan, o cavalo mais veloz do universo.
SVARTALFHEIM: a morada dos gnomos (ou elfos sombrios), que está situada nas
profundezas da terra.
THRUDGELMIR: gigante nascido das pernas do gigante primordial Ymir. É um dos
mais antigos ascendentes da estirpe dos Gigantes.
URD: uma das Nornas, deusas do destino, que tem o conhecimento do passado.
URDAR: o poço cujas águas as Nornas, deusas do destino, usavam para regar em
Asgard umas das raízes de Yggdrasil, o Freixo do Mundo.
VALHALLA: a morada dos guerreiros mortos recolhidos pelas Valquírias nos
campos de batalha. Wotan ordenou que dois gigantes (Fafner e Fasolt) a construíssem,
prometendo-lhes em troca Freya, irmã de sua mulher e deusa da juventude.
VALQUÍRIAS: filhas de Wotan e de Erda, deusa subterrânea, eram deusas
guerreiras e tinham por função recolher os combatentes mortos e os levar para os salões
do Valhalla. A mais famosa delas foi Brunhilde.
VANAHEIM: morada dos Vanes (ou Vanires), deuses de hierarquia menor, em
oposição aos Aesir, deuses superiores, liderados por Wotan.
VE: uma das duas divindades que surgiram junto com Wotan e que o ajudaram a
construir o mundo.
VILI: divindade irmã de Wotan e Ve, que ajudou-os a construir os diversos reinos do
mundo, como Midgard, terra dos mortais; e Asgard, a morada dos deuses.
WALSUNGS: denominação pela qual são conhecidos os descendentes de Wotan,
tais como os irmãos Sigmund e Sieglinde, pais de Siegfried.
WALTRAUTE: irmã de Brunhilde, uma das nove Valquírias, filhas de Wotan e Erda.
WELLGUNDE: uma das ninfas do Reno que protegiam o Ouro do Reno.
WELMWIGE: uma das nove Valquírias, deusas guerreiras, filhas de Wotan.
WERDANDI: uma das Nornas, deusas que presidem o destino. Era encarregada do
presente.
WOGLINDE: umas das ninfas do Reno, que permitiram ao anão Alberich apossar-se
do ouro que tinham por missão preservar.
WOTAN: deus supremo do panteão nórdico, mais conhecido pela denominação de
Odin. Era pai de Brunhilde e das demais Valquírias.
YGGDRASIL: o freixo gigante que recobre o mundo. Wotan retirou um de seus
galhos para fazer sua lança Gungnir.
YMIR: gigante primordial, surgido da junção das névoas geladas de Niflheim e do
calor da tórrida região de Musspell.


Do livro As melhores histórias da mitologia nórdica
Autores: A.S. Franchini, Carmen Seganfredo,

Deuses: Raízes Antigas


Ao iniciarmos nossos estudos na Arte, a primeira sensação que nos advém é de que estamos despertando para algo novo, mas na realidade estamos nos religando às antigas raízes pagãs, à verdadeira religião da natureza e da unidade, pois o nosso caminho é baseado na crença do Deus e da Deusa.

Algumas pessoas, inicialmente, sentem uma certa dificuldade em relação à conexão com a Deusa. Isto acontece, principalmente, por conta de toda a influência da sociedade patriarcal dominate durante milênios e às vezes é tão forte, que chega a causar medo e desconforto, tamanhos são os dogmas impregnados no ser.

A Deusa é a essência feminina que foi reprimida durante a cristianização, principalmente para controlar o poder sobre a criação, ou seja, sobre a nossa criatividade e, assim, restringir a nossa liberdade. Não estamos aqui nos referindo a Jesus que, no nosso modo de ver, foi um grande Mestre e, tampouco, ao feminismo.

A religião da Deusa, também é conhecida popularmente como: Bruxaria, Antiga Religião, Caminhos Antigos ou, simplesmente, Arte Antiga e que não se caracteriza como uma seita ou apenas uma filosofia de vida. É, acima de tudo, um caminho solitário de auto-aprimoramento, respeito à natureza, ao próximo e a si mesmo.

Devido ao preconceito e a falta de informação, muitas pessoas ainda confundem paganismo com 'feitiçaria ou magia negra'. Isso não é correto. E que fique bem claro: nossa religião nada tem a haver com satanismo, magia negra ou qualquer outra cor que queiram denominá-la!

Um dos ramos do paganismo mais divulgados atualmente é a Wicca, idealizada por Gerald Gardner. A palavra 'wicca' é um termo moderno e eclético, que provavelmente vem do inglês arcaico 'wicce' e quer dizer 'bruxo' ou do saxão 'wich' que significa: girar, dobrar ou moldar. Enfim, podemos encontrar várias definições para a mesma palavra, assim como várias tradições, mas, o que realmente importa é saber que as origens pagãs remontam à aurora da humanidade e estão intimamente ligadas aos ciclos naturais.

Em hipótese alguma podemos dizer que a Wicca é celta, pois ela reúne várias influências de outros panteões, além de trabalhar princípios herméticos e ter uma ritualística própria. Mesmo assim, merece todo respeito como um ramo pagão da Grande Mãe, bem como as demais religiões, sejam elas quais forem.

A maioria das lendas e dos mitos celtas nos revelam a existência do Outro Mundo, oculto entre colinas, lagos, rios, névoas e bosques sagrados. Avalon é uma lenda, que através da ficção de Marion Zimmer nos leva aos textos de Mabinogion, Geoffrey de Monmouth, além dos contos mitológicos do Ciclo de Ulster e a Viagem de Mael Duin ou a Jornada de Melduin e os Immramas Sagrados, preservando assim todo o conhecimento ancestral deste povo.

Os celtas, assim como todos os povos antigos da história, viam os ciclos da natureza e a própria fertilidade num único contexto divino, respeitando-a como um Todo, por isso cultuavam suas deidades ao ar livre. É fato que muitos povos da antiguidade praticavam sacríficios humanos e várias atrocidades em nome de Deus e, infelizmente, muitas culturas ainda praticam até os dias de hoje estes atos irracionais.

Todavia, não devemos confundir a história com os nossos príncipios pela busca da espiritualidade Maior, pois a nossa religiosidade não está apenas comprovada em fatos arqueológicos que, neste caso, servem para reforçar ainda mais que as religiões politeístas buscam equilibrar as energias da natureza da Deusa e do Deus dentro de nós, dando-nos a esperança de viver num mundo melhor e mais justo.

Ressaltando que, do ponto de vista da história das religiões, existem apenas três religiões monoteístas: o islamismo, o judaísmo e o cristianismo. Sendo assim, todas as demais religiões da pré-história, até a atualidade, são conhecidas como politeístas.

As crenças pagãs começaram a tomar forma na era paleolítica, aproximadamente há vinte e cinco mil anos atrás. Neste período, o ser humano era nômade, suas fontes de subsistência eram a caça e a colheita. Além do mais, tudo era muito misterioso e assustador naquela época, como: o trovão, o sol, a lua e a escuridão.

Para eles, o mundo era um lugar cheio de grandes perigos e forças estranhas, que deveriam ser temidas, respeitadas e reverenciadas. Com o tempo, o conceito dessas forças foi evoluindo para a idealização dos Deuses. Um dos primeiros e, o mais importante Deus primitivo, foi o Deus de Chifres, onde formou-se na mente do homem antigo, a idéia de um Deus da Caça com chifres, simbolizando a força e o poder.

Mas não era apenas de caçadas que o clã sobrevivia, havia o grande mistério da fertilidade. As tribos precisavam perpetuar a espécie e de tempos em tempos, a barriga das mulheres crescia e, no final de algumas luas, surgia mais um novo membro para a tribo. No inicio frágil e pequeno, mas com o passar dos meses crescia, tornando-se grande e forte, dando garantia e continuidade às futuras gerações.

A mulher era a chave de todo esse mistério, um ser enigmático, que além de sangrar todo mês, sem que viesse a falecer, era a responsável pela continuação do clã e também pela alimentação dos filhos, com leite do seu próprio corpo.

A partir dessa observação, surge então a Deusa da Fertilidade, dando origem as várias esculturas de figuras pré-históricas, como a famosa escultura de Vênus de Willendorf, destacando-se pelos seios enormes, o ventre volumoso e a vulva protuberante.

A Deusa é a grande fonte criadora de toda a vida e, com o tempo, os homens foram se conscientizando também do seu aspecto divino, junto aos atributos fertilizadores do Deus Chifrudo, erroneamente comparado ao 'diabo' na visão judaíco-cristã. Enfim, a Deusa e o Deus são complementos daquilo que nunca deveria ter sido separado. Bênçãos plenas!

18/07/2010

TRABALHANDO COM OS PARES DE CHACRAS

Chakrasmovimento

Quanto mais vocês entenderem como suas partes invisíveis" trabalham, mais capazes serão de auto-curar-se.

Os chacras do corpo humano estão entrelaçados de várias formas para alcançar um pleno equilíbrio no corpo. Se você aprendeu outros pares e funções, por favor, honrem essas instruções desde que façam sentido e funcionem para vocês. Incorporem ao seu conhecimento o que oferecemos aqui, se fizer sentido e funcionar para vocês. Trabalhadores da Luz, é através da união do seu conhecimento, ferramentas e talentos que o grande quadro de cura se tornará claro. Muitas modalidades têm definido os pares de chacras pelas suas conexões energéticas nos níveis emocional, mental e espiritual, mas não consideram o nível físico. É aí que entramos, meus amados, porque somos mestres explicando como o físico é desenhado para atingir e manter o equilíbrio liberando o excesso de pressão através do sistema de meridianos. Esse sistema é uma combinação de meridianos energéticos e dos canais físicos do seu sistema nervoso.


No material que se segue, esse parelhamento de chacras no interior do seu corpo físico é a “fiação fundamental” para o resto da sua estrutura energética. Se os chacras sofrem desequilíbrio por excesso de pressão no nível físico por muito tempo, sintomas físicos de doenças começam a aparecer.


Queremos acrescentar que levam muitos, muitos anos de bloqueios acumulados antes que um par de chacras falhe. Saibam que os sintomas advindos de uma pressão interna muito grande podem ser revertidos antes que danos ocorram no corpo físico. O melhor caminho para a saúde é a manutenção preventiva, mantendo mínimos os níveis de stress, comendo e bebendo alimentos puros, exercitando-se e dormindo regularmente. Estas, meus amados, são escolhas que não se pode
evitar!

A aura


aura2

À essa lista nós adicionamos uma prática diária – não importa se você tem uma vida ativa ou sedentária, por favor, faça disso uma prática regular. O que nós ensinamos é um cuidado básico de manutenção da aura, o que é um novo conceito para a maioria das pessoas. Se nada disso faz sentido para você e acha que isso não se aplica, então pedimos que cochile com mais freqüência. Sim, o sistema nervoso se auto higieniza enquanto você dorme e recarrega seu corpo com combustível energético vital. Um simples cochilo diário de meia hora pode melhorar sua saúde! A primeira parte de informações ofertadas por nós cobriram os sete chacras internos. São eles Raiz e Coroa (1 e 7), Sacral e Laríngeo (2 e 5), Plexo Solar e Cardíaco (3 e 4). Nós dissemos que o 6º chacra, o Terceiro Olho, trabalha em conjunto com todos os outros nos níveis físico e energético, que nós explicaremos em um futuro texto. Por hora, nós adicionamos um último par de chacras, que é o seu potencial de expansão energética dentro da transição do milênio. Esse par é o Terceiro Olho e o Propósito da Alma (6 e 8). O oitavo chacra é a sua conexão com o Eu Superior, em paralelo com seu centro de intuição elevada. Não faz sentido que esses dois centros trabalhem em conjunto? Sua conexão e comunicação são vitais para que a ascensão da consciência vá além do limite da forma humana que vocês conhecem tão bem. Uma vez que os sete chacras internos estejam purificados, equilibrados e totalmente conectados com o oitavo chacra, sua conexão com a consciência cósmica é reconquistada. Você entra então em um novo nível de realidade interdimensional que simplesmente não estava disponível na antiga vibração da 3ª dimensão.

Desequilíbrio do Chakra



Quando um chacra cai em desequilíbrio no nível físico o seu par trabalha mais para compensar a falta do primeiro. Se o equilíbrio não é conquistado, ambas as áreas sucumbem à doença.

Vamos deixar bem claro: quando o par do chacra afetado não consegue mais compensar o desequilíbrio, começam a aparecer sintomas físicos no chacra fonte.
Esses sintomas podem se enquadrar num padrão discernível, ainda que médicos não encontrem nenhuma doença, quando procurada. Quando os sintomas físicos aparecem, há uma janela de tempo na qual o excesso de pressão interna pode sair, permitindo ao corpo físico reequilibrar-se em direção à saúde. Em outras palavras, as pessoas podem demonstrar sintomas antes que a doença se instale. Uma vez que o órgão ou sistema comprometido perca suas funções por estar super pressionado, então a parte/órgão/sistema no corpo físico começará a distorcer em níveis visíveis.




Uma vez totalmente manifestada a doença, é mais difícil a limpeza. Não importa onde os sintomas da doença possam se manifestar, por favor, gastem algum tempo trabalhando no par do chacra afetado. Isso pode chocar com seus conceitos lineares de causa e efeito, mas dizemos que sintomas de doenças podem ter origem em desequilíbrios de qualquer parte. Sim, com problemas abdominais sua garganta precisa de limpeza. Dores lombares? Não se esqueça de trabalhar os ombros! Esses são exemplos de desequilíbrios nos pares 2 e 5.

Os médicos tem visto e sabem como testar muitas dessas inter-relações e que eventualmente mostram anormalidades em testes de laboratório e exames físicos. Mas e se os números dos testes são altos em escala mas caem dentro de limites normais ou aceitáveis? Você paira no limite, sem saber que rumo seu corpo vai tomar? O desconhecido causa medo e o medo meus queridos, os força a focar sua atenção no negativo, convidando-o a se manifestar.

Mesmo com a limpeza consciente dos pares, acidentes ou doenças podem ser recorrentes em uma ou ambas as áreas. Às vezes uma fraqueza energética persiste uma vez que os meridianos nessas áreas foram muito sobrecarregados. Conhecer essas interconexões irá ajudá-lo a ver além do simplesmente “estou melhorando” para um espaço e tempo onde você se sentirá saudável novamente, não importando seu histórico médico.

Pergunta: Os médicos acham que certos tumores no cérebro criam metástases no reto. Eles não sabem porque mas reconhecem esse padrão e sabem procurá-lo. Qual a relação entre essas duas áreas que causam essa sintomatologia?


chakracoronariochabasico1




















Resposta canalizada: Coroa e Raiz são um par de chacras. Quando um adoece, seu companheiro compensa para manter o equilíbrio energético. Quando o desequilíbrio se torna muito agudo, o chacra fonte adoece. No final, o companheiro do chacra doente segue o mesmo padrão de doença. O câncer é um exemplo extremo, no entanto fácil de entender. Essa questão se refere ao par 7 e 1, Coroa e Raiz, onde alguns cânceres criam metástases do cérebro para o reto. Você verá com freqüência câncer de tireóide espalhar-se pelo baixo abdomem, que é o par 5 e 2.


Que outros pares vocês tem visto?

Pergunta: fora os pares de chacras, que outro padrão de bloqueio pode advir do sistema de chacras?

Resposta canalizada: um padrão é o bloqueio originado do chacra acima ou abaixo da área afetada. Encontrar a verdadeira razão da doença pode ser complicado, especialmente se alguém estiver observando apenas o corpo físico. Às vezes o chacra bloqueado ou região afetada pode gerar sintomas que atingem a área acima ou abaixo.

Isso é uma função diferente de causa e efeito da pressão interna quando áreas super pressurizadas fluem sobre áreas com menor pressão que estejam por perto. Se você pegar um balão cheio de ar e apertá-lo no meio o que acontece? O ar dentro do balão se move para cima e para baixo de onde você estiver apertando. Se você apertar a parte de cima e de baixo do balão vai aparecer uma bolha. Portanto a garganta pode afetar a região abaixo do coração e acima do Terceiro Olho. O Sacral pode afetar abaixo da Raiz e acima do Plexo Solar. Um bloqueio na raiz pode causar uma total interrupção de fluxo no sistema de meridianos ou causar pressão no Sacral até o Plexo Solar. Bloqueio na Coroa pode manifestar sintomas no Terceiro Olho e abaixo o que pode eventualmente causar pressão na garganta.


Por exemplo, algumas sinusites crônicas (fora aspectos alérgicos) podem advir de um chacra Laríngeo bloqueado ou de ferimentos no pescoço e ombros. Esses casos normalmente causam uma coriza constante, com um resfriado crônico que não se manifesta por completo. Quando o sistema de meridianos está bloqueado no pescoço, a pressão na região da cabeça não permite liberar os canais dos meridianos. Problemas de sinusite crônica também podem ser desencadeados por bloqueios no 6º chacra, na testa, uma vez que a área afetada pela sinusite está entre o 5º e 6º chacra. Encontrar o chacra bloqueado ou cuidar de uma série de chacras bloqueados é muito mais efetivo no alívio da pressão do que tomar medicações para temporariamente respirar melhor. Tratar os sintomas é vital para o conforto do paciente, sim, mas limpar a fonte de pressão interna alivia a necessidade de medidas paliativas. Apenas tomar comprimidos para o alívio de sua dor, sem buscar atingir sua origem, permite à doença livre manifestação.


Rangimento de dentes ou danos nas juntas mandibulares podem causar excesso de pressão na mandíbula acima da cabeça, causando sinusites, problemas nos olhos e ouvidos ou dores de cabeça. Também pode causar pressão abaixo, nos ombros, pescoço e cervical. Esse é um ponto crucial no sistema de meridianos – as juntas da mandíbula devem estar abertas para que os meridianos liberem a pressão. Quando essas juntas estão fechadas, nada flui! Para qualquer modalidade de limpeza de meridianos ou meditação ser bem sucedida, a mandíbula deve estar completamente relaxada! Um outro tipo de bloqueio que pode afetar todo o sistema de meridianos é o bloqueio de meridianos que entope o caminho pelos quais os chacras limpam o organismo. A aura carrega danos etéricos por traumas no corpo (doenças, acidentes ou intervenções cirúrgicas) mesmo após a recuperação do corpo físico. Até que os meridianos estejam livres desses bloqueios, o sistema de chacras não pode liberar da cabeça para baixo, como deveria ser. O bloqueio de meridianos pode ser localizado numa específica parte do corpo, área ou sistema e ainda afetar a região do chacra ou um sistema inteiro.

Resumindo, seu sistema de meridianos foi desenhado para expelir a pressão de diferentes formas, como explicado no Círculo da Graça. Em um sistema de fluxo saudável novas energias entram pelo lado dominante, circula pela Coroa e desce pelo lado não dominante jogando para fora a energia velha para ser liberada pelo pé e mão não dominante. Esse é o padrão normal. Circular em volta da cabeça é uma proteção para a Coroa a fim de impedir que bloqueios se instalem lá. Portanto, no topo do sistema de meridianos, há um círculo em volta da cabeça, como se você estivesse usando um chapéu onde a pressão bate e não pode ir além. É por isso que os derrames podem ocorrer nessa região após anos de pressão vindas de bloqueios em outras áreas do sistema, sem terem sido originados na cabeça ou cérebro.


A maior parte das pessoas não está consciente que bloqueios no corpo etérico podem persistir mesmo após a cura visível do corpo físico; cuidado e manutenção da aura são largamente desconhecidos. O corpo humano é altamente flexível, meus queridos e tem muitas formas diferentes de absorver combustível novo e liberar excesso de pressão. Embora muito da energia adquirida venha da cabeça, cada chacra é um vortex individual de energia, absorvendo diretamente energia em seu próprio nível de vibração, como plantas ao sol. Chacras bloqueados rodam cada vez mais devagar e podem até parar ou inverter seu giro. Quando começar com os exercícios do Círculo da Graça, por favor, iniciem com o padrão de bloqueio total. Imaginem a energia entrando pelo chacra da Coroa e descendo tanto por dentro do corpo como pela sua aura, como uma chuva dourada da cabeça aos pés. A aura muda de padrão conforme a necessidade a qualquer momento – comece pelo sistema de bloqueio total e deixe seu corpo mudar, quando estiver pronto, para um bloqueio alternante. Quando isso ocorre você vai sentir que a parte superior do corpo libera para os braços e isso permitirá que a parte inferior libere para as pernas. Esse alternar entre superior e inferior irá continuar até que pressão suficiente tenha sido liberada para que a aura retome seu padrão normal.

O padrão final usado pelo corpo pode ser chamado de bloqueio reverso, onde a pressão vai reverter sua direção para ser liberada pela
saída mais próxima. Por exemplo, uma torção no pulso da mão direita (em um sistema dominante) pode liberar através do chacra da mão direita, que é um caminho bem mais curto do que ir pelo braço direito, circundar a cabeça e descer pelo braço não dominante para liberar pela mão esquerda. E também tenham em mente que qualquer bloqueio perto de uma saída irá impedir que bloqueios atrás dele se movimentem. Se esse braço direito tem uma torção no pulso e uma no cotovelo, o bloqueio do pulso deve ser liberado primeiro de forma que o trauma no cotovelo possa descer e sair. Se isso não acontecer, a pressão vai para onde?
Chacras da garganta e coração, meus queridos. Se os meridianos não estiverem livres para fluir, os chacras dessa região tornam-se lentos em função da inabilidade para liberar excesso de pressão.

Portanto, há casos de pessoas que sentem dor ou sensibilidade em locais que nunca sofreram traumas. Resultados de exames serão negativos, nada será encontrado. Nós dizemos que cada pontada, cada dor, cada disfunção no corpo tem uma razão de ser. Se não há evidência física, então o bloqueio é etérico. Por exemplo, uma pressão pode se formar na Coroa que nunca apresentou qualquer lesão. No entanto, uma cirurgia no joelho 20 anos antes pode ter deixado um bloqueio impedindo que a energia descesse pelos meridianos da coxa e passassem pelo joelho. Portanto, o tecido da coxa pode ficar dolorido, às vezes quente, ainda que não apresente nenhuma causa diagnosticável ou tratável, enquanto que o joelho fica livre de qualquer sintoma, sendo ele o único culpado aqui. Há muitos casos em que a informação dada pelos pares de chacras não é suficiente para explicar a sintomatologia. Deve-se entender o padrão de liberação de energia dos meridianos para entender que bloqueios estão causando e quais os sintomas. Um último aspecto que gostaríamos de pontuar é que a aura se auto purifica de forma metódica, na verdade há um mecanismo interno que descarrega pressão pelos meridianos através do seu sistema nervoso físico e se recupera com energia nova enquanto você dorme. O seu corpo é um sistema auto pressurizado e que se auto mantém – nunca há perda sem ganho. É por isso que com uma dieta adequada, exercícios e boas horas de sono, você dobra sua expectativa de vida física. Se vocês soubessem meditar com as mandíbulas relaxadas desde crianças e estivessem conscientes dos cuidados e manutenção da aura, teriam descoberto que qualquer dano ao corpo físico, grande ou pequeno, pode ser liberado por caminhos não invasivos antes que o acúmulo desses danos comecem a perturbar a harmonia de suas funções físicas.


Sim, estamos falando sobre envelhecer!

Queridos, acidentes à parte, "sucumbir" a uma doença não tem que necessariamente acontecer! Pode ser prevenido. Quanto mais vocês explorarem a energética do corpo humano mais vocês mantém essas energias afinadas, mais vocês viverão. Sim, o modelo adâmico original compreendia uma expectativa de vida de 1000 anos. Vocês podem achar que estamos brincando mas em algumas gerações vocês compreenderão e abraçarão esse conceito. Finalmente dizemos que felicidade não é simplesmente um estado mental. Uma perspectiva positiva, não é apenas mais uma ferramenta. Alegria é uma vibração específica que harmoniza o corpo rumo à perfeição. Medo e raiva são também vibrações específicas que umedecem seu sistema imune, interferem na digestão e afetam negativamente na química do seu corpo. “Não se preocupem, sejam felizes!” é a nossa prescrição para vocês. Ser feliz, rir das coisas, eleva a química do seu corpo por 6 horas. Ficar enraivecido também afeta essa química pelo mesmo período. Portanto, estar conscientes dos seus humores é o primeiro passo para controlá-los. Escolher quando, onde e como expressar sua energia o colocará no controle de sua vida e sua saúde.

OS VÓRTICES: OS CENTROS DE PROCESSAMENTO ENERGÉTICO - Chakras

OS VÓRTICES: OS CENTROS DE PROCESSAMENTO

ENERGÉTICO:
chaxyG1

Na natureza em geral, quando num ponto determinado do espaço operam certas forças, observa-se formação de redemoinhos. Exemplo disso são as trompas marinhas, furacões (twister). São precisamente a forma dos VÓRTICES que se observam no corpo etérico do ser humano. A quantidade é enorme, quase incontável, mas variam em tamanho e importância. Visto de cima (de frente) um vórtice é circular, com correntes visíveis e espiraladas, com média de 8 voltas em espiral – mas varia de um vórtice para outro - (lembra um ralo de um pia quando a água se esvai, circulando) Chakra vem do sancristo, quer dizer RODA. Visto de lado, num corte lateral ele parece um cone, uma corneta, e as correntes como se fosse a ranhura (rosca) um parafuso, a boca ou o ápice fica na quarta camada etérica cerca de 4 cm da pele e vai afunilando penetrando até o órgão físico.

A função técnica de um vórtice é transferir energias externas que circulam na quarta camada para dentro dos órgãos, a nível de bio-psico-espiritual. Cada nível de energia opera com seus respectivos centros ou circuitos, e, tratando-se dos vórtices localizados no corpo etérico, as transferências energéticas serão as apropriadas que correspondem a modalidade.

Os vórtices são classificados segundo seu tamanho, função e são assim conhecidos no mundo espiritualista: Magnos, grandes, médios e
pequenos.



VÓRTICES MAGNOS:





2




- São os de maior importância, Estão vinculados com importantes zonas ou órgãos do corpo humano. São aqueles que se dá maior importância para os trabalhos e desenvolvimento espiritual. Um vórtice Magno possui cerca de 3 a 8 cm de diâmetro.





chakra4

Vórtice Coronário:
- Situado na Zona Superior da Cabeça, como uma COROA, o talo deste vórtice termina no interior do cérebro dentro da glândula PINEAL.

Vórtice da Hipófise:
- Situado entre as sobrancelhas (frontal), seu tala enerva-se (raízes), passando pela zona média da glândula, continuando até terminar no espaço entre a 1ª e 2ª vértebras cervicais. (obs: Somente clarividentes experimentados, podem observar durante um longo tempo essas intrínsecas ramificações).


Vórtice Laríngeo:
- Situado na base do pescoço, tem relação direta com a glândula tireóide, seu talo abre-se como o pé de uma taça.


Vórtice Cardíaco:
- Situado na zona cardíaca, tem sua localização encima do mamilo esquerdo, penetra o coração e termina entre 1ª e 2ª vértebras dorsais



Chacrasvortices21Vórtice Solar:
Situado no plexo solar, ligeiramente acima do umbigo, este vórtice é composto por três bocas como se fosse uma
dentro do outra, estão superpostos, o primeiro tem a boca na quarta camada (Solar externo), o segundo tem a boca na terceira camada (Solar Médio) e o terceiro na segunda camada (Solar interno). Em situação de repouso eles parecem um só visto de cima, mas em situações particulares eles se separam abrindo um para cada lado, visto de cima pode estar alinhados, ou formando uma figura triangular, podem se movimentar de acordo com a situação energética, os talos tem uma complexidade no interior do organismo, em suas várias ramificações, mas terminam todos entre a 8ª e 9ª Vértebras dorsais da coluna vertebral.


Vórtice Hepático:
-Situado na Zona interior do fígado, seu talo atravessa o fígado se interpenetra com o vórtice Solar ramificando-se, terminando entre a 1ª e 2ª vértebras lombares.


Vórtice Sacro: - Situado na zona do mesmo nome, o vórtice radico, seu talo atravessa o plexo pélvico, o hipogástrico e termina entre a vértebra sacra e a primeira coccígea.



VÓRTICES QUE ABSORVEM E EXPELEM ENERGIAS:

O grau, intensidade e tonalidade das cores varia, o tamanho também varia muito de um ser para outro, dependendo da atividade do indivíduo, do seu grau de desenvolvimento. É muito raro encontrar um ser humano com todos os seus vórtices magnos equilibrados.

Todos os vórtices magnos exceto o LARÍNGEO tem atividade aferente ou seja: 6 absorvem energias externas. É bom observar que os vórtices não são exclusivamente mas sim predominantemente aferentes. No caso do laríngeo trata-se de um vórtice aperiódico, ele é eferente expulsivo, sua função consiste em descarregar, expelir, eliminar os resíduos energéticos da maioria dos outros vórtices. O vórtice da zona hepática tem as duas funções tanto aferente como eferente, outra importância do vórtice do baço, por sua boca estar situado na esfera astral e não na etérica.

Um vórtice em repouso, é opaco e apresenta-se um pouco caído, quando em atividade, aumenta em tamanho, cor, luminosidade e o vórtice se ergue.

Radiações de Cada Vórtice:

- Cada vórtice tem sua força em particular, as radiações principais (tipos diferentes de energias), tipo efeito estroboscópico são:

1 - Coronário: 12 a 16 tipos;
2 - Hipófise: 8 tipos;
3 - Sacro: 7 tipos;
4 - Laríngeo: 6 tipos;
5 - Cardíaco: 4 tipos;
6 - Solar: 4 tipos;
7 - Hepático: 3 tipos.

Quanto as cores, basta lembrar dos conceitos de física quântica, a velocidade e a freqüência. Conforme a velocidade com que giram as partículas nas espirais vorticianas, tem-se uma coloração determinada, tonalidades ou brilhantes ou opacas, por isso que as cores dos vórtices possuem variações, que ao longo da evolução espiritual, essas cores mudam a tonalidade. Combinações de energias compostas, criam outras tonalidades, umas mais complexas do que as outras.

VÓRTICES GRANDES:

São os vórtices que seguem em ordem decrescente de tamanho relativo aos magnos. Temos vórtices grandes nas palmas da mão, nos cotovelos, nos ombros, na bacia, nos joelhos, nas plantas dos pés. O tamanho destes vórtices depende da atividade do indivíduo, um maratonista terá os vórtices dos joelhos, bacia e planta dos pés ativos. Um pianista, um pintor, escultores, ourives, possuem os vórtices das palmas das mãos desenvolvidos.

É errado supor-se que o vórtices grandes tem menos importância, apesar de serem em números maiores, em volta do vórtice coronário existem 5 vórtices grandes, formando o conjunto sonomedular. Este vórtices possuem sua própria complexidade e costumam realizar uma ponto entre um e outro. Como exemplo temos nos magnetizadores, psicógrafos no qual a energia desce pelo coronário, vai até o ombro, é levado ao cotovelo até as mãos.

VÓRTICES MÉDIOS E PEQUENOS:

- Os Médios são chamados de Satélites por sempre circundarem os vórtices Magnos, forma círculos ao redor. Já os pequenos são em grande quantidade, pode-se dizer que a tantos vórtices pequenos quanto os poros da pele.

ENERGÉTICA HUMANA ASTRAL: ENERGIA MAIS SUTIL:


Numa ordem superior de sutilização energética – série de valores de freqüências cada vez mais altas, chegamos na energética humana astral, que é designada por sua correspondência com as radiações cósmicas dos astros, como estrelas e planetas, pelo menos com o sistema solar.
Por tratar-se de energia astral, seu plano é o astral, já a energia etérica é mais densa, é sua manifestação é na natureza física, onde temos o sólido, liquido, gasoso, pastoso, vaporoso, plásmica e etérica (eletromagnética).

É preciso compreender esse processo, já que cada modalidade de energia possui suas própria modalidade de manisfestação, oriundas do próprio meio. No caso do corpo etérico
ele é o intermediário entre o corpo astral e o corpo físico, mas suas manifestações são no plano etérico ou eletromagnético da natureza.

VÓRTICES ETÉRICOS x VÓRTICES ASTRAIS:

Os vórtice do corpo etérico se manifestam dentro desta zona etérica e física, eles não trabalham com energias astrais. As energias astrais pertencem a outro grau de sutilização da energia.

Para cada estrutura física ou etérica existe um duplo manifesto no plano astral, então é preciso saber que o corpo astral possui o seu equivalente em vórtices astrais, eles estão inter-relacionados com os vórtices etéricos. Cada vórtice etérico possui relação com outro homólogo astral, existindo um intercâmbio energético entre ambos.

Para cada vórtice etérico seja ele magno, grande, médio ou pequeno, existe um relacionado no astral. Num despreendimento corpóreo, entre o corpo astral e corpo físico, o corpo etérico fica no corpo físico e uma cópia do duplo etérico segue com o corpo astral, essa cópia de energia própria mas de natureza astral, possui os vórtices (chakras) semelhantes ao duplo etérico.

Mas quando os corpos estão coincidentes os enlaces entre esses dois vórtices (chakras) se dá a partir do núcleo que fica bem no meio do vórtice que é constituído estruturalmente (corte lateral): bocal, afunilamento e talo, em torno de 8 cm (vórtice magno). O núcleo de um vórtice fica bem no encontro do afunilamento com o talo, praticamente no meio, anatomicamente fica no situado rente a pele física.

Os prolongamentos energéticos dos dois vórtices (astral e etérico), se dão pelo mínimo por dois canais: um de natureza astral, e outra de natureza etérica. O funcionamento é sempre da energia transmutada do vórtice etérico para o vórtice astral, e energia especializada do vórtice astral remetida para o vórtice etérico. Somente nos seres rudimentares observou-se um só conduto de uma só via. A energética astral, é a mesma energética contida em todo cosmo, por isso sua importância de valor energético. (Obs: Vinardi definiu o nome de astral interno, para todas suas observações clarividentes deste plano).

PERIETÉRICO (COMBUSTÍVEL) E ENERGÉTICA EGÓICA:
Dentro do campo que chamamos astral interno, as energias mais nobres (as mais sutilizadas que cada ser humano possui como resultado da metabolização e transmutação de energias de planos mais densos) são as que se denominam egóicas.

Tais energias correspondem aos valores vibracionais mais altos (maior energia quântica), e normalmente se encontram no campo superior, isto é a partir da zona do plexo cardíaco para cima, tomando como referência o organismo humano. A biopsicoenergética, chama de “energia perietérica” trata-se de uma substância sutil particular. Por suas características e comportamento poderíamos chamar de COMBUSTÍVEL do corpo e da vida, utilizado no PLANO ETÉRICO. A energia perietérica está situada entre o corpo astral e o corpo etérico, mas os sentidos de giro são diferentes o corpo etérico e o corpo astral giram no mesmo sentido, já o perietérico tem o giro ao contrário.

Cada ser humano quando nasce trás um QUANTUM de energia perietérica ou “combustível” que vai se consumindo a medida que o tempo passa ou seja a espessura vai diminuindo com o passar dos anos. Numa criança a espessura é cerca de 50 a 60 cm. As energias perietéricas em seu consumo acompanham o corpo físico que vai envelhecendo celularmente, quando não se renovam-se as células, o perietérico começa a faltar nos órgãos vitais e esses entram em falência.


Fonte: • Biopsicoenergética
Autor: Livio Vinardi
Edições só em espanhol e Inglês.
http://www.espiritualismo.hostmach.com.br


OUTROS CHAKRAS:

CHAKRAS GRANDES:
Chakra Umeral: Fica nas costas, na altura da omoplata esquerda (entre e sobre o pulmão esquerdo. Indicado pela letra ‘D’ na figura acima). É o chakra espiritual, pois através dele que as energias se conectam. É o chakra mediúnico e de proteção, porque equilibra as energias positivas e negativas em excesso. É um gerenciador energético. É através dele que recebemos, em primeiro lugar, todos os contatos espirituais. É composto de 02 hélices ou pétalas que giram no sentido horário quando captam energias (incorporação) e no anti-horário quanto repelem energias (desincorporação). Tem coloração variável, mas o azul claro e o verde são predominantes. Oscila entre as outras matizes de acordo com a energia que está sendo captada.

Chakras das Mãos:
Localizados na região central das palmas das mãos. Caracterizados por estarem numa região terminal do corpo, denotam ponto de entrada ou escape de energia. São os chakras de ativação mais fácil e seguro, sendo que sua ativação permite o desenvolvimento da capacidade de sentir energias sutis e também de sentir a aura. Manipulação energética. São pontos de entrada ou escape de energia.

Chakras dos Pés:
Localizado nas solas dos pés, sua finalidade é descarregar energia elétrica (estática) gerada pelo corpo físico (Um dos pés a energia é aferente = Conduz de fora para dentro. No outro é eferente = Conduz de Dentro para fora), como também a absorção prânica. Aterramento. Relação com a Mãe Terra. Estabilidade em geral.

Chakra do Joelho:
Atua como um transformador, regulando a quantidade de corrente que deve entrar no corpo. Aprendendo e ensinando. Flexibilidade em lidar com grandes quantidades de energia.

Os Chakras do Bico do Peito:
Nutrição/Responsabilidade - Posição: Bicos do Peito: Esses chakras organizam energias que são relacionadas com a nossa nutrição - em todos os níveis possíveis - e a nutrição das pessoas das quais gostamos. Também organiza a maneira com que lidamos com a responsabilidade.

Os Chakras Yin/Yang (ombros):
Posição: No centro de cada ombro. A energia é direcionada para o céu. No ombro direito fica o Chakra Yang. No ombro esquerdo fica o Chakra Yin.
O Chakra Yang organiza o 1º, 3º e 5º chakras principais. O Chakra Yin organiza o 2º, 4º e 6º chakras principais. Os Chakras Yin/Yang trabalham com
os respectivos chakras principais relacionados acima, de forma semelhante àquela com a qual o 7º chakra trabalha com todos os chakras principais.

Os Chakras dos Tornozelos:
A flexibilidade de ficar centrado durante mudanças na vida. Flexibilidade em como ganhar a vida.

05.2.2.10 - O Pa Kua Superior:
Organiza o fluxo de energia para o tórax, ombros, braços, pescoço e cabeça.

O Pa Kua Inferior:
Organiza o fluxo de energia para as pernas, pélvis, espinha em geral e barriga.

Chakra do Timo e Alta Major
O chakra do timo é associado com a energia crística (situa-se entre o chakra cardíaco e o laríngeo); e o "alta major" é associado com a canalização (situa-se na parte de trás das nossas cabeças, abaixo da nossa região occipital).”

Chakra Void
“Cercando os chakras: umbilical e o plexo solar, está o Void que representa o princípio do mestre dentro de nós. Quando a Kundalini é despertada e passa através do Void, esse princípio do mestre é estabelecido:
“Assim, como diz Shri Mataji, na Sahaja Yoga, você se torna seu próprio guru. É capaz de se livrar de tudo que o escraviza, tornando-se o seu próprio mestre.”

Câmara Secreta do Coração
“Este é o Chakra Secreto ligado ao oitavo raio, ele tem oito pétalas, situa-se atrás do chakra do coração. Este é o lugar sagrado de Deus no homem, é aqui que se encontra o altar secreto do nosso Santo Cristo Pessoal. Neste altar podemos colocar tudo o que nos é mais sagrado como uma espada de luz ou um manto da invisibilidade.”

Chakra do Diafragma
Situa-se entre os chakras: cardíaco e plexo solar. Por estar relacionado ao plexo solar, está intimamente ligado às emoções, sendo assim, ele atua no equilíbrio das energias irradiadas e recebidas para os outros chakras. Fica no centro do peito, na linha dos mamilos e através dele podemos eliminar muito do lixo kármico que nos impede de atingir
nossos objetivos.

CHAKRAS ESPECIAIS:

Chakra Umeral
“Embora esse chakra seja imprescindível para o funcionamento da Psicografia Mecânica, ele é muito pouco conhecido e nem incluído está na relação dos chakras. É um chakra desenvolvido apenas em algumas pessoas. Seu formato é o de uma Lemniscata ("s", um oito deitado) e os antigos o descreviam como asas de seres iluminados.”
“Em equilíbrio tem a cor azul celeste. Quando estamos enfraquecidos a cor predominante é o amarelo. Esse chakra, tal qual todos os demais, situa-se na periferia do corpo físico que, por sua vez, envolve e extrapola o corpo físico em cerca de 5 a 10 cm e, está localizado em nossas costas. É ligado ao corpo físico através do correspondente plexo solar, e deste para os membros superiores (braços, antebraços e mãos) do corpo físico.”
“Localiza-se no terço médio da omoplata esquerda e, desenvolve a capacidade do paciente estar em contato com vibrações mais sutis e filtra essas energias. Fica exatamente a 180º do Chakra Cardíaco, ou seja, sai das omoplatas, enquanto que o Cardíaco sai do Timo.”

“Esse é um chakra extremamente importante para avaliarmos se estamos com algum problema espiritual. Ele mantém a nossa individualidade e depende do desenvolvimento do chakra do plexo solar, ou seja, da proteção do baço. Ele rege todas as energias que habitam o nosso espaço e as organiza.
Ele também processa as energias do ambiente e, filtra as energias densas que transitam no nosso campo energético. Quanto mais percebemos e desenvolvemos as nossas qualidades vibratórias, mais estaremos trabalhando o chakra umeral. Em uma leitura energética ele serve como um parâmetro para que possamos entender se o paciente está com algum tipo de contaminação energética. Basicamente esse chakra se desarmoniza por três fatores:

1) vivência de padrões pessimistas, negativos e derrotistas. Por exemplo: “tudo na vida para mim é difícil”, ou “esse tipo de coisa só acontece comigo”, “eu não mereço isso”, “eu não tenho capacidade para realizar essa tarefa”, etc.

2) quando a pessoa está tão desarmonizada (buracos áuricos), que acaba ficando exposta, vulnerável à energia dos ambientes ou pessoas com que se encontra, em que haja uma vibração não muito boa.

3) por energias intrusas ou espíritos obsessores. É importante que saibamos diferenciar quando uma desarmonia espiritual está relacionada com o chakra coronário que é por onde recebemos a energia cósmica ou com o umeral que conta o grau de vulnerabilidade que o paciente está em relação a energias negativas”.

“Na Psicografia Mecânica, o guia ou mentor espiritual faz a indispensável ligação magnética do seu corpo astral ao chakra umeral etérico do seu médium mecânico, o que lhe possibilita assumir o controle total dos braços, antebraços e mãos do corpo físico daquele seu médium. Conectado magneticamente dessa maneira ao seu médium mecânico, o mentor ou guia mediúnico pode utilizar as mãos do corpo físico daquele seu médium, para escrever o que quiser, souber e puder”.

“Dependendo da competência e da experiência tanto do guia mediúnico quando do médium psicógrafo mecânico, a caligrafia dessa escrita mediúnica poderá ser mais ou menos igual à que tinha o guia mediúnico na sua última encarnação.”

“É através da união deste chakra com os chakras:
laríngeo, coronário, plexo solar, umbilical e básico, que se permitem e proporcionam as ligações por fios, chamadas popularmente de incorporações.


Ele trabalha a proteção psíquica e é o responsável por toda relação mediúnica entre os planos Físico e Espiritual:
1 - Básico - obsessões sexuais e possessões;
2 - Esplênico - vampiros;
3 - Umbilical - sofredores e obsessores;
4 - Cardíaco – passistas (mentores) e efeitos físicos;
5 - Laríngeo - mentores, por psicofonia;
6 - Umeral - mentores por psicografia automática.”

7 - Os chakras frontal e coronário não permitem a incorporação de entidades espirituais, mas têm outras capacidades características, como vidência direta ou mental, visão astral, clarividência, etc.”

"Ao escrevermos, a informação passa primeiramente pelo cérebro. O mesmo não ocorre quando um médium psicografa automaticamente, usando braços e mãos, que estão sobre a influência de uma entidade espiritual. A ação se dá diretamente nos braços e nas mãos. Somente depois que o médium escreve, desenha ou pinta, é que toma conhecimento do que fez."


O Chakra do Anjo
"Esse chakra tem a ver com luz. Ele está associado com a manifestação do espírito dentro do corpo. Essa é a última área que se fecha nos humanos quando eles se tornam almas incorporadas, mesmo depois que o coronário e o frontal são fechados. Isso acontece com almas ou bebês ou entidades depois que eles nascem e é conhecido como moleira ou fontanela."

"Em alguns seres especiais essa área nunca se fecha.É a luz que está fluindo para dentro e a luz que está fluindo para fora. Se o ser é suficientemente evoluído, uma bela luz de arco-íris e cores texturizadas, fluem para fora — Madre Tereza foi um exemplo disso. Poderia ser descoberto em seu crânio que havia áreas onde os ossos
não se fechavam, pois sua luz era tal, que ela carregava a Luz do Mundo dentro de si e ela veio a partir dela para o planeta, criando um halo sobre ela. Tal é o caso de outros seres que estão recebendo ensinamentos de outras galáxias, do logos solar, de diferentes entidades. Eles estão mantendo esse centro de energia aberto e utilizando esse chakra para puxar energia desses diferentes níveis, energia que os guia em seu trabalho intricado e interessante."

"É por intermédio dele que recebemos todas as instruções, sobre as muitas posições a tomarmos em dados momentos de nossas vidas, quando nos voltamos a auxiliar no processo da evolução planetária como um todo, ou seja, todos os códigos que recebemos e que inclusive modificam por completo o rumo de nossas vidas, por meio de nosso Eu Superior.

A função primária desse chakra é a codificação de mais luz no corpo, a manifestação do espírito. Uma função menor é ressoar os lobos frontais e outras porções do cérebro. Podemos começar a expandir nossa capacidade cerebral, conforme a inteligência aumenta e as conexões multidimensionais ocorrem.

Em última análise, nós usaremos 100 por cento do cérebro, em nossa marcha evolutiva para uma consciência superior.

O chakra do anjo é um centro energético localizado na cabeça entre o terceiro olho e a coroa. Fica na fontanela, a moleira da cabeça dos bebês, e é um centro relacionado com o manifestar do espírito e da luz no corpo. Essa luz pode ser percebida tanto quanto energia quanto como informação, portanto o chakra do anjo é um centro onde a orientação dos espíritos ou anjos pode ser acessada. As informações acessadas nele pertencem ao verdadeiro propósito de um indivíduo de incorporar neste planeta. Esse chakra trabalha com as funções superiores do cérebro; particularmente com os lobos frontais. Ativar o chakra do anjo pode aumentar a capacidade do indivíduo para usar mais de seu cérebro para a consciência multidimensional — telepatia com uma das capacidades semelhantemente miraculosas tais como a manifestação do pensamento na matéria.”

“A consciência do chakra do anjo é importante para todos que trabalham com mudança de freqüência. Sua ativação traz mais luz para nosso ser e nos ajuda a acessar a comunicação com os nossos níveis superiores de consciência. A finalidade desse chakra é trazer mais luz para os corpos sutil e físico. Sua ativação também nos conecta com nossos guias e mentores espirituais. Quanto mais começarmos a trabalhar com esse chakra, mais iremos receber assistência adicional, tanto nas mudanças de freqüência pessoais quanto planetárias. Esse chakra está associado às atividades superiores do cérebro e ao acesso de diferentes freqüências de consciência. Quando sintonizado o cérebro, ativa-se através da malha sináptica, a glândula pineal, liberando substâncias neuroquímicas específicas ativadas por harmonias específicas”.

“Finalizando, este é um novo chakra que nos possibilita, na medida em que o ativemos, muitas mudanças no que diz respeito à ampliação de nossa sensibilidade e ao aclaramento da nossa visão psíquica, facilitando assim nossa direção quanto ao nosso caminho de volta ao Lar.

Ele facilita uma comunicação mais direta com os nossos mentores e com todas as sabedorias profundas. A ativação desse chakra incorpora muito mais luz ao nosso canal de luz, nos proporcionando a abertura de níveis de consciência que sequer imaginamos
existir e, que nos facilitam a comunicação com planos superiores, facilitando assim a nossa cura sob quaisquer circunstâncias”.

CHAKRAS DA CABEÇA:

1° Chakra - Cálice – Energia Interrelacionamento de Universos
“Sua cor é verde esmeralda e púrpura. Localiza-se aproximadamente 20 cm acima da cabeça na direção da coluna. Ele filtra e purifica as energias cósmicas dos 12 Raios, regulando-as e permeando-as para o uso nos campos energéticos humanos. Funciona como um receptor de energias. Ajuda a tornar-se uno com o planeta e com o cosmos.
Traz a consciência de outras dimensões e reinos da natureza, como o reino elemental e expressões não físicas do eu.”

2° Chakra - Chispa – Essência Onipresença
“Sua cor é verde e azul. Localiza-se aproximadamente a 50 cm acima da cabeça. Seu elemento é “AYAM” - “Eu Sou”. Sua função é de irradiar o Amor Universal.
Seu símbolo é uma estrela de 6 pontas, contendo em essência, todas as qualidades dos 12 Raios Sagrados.

No centro, reside a Chama Trina, representando a Trindade Solar ou Logos. Gera infinitas imagens criadas magneticamente em outras dimensões.”

3° Chakra – Plexo Logos – Cosmos Transfiguração
“Sua cor é madrepérola. Localiza-se aproximadamente a 70 cm acima da cabeça. Sua função é trazer a Luz das dimensões superiores para os planos de energia mais densos. É esse raio de Luz Divina que faz a conexão do Eu Superior, que é a própria Luz com a chama Trina, “AYAM” – “Eu Sou”. Faz a perfeição das polaridades masculina e feminina.”

4° Chakra - Superior – Mônada
Onisciência – O nível do nosso Grupo de Alma
“Sua cor é laranja-rosado, localiza-se aproximadamente a 90 cm acima da cabeça. Seu elemento é o Eu Superior. Sua função é ancorar a própria Luz Divina, alinhando todas as dimensões dos 4 corpos inferiores. Supera o trauma. Liga o corpo de luz do ser humano com a consciência cósmica.”

5° Chakra - Fusão - Eterno
Libertação - O nível crístico e do nosso Eu Superior “Sua cor é o dourado cintilante. Localiza-se a um metro e meio aproximadamente acima da cabeça.
Representa a consciência cósmica. Capta energias cósmicas, mais sutis. É transformativa, que transforma todas as formas e energias do corpo humano.
Relaciona-se com o corpo Eterno e contém Tudo O Que É, o UM.”

Os Chakras e os Doze (12) Sistemas - 1ª PARTE . O Corpo Etérico. Os corpos sutis. O Corpo de Luz. OS VÓRTICES: (Chakras) na Visão Mística Ocidental

Chakras e os Doze (12) Sistema

chakrasgd


1 Chakra - Chakra Aterramento

Este chakra começa sob os pés e para fins de aterramento alma em forma. Este chakra tem componentes múltiplos e energia se move em torno do campo em um complexo sistema de rotação para manter a alma ancorada no centro da forma e do campo ou corpos sutis. Este chakra inclui os pés, joelhos e quadris, juntamente com chakra raiz e sete conjuntos de chakras que se estendem desde os pés até a aurora, no centro da terra.


2 Chakra - pélvica ou Chakra Sexual Energia
Este chakra começa na pelve, mas inclui um fluxo de energia complexas conhecidas como a energia sexual e kundahlini. O kundahlini corre até a coluna através do sistema nervoso, ea energia sexual é um conjunto de lótus triplo que giram através dos quadris e nos pés, entre os quadris e na região do coração e do coração sobre a cabeça. Apesar de ancoragem, a energia sexual pode se expandir para incluir uma região de um quilômetro ou mais, conforme necessário para fins de serviços mundiais, ou ao ensino e à cura. Este chakra também continua a permitir que o corpo emocional para transmitir emoções para o formulário e em seguida, transfere as emoções do coração através do fluxo de energia sexual.


A região pélvica chakra também se expande para incluir um centro para a alma e as informações relacionadas com um de tapeçaria de ancestralidade. Essa informação está na posse da alma, em vez de dentro da forma de dissuadir contra manipulações aí. Soul contém as informações ancestral e fica dentro de uma cavidade de novo sobre o tamanho de um quarto na pelve, e transmite as informações necessárias linhagem conforme necessário para fins de liberação cármica, juntamente com a coleta de informações como novo ancestral é liberado dentro da cicatriz ou decadência da forma durante o ato de ressurreição para os templos de cura para a ascensão.


Pélvica Lotus

Existe uma flor de lótus que se abre na região do segundo chakra. Este lótus estende para fora até 100 metros em torno de um início. O lótus energiza a metade inferior do trabalho da rede para sustentar a terra para o centro da terra. O lótus se abre para um total de 250 pétalas que trabalham juntos em grupos de 12, como o plano para 6000 é de 100% incorporado no plano físico.

3 Chakra - Plexo Solar ou Power Chakra -
Este chakra regula alimentação e inclui um complexo fluxo de energia que sustenta os limites em torno do corpo etérico do formulário, os chakras, os corpos sutis, juntamente com o corpo de luz e chakras global. É a partir do centro de poder que os acordos de um grupo de interacção com todos os outros, juntamente com o novo consenso para a ascensão são armazenados, e um comando que pode e o que não pode dançar com um de campo.


4 Chakra - Diafragma ou Sopro de Vida

Este chakra regula o diafragma e respiração consciente. respiração consciente não é apenas um diafragma desenvolvido que pode converter o oxigênio para o açúcar em um nível biológico, mas é também um fluxo de energia através do campo em que o chi e os incêndios são distribuídos como originários da região do coração e da alma através do trabalho da rede, chakras e do corpo sutil do formulário.




5 Chakra - Chakra do Coração.
O centro do coração governa o curso de comunicação da alma e do corpo através dos centros de comunicação do formulário. Tais centros de comunicação recolher informações de todos os quatro corpos sutis, juntamente com a alma e de orientação, juntamente com os anjos e depois comunicar tal à consciência ou subconsciente do formulário.
O subconsciente é uma realidade do sonho é durante o sono.

Neste momento e devido às mudanças no mapa para a ascensão de 6000 linhas é incorporado cerca de 30% no físico, os registros akáshicos e registros biológicos são movidos dentro do chakra do coração para a cavidade alma. A alma fica em uma cavidade, que abrange porções de direita e esquerda do coração. Soul mantém registos de passá-los para a forma e divas como necessários no ato de ascensão. Isso também ajuda a contornar as manipulações inerentes ter esses registros fora da forma e na região do pescoço.


Coração de Lótus

O fluxo de energia de um complexo multi-botões pétala de lótus nas iniciações de 6000, que continua a crescer em tamanho como se atinge a plena consciência de conter 1000
pétalas. Em 6000 fios, tem um quarto das pétalas completamente formada ou cerca de 250 pétalas fluindo em conjuntos de 12, que se inter-relacionam tanto como uma flor. Esse conjunto complexo de flor como padrões permite alma para abençoar a Terra e todos aqueles com quem se entra em contato como se tem acordado. Tais pétalas e sua circulação de energia se estendem até 1000 metros a partir do formulário



6 Chakra - Chakra da Garganta
Este chakra regula a comunicação que faz com que as trocas de energia entre os seres humanos ou entre os planos de comunicação da Terra e de um formulário. Isso também é um fluxo complexo de energia que envolve a comunicação permanente e constante de intenções para os efeitos de uma ascensão de continuação ou manifestação de um propósito de alma no físico ..


7 Chakra - região occipital da cabeça
Este chakra governa o sonho que se inicia em tecer as iniciações de 3000. Até 6000 linhas, o sonho é grande o suficiente para suspender a 10 ovos fluxo de energia em forma de pé na parte de trás do pescoço. É o chakra occipital que governa e dirige o fluxo de energia do sonho do Bodhisattva.

O chakra occipital também sustenta a qui de todo o campo em equilíbrio. A exigência de chi em uma forma cristalina e de trabalho da rede cristalina é muito maior do que épocas
anteriores em sua dança de vida e, portanto, um chakra inteiro agora se dedica a acompanhar o movimento da energia de forma tal que todas as partes da forma são igualmente energizados para sustentar a vida e bem-estar das células.


Na física, a região occipital contém o tronco cerebral que regula o sistema nervoso autônomo, que mantém o sangue circulando, o coração batendo, o trato intestinal em movimento, o sistema digestivo que se deslocam, se deslocam a linfa e assim por diante. Tais sistemas biológicos estão relacionados com a circulação do chi no trabalho da rede da forma que são regidas por este chakra novo.


8 Chakra da glândula 8 - Pineal
Este chakra recolhe chi do sol e da luz e transcreve-lo para as vibrações necessárias para sustentar a forma de trabalho e dinamizar a rede de forma adequada para sustentar o seu nível de evolução. Tomando o tempo a cada dia com os olhos fechados e de frente para o sol, enquanto a intenção de absorver a energia para o trabalho grade conscientemente activar o chakra 8 recolher chi e transferi-lo para a região 4 chakra a ser distribuído por todo o campo e forma. Se alguém se sente excessivamente cansado, vai para o sol é uma boa prática e deve contribuir para re-energizar o campo inteiro eo corpo etérico. Ele geralmente requer apenas 20 minutos de exposição direta de luz solar para satisfazer os requisitos a qui de um formulário de 6000 filamentos de DNA.

Nos tempos antigos, era comer menos necessário. Os humanos juntaram suas chi do sol através de tais práticas. Nos templos de ascensão, como os templos eram, muitas vezes em lugares de sol em curso para fins de adicionar mais chi para abastecer uma de expansão. Pode encontrá-lo menos necessário comer muito ou muitas vezes por meio desta prática, no entanto é um desejo por certos alimentos substâncias ainda seguem as necessidades biológicas para fins de transmutação de ascensão.

9 Chakra - Hipófise
Este chakra governa os chakras de pequeno porte que existem por todo o trabalho da rede do corpo etérico. Um deles é para sempre abrir novos meridianos e chakras como ainda em outras partes do trabalho da rede são abertos e re-energizado medida que se sobe. Após o início 6000 é incorporada a 30% no físico, o chakra para controlar o pequeno sub-sistema de meridianos e chakras em todo o trabalho da rede torna-se necessário, e este é o propósito do chakra da 9.

Na física, a glândula pituitária é a glândula mestra que fabrica e controla todas as substâncias ascensão em todo o formulário. Ele está em contato constante com o tronco cerebral e timo para assegurar que a forma tem a quantidade certa de cada produto químico necessário continuar a transmutar o corpo em ascensão.


10 Chakra - Chakra da Coroa
Este Chakra é uma biblioteca de mestre do conhecimento espiritual. Muitas vezes o cérebro é tão debilitados na limitação da corrente de forma que mais o conhecimento é armazenado no cérebro não-físicos do que na fisicalidade do formulário. Porém, através de uma canalização pode aceder ao conhecimento e não-físicos, tais como falar necessários em um único papel de vida.

Em essência, Mila compreendida anos atrás, que a ascensão levaria muito tempo para trazer totalmente em estrutura física. No entanto, como um canal de talentoso, pode-se expressar a sabedoria sem o grande cabeça de seus ancestrais antigos e do cérebro que foi contida, o que permite a sabedoria do Bodhisattva ser expressos para fins de ensino, cura ou à esquerda. Isso tem funcionado tão bem para ela que isto se tornou uma parte do mapa de Bodhisattva para todos os outros a seguir.

O chakra 10 é um fluxo de energia complexo que inclui até 1000 chakras que conectam o Bodhisattva à própria origem e sustenta a conexão através do movimento contínuo de energia. Muitas vezes inicia sentem desconectadas e não é raro ter os chakras acima da cabeça quebrada em uma troca cármica. Um reconstrói o seu sistema durante a noite devido à reformulação encontros cármica permitem continuar a subir.

Coroa Lotus

Muito parecido com o coração ea região pélvica, uma flor de lótus multi-pétala se abre na copa de 6000 é incorporada a 30% no físico. Estas pétalas crescer a ser de 250 pétalas em número como um encarna 6000 100% ao projecto e permite uma maior comunicação entre um curso de origem e de alma e de uma forma física e consciência.



Side Chakra 11 - Canal de Direito Telepathic - Masculino
Este chakra rege as informações recebidas através da comunicação telepática com os reinos não-físicos. Às vezes, essa comunicação virá através de canalização em directo, em vez de ser "ouvido" na mente ou no ouvido. No entanto chakra inteiro para governar a comunicação não-físicos é criada pelo início 6000, como está consignado de 30% no físico
para permitir uma maior consciência do sonho consciente. Este chakra é permitir que cada um tornar-se mais sintonizado com os planos não-físicos ao redor da Terra, junto com a mãe Terra e todos os reinos aí, para efeitos de partilha, comunhão, e orientação.


Este chakra junto com o chakra 12 também rege o lado masculino e feminino das vibrações tem uma circulação de energia, juntamente com o formulário. Há um intercâmbio contínuo de energia entre os lados direito e esquerdo e do lado masculino ou feminino do corpo etérico, corpos sutis, juntamente com cada região do chakra. Este chakra junto com o chakra 12 mantém o equilíbrio no lado direito e esquerdo do formulário em todo o fluxo de energia nela

Side Chakra 12 - Canal de Esquerda Telepathic - Feminino
Este chakra regula a transferência de todos os registros e informações da própria ascensão pessoal dos arquivos da Terra e do templo de ancestralidade humana em uma base contínua. Este chakra também está ancorada em início de 6000 está consignado de 30% para a física. Esta aceleração do ritmo da ascensão tem uma lançando discos dia e noite e este chakra governa este fim de permitir a retransmissão para ser de 24 horas por dia ao invés de estritamente durante reformulação em dreamtime. Pode-se comparar isso ao fato de que a pessoa começa a ser continuamente reformulado após o início de 6000 por uma alma e fonte.

yinyang11



Chakras 11 e 12 trabalham em conjunto para manter o equilíbrio entre os lados masculino e feminino da forma com uma dança da vida, ou o movimento entre os tempos de existência e actividade que se deslocam para fora. Em tempo de meditação, esses chakras expandir permitindo uma maior conexão com uma fonte.




O Corpo Etérico chakraunificado

O corpo etérico libera todos os laços elétrica com base na subida 3000-6000 vertentes. Isso exige que todas as assinaturas de propriedade para ser liberado na íntegra. assinaturas propriedade originado no ascensões incompleta dos deuses falsos ou mestres ascensos. Cada uma dessas ascensões incompleto utilizadas as matrizes para tentar passar para a próxima dimensão, as matrizes foram misturadas com o trabalho da rede de tais mestres ascendente através de um tom particular e de circulação de energia. Como o mestre ascendente cresceu em tamanho, o tom ea circulação de energia associada com as matrizes cresceu e cresceu, conectando seus seguidores para as matrizes. O qui da seguinte perdeu para promover a ascensão do guru. É por esta razão que, com a ascensão dos seres humanos como, mais próximo da seguinte morreu. Isto é como assinaturas de propriedade veio a ser.



Como seres humanos subiu bastante dessa maneira, as assinaturas de associados que permitiu uma relação com as matrizes globais tornou-se forma-pensamento. Como tons elétricos eram inerentes às matrizes, elétrica forma-pensamento tornou-se predominante. É eléctrico forma-pensamento que faz com que os extremos da polaridade, tais como o bem e o mal, o certo e o errado, e assim por diante. Foi através de ascensões de tal forma que a humanidade caiu em dogma, como forma de se relacionar. As matrizes e dogma ou anti-matéria são todas relacionadas, como a elétrica forma-pensamento que a humanidade depende hoje é fundada sobre a vibração da antimatéria.

Antimatter furos furos em questão e as causas do envelhecimento, enfermidade, doença e morte.


Muito tempo atrás, Riza interposto por 27 assinaturas associadas com ascensões incompleto e relacionado a elétrica forma-pensamento. Pode-se abrir o arquivo pdf "propriedade assinaturas" para ver essas assinaturas. A maioria inicia vai achar que eles estão relacionados com 1-8 dessas assinaturas. Todos os anexos no corpo etérico terão 07:59 destas assinaturas sustentar a fixação no lugar. Pode-se utilizar a linguagem da luz para dissolver as assinaturas de propriedade furado no corpo etérico, que terá o efeito de
liberar a penhora associados.


Attachment também está relacionada às máquinas doença. máquinas doença é uma oitava abaixo das matrizes para todos os intentos e propósitos. Em essência, inicia ascendente há muito tempo que criou o ascensões mais incompleta criada uma ligação entre as matrizes e os seus seguidores, reforçando os mecanismos da doença e Innana Merduk havia criado em sua guerra de um sobre o outro. Foi através da conexão com seu trabalho seguinte, através da grade de máquinas doença que a ascensão incompleta de gurus como foi lançado, foi também através de uma ligação de que a doença tornou-se a seguir e, finalmente, morrer, sacrificando-se para o seu guru.

A subida ao Bodhisattva exige a retirada de todas as máquinas da doença e matrizes, juntamente com o acessório elétrico para pessoas, lugares ou objetos. Essa rede de trabalho é, então, novamente tecida dentro do corpo etérico para permitir que as partes relacionadas da forma que tem deteriorado ou com cicatrizes de se tornar cristalina. inicia nível Bodhisattva transcender todas elétrica forma-pensamento como a assinatura da propriedade passado é liberada dentro do corpo etérico e os trabalhos relacionados grid novamente tecida dentro.

Como elétrica forma-pensamento é transcendido polaridade extrema, também é transcendido, como parte da dança da vida. Isso torna possível uma expressão de vida alegre, que é desprovido de dor, raiva e medo associado com a electricidade. Uma vai também enfrentar um desejo de morrer, pois a subida ao Bodhisattva requer a superação da morte ea emergência de uma biologia regenerativa que não envelhece. Por conseguinte, inicia também enfrentar seu medo da morte, e, a transcendência, a compaixão mestre em ação, juntamente com um plano de regeneração biológica.




Os corpos sutis corposutil

Os corpos sutis do nível Bodhisattva iniciar-se em tamanho maior e muito mais refinado e equilibrado do que na subida para 3000. Em geral a, inicia dominar Bodhisattva deve aprender a ter igual tamanho corpos sutis, a fim de manter saldo suficiente em um determinado dia. Muitas vezes, é como um ou
mais corpos sutis desinflar da energia que o campo do início começa a oscilar.
Por isso, é boa prática para equilibrar os corpos sutis durante a meditação e tempo de síntese, pretendendo cada um tem proporções iguais de chi.

Como o Bodhisattva aprende a vencer todos os quatro corpos sutis em igual tamanho, peso e qui, a compaixão é dominado. Compaixão é um estado de espírito em que se sente, percebe e intui, línguas e manifesta ou cria ao mesmo tempo. O julgamento é o resultado de uma separação entre mental e emocional, junto com as energias intuitivo e criativo. Como mental, emocional, intuitivo e criativo são igualmente ponderada e equilibrada, a pessoa aprende a função de compaixão para
com todos os outros e todas as outras formas de vida.



O Corpo de Luz




O corpo de luz do Bodhisattva se expande em torno de início 5500 para se tornar um símbolo de integridade, ou em outros termos, uma segunda esfera triplo é adicionada acima da primeira, e os dois conjuntos de esferas triplo girar em torno de uma outra criando um fluxo de energia ainda maiores. O corpo de luz é um dublê de corpo, e possui uma versão maior do corpo etérico e todos os chakras. É o corpo de luz que se pode viajar dentro do sonho durante reuniões ou para fins de pesquisa de informação em torno de uma subida. Devido ao desvio do curso do corpo de luz entre os iniciados ascendente, movimento do corpo de luz tem sido restringido nos últimos meses para o mínimo necessário para subir, e escolta especial são obrigados a desengatar a partir do navio etéreo.

É o corpo de luz que une a energia fotônica que emanam do Grande Sol Central e utiliza essa energia para girar os chacras maiores que sustentar a campo áurico global. O campo áurico do Bodhisattva expande para estar fora da órbita da Lua, sobre boarding solar tornando-se na natureza. É também o corpo de luz que funciona como uma ponte de informação de uma alma, oversoul e fonte para o vaso físico e a consciência do formulário.


Sumário

Terra espera que essa informação dá início a cada uma idéia adequada das mudanças energéticas levando a evolução Bodhisattva nível. Entender que o caminho para Bodhisattva é apenas parcialmente esculpido. O mapa de 3000, em comparação está completo o suficiente para liberar os seguidores mapa a partir deste mês. Por isso, haverá mudanças adicionais para o campo e forma como os escultores mapa continuar a esculpir o mapa para Bodhisattva para toda a humanidade a seguir.

O campo dos consciência plena realização ou além é 18 vezes mais complexo do que o campo do Bodhisattva, e 18 sistemas de energia adicional para suportar um fluxo de energia universal empresas. É por esta razão que é irrealista acreditar que tenha atingido um tal estado de ser a data. Talvez um será capaz de discernir mais facilmente agora, onde um está dentro de seu próprio caminho de ascensão, com base nas informações compartilhadas.


http://www.ascendpress.org/articles/transmissions4/anatomyenergy.htm



OS VÓRTICES: (Chakras) na Visão Mística Ocidental :

BIOPSICOENERGÉTICA


chakravortice






Livio Vinardi fundou a biopsicoenergética entre as décadas de 1950 à 1960 (considerada uma paraciência, como a bioenergética, psicotrônica, parapsicologia, biônica, psicofísica, metafísica). Doutor em Ciências Físicas, engenheiro eletrônico, Professor em Buenos Aires, musicólogo (toca piano), parapsicólogo. Clarividente foi discípulo
Kenrichi Sakurai onde aprendeu e Sistema Esotérico mais conhecido como o quarto caminho, desenvolveu através de sua clarividência a leitura dos corpos sutis do ser humano, da Aura e dos sistema de Vórtices (Chakras).

VORTICES: Órgãos canalizadores da Energia Sutil.

Segundo Lívio Vinardi os vórtices são os mesmos Chakras da ioga oriental. São órgãos de importância fundamental para manutenção da saúde tanto biológica como psicológica. Os vórtices não são o reflexo do funcionamento dos órgãos físicos, na realidade eles canalizam as energias prãnicas, são centros energéticos.

A tensão ou potencial elétrico que alimenta todo o sistema nervoso é extremamente baixa: 0,l volt. Para se ter uma comparação, uma pilha elétrica, do menor tipo, produz 1,5 volt, ou seja, 15 vezes mais em potência. O baixo valor, entre outros fatores, torna particularmente difícil a medição com intrumentos científicos. Baseando-se nas leis físicas, pode-se estabelecer que todo o organismo vivo possui um corpo eletromagnético que emerge da circulação de correntes elétricas através de redes nervosas. Vinardi defendeu esta tese em bancas acadêmicas na sua dissertação de microondas.


TRÊS ORGANIZAÇÕES CEREBRAIS DO SER HUMANO:



percepcaoextrasensorial

A biopsicoenergética distingue no ser humano 3 estruturas organizacionais que são: o encéfalo, o conjunto de plexos e a coluna vertebral, embora todas elas configurem um único sistema nervoso, apresentam diferenças que permitem considerar tal subdivisão. Dessas 3 organizações o conjunto de plexos apareceria como um “cérebro”, um tanto disperso por setores, embora unidos na sua
totalidade; as outras duas organizações são mais fáceis de visualizar (pela clarividência).

Pelo fato de que em todas as partes das três organizações cerebrais circulam correntes bioelétricas, tem-se em todas as partes a existência de campos magnéticos resultantes das ondas ou impulsos bioelétricos. Dito
de uma forma mais técnica tem-se campos eletromagnéticos, que constitui grande parte do corpo etérico. Os centros de atividade estão localizados, como é lógico, nas zonas onde o tecido nervoso é mais concentrado, já que ali existirão maior quantidade circuitos e correntes elétricas. Isto permite situar os centros de atividade em correspondência com as 3 organizações cerebrais e as glândulas de secreção interna. Nestas zonas existirá uma relativa maior atividade eletromagnética.

Entre as infinitas energias externas, algumas impressionam nossos sentidos. Tais energias, provenientes do mundo circundante, são constituídas por vibrações, reações químicas e /ou fenômenos físicos, e em cada caso, emitem sinais particulares.

Os órgãos sensoriais se denominam, genericamente, transdutores primários. Um transdutor é um conversor de energia; no caso que estamos estudando, todas as transformações levam à forma elétrica. Para diferenciar os estímulos ou sinais do mundo circundante (energias externas) conforme a sua modalidade, freqüência ou tipo estabeleceu-se o que se segue:

Fótons: Energias (estímulos) que incidem sobre o órgão da VISÃO dando a sensação de LUZ e CALOR. Do grego Fotos = Luz.

Fónons: Energias (estímulos) que incidem sobre o órgão da AUDIÇÃO. Do grego Fonos = Som.

Osmons: Energias (estímulos) que incidem sobre o órgão do OLFATO. Do grego Osmos = Odor.

Gêusons: Energias (estímulos) que incidem sobre o órgão do PALADAR. Do grego Geuson =
Paladar.

Áfenons: Energias (estímulos) que incidem sobre o órgão do TATO. Do grego Afe = Tato.

Termóns e Rigons: Os que se relacionam respectivamente com os estímulos de calor e frio
(do grego termos = Calor).

Pelos itens acima podemos supor a complexidade e vastidão de energias sutis envolvida, cada uma com sua vibração e sua medida específica, com um transdutor externo individualizado.

Um dado interessante para exemplicar: O simples fato de mudar o olhar (a visão) de uma lado para o outro, verificam-se 500 reações e combinações químicas originadas pela variação das cargas de fótons sobre a retina. Cada uma dessas reações comporta uma carga elétrica.


O QUE VÊ A PES (PERCEPÇÃO EXTRA SENSORIAL):


telepatia



O conceito de densidade em física, expressa a relação entre a massa de um corpo e seu volume. Nos estados conhecidos e ponderados da matéria existem diversos graus de densidade. Por analogia deve-se admitir que também nos estados etéricos deve existir diversos graus de densidade.

O que os clarividentes podem observar e descrever em relação ao CORPO ETÉRICO
humano (Corpo eletromagnético).

Observam-se 4 camadas ou 4 distintos graus de densidades em relação a energética humana. Cada camada tem aproximadamente 1 cm cada uma ( imagine uma cebola cortada ao meio).
A camada mais densa, que interpenetra e ultrapassa ligeiramente o organismo; a seguir em ordem decrescente de densidade, a segunda mais sutil, a terceira mais externa e mais sutil e a quarta a mais externa. Para se ter uma idéia a camada mais densa que é a primeira, é mais sutil que o éter ambiental, através da qual se propagam as radiações, a luz, o calor, etc.
Verá com melhor nitidez esse site, com os navegadores Mozilla Firefox ou Google Chrome.

Obrigada, pela visita. Beijos de luz violeta na alma.

Tempo real da Terra e da Lua