25/12/2012

Hidromel a bebida mais antiga do mundo - Histórias e receitas


 
 


 















Afinal de contas, o que é o Hidromel?
O Hidromel é popularmente chamado de “vinho de mel”, aliás, errôneamente chamado. O termo “vinho” é corretamente designado aos produtos de fermentação da uva, mas devido a fatores históricos e climáticos, mais precisamente da região norte da Europa, o termo “vinho de mel” foi empregado como uma forma de rivalizar a bebida com o vinho tradicional da uva, uma vez que o plantio da fruta não encontrava condições climáticas propícias naquela região. Seu modo de produção varia conforme a receita ou em algumas regiões, mas o básico mesmo consiste em uma parte de mel pra duas de água.
O fantástico método de produção do Hidromel
Conforme dito anteriormente, o Hidromel é obtido pela transformação dos açúcares do mel em álcool. O mel deve ser colhido “maduro” (extraídos de favos completamente operculados), com um teor de umidade por volta de 20%. essa umidade ainda não é suficiente para se iniciar uma fermentação, mas um ligeiro aumento de 2% é suficiente para se iniciar o processo. É justamente aí que o método de fabricação da bebida se torna interessantíssimo. A técnica visa facilitar a ação de organismos microscópicos conhecidos como Saccharomyces cerevisiae, organismos estes que estimulam a multiplicação dos fermentos presentes no ar, no pólen e no próprio mel, o que acelera a transformação do açúcar do mel em álcool.
Mas ainda não acabou. para se alcançar a fermentação adequada e o teor de álcool desejado (cerca de 12%), a inversão da proporção mel/água é obrigatória, ou seja, 80% de água e 20% de mel. Além disso, a adição de sumos de frutas e sais minerais também se mostra necessária, visto o baixo valor protéico do mel. O processo todo leva cerca de 80 dias para se concluir e com um pouquinho mais de paciência ela pode ficar ainda melhor. Isso porque se deixarmos a bebida envelhecer condignamente em barris de carvalho, por exemplo, o resultado é extraordinário (segundo fabricantes, o tempo certo de envelhecimento nesses barris gira em torno de 1 a 3 anos).
barril Destilando: Hidromel
Um pouco de História
A história do Hidromel é rica, e é bem provável que sua fabricação e consumo se date antes mesmo do vinho, e certamente antes da cerveja. Diz-se que a primeira menção histórica da bebida ocorreu em um dos hinos da rigveda, o documento mais antigo da cultura hindu (1700-1100 a.C). Aristóteles e Plínio também foram “pop-stars” da história que já mencionaram o Hidromel.
Os gregos (sempre os gregos) também se embreagaram muito com a bebida, e a chamavam de “melikraton”. Já os Romanos a chamavam de “agua mulsum” (não, nada a ver com o nosso saudoso “cacildis”… apesar desse ter gostado muito de um mé).
Celtas, saxões e até os maias eram grandes apreciadores da bebida, mas há de se destacar os Vikings como os grandes beberrões do Hidromel, sendo classificada como “a bebida dos Deuses” pela mitologia nórdica (Odin qui butô pra nóis bebê).
vikings1 Destilando: Hidromel
A origem do termo “lua de mel”
O termo que define a (única) parte boa do casamento tem associação com o Hidromel. Reza a lenda que os casais recém-casados deviam ingerir a bebida durante o primeiro ciclo lunar após as bodas, porque assim o filho nasceria macho. nascia então a “lua de mel”.
O hidromel e a cultura pop
Por ser definida como uma bebida consumida pelos deuses nórdicos, ficou fácil incluir o Hidromel em obras literárias e no cinema. diversos autores como J.R.R Tolkien (autor de O senhor dos anéis e O hobbit),  J.K Rowling (autora de Harry Potter) e C.S. Lewis (autor de As crônicas de Nárnia) fizeram menções sobre a bebida em suas famosas obras, inclusive as três aqui citadas ganharam versões cinematográficas. E por falar em cinema quem já assitiu A lenda de Beowulf sabe o que eu tô falando. Todos os guerreiros ficavam alucinados em porres Homéricos de hidromel.
4297 beo t Destilando: Hidromel
Sua história é encantadora e até certo ponto romântica, o que permitiu encaixá-la em diversos contos, lendas e obras literárias. Nas obras de J.R.R.Tolkien, George R. R. Martin, Keveny Sousa, J. K. Rowling, C. S. Lewis, Bernard Cornwell, Patrick Rothfuss, Christopher Paolini, entre outros, são feitas menções a esta bebida.O Beowulf também recomenda, assim como o Harry Potter. Caso ainda não esteja convencido, lembre que ela é conhecida como a bebida dos Deuses da mitologia nórdica, e contrariar os Deuses não me parece uma atitude muito inteligente. rsss...

É uma bebida alcoólica fermentada à base de mel e água, sendo utilizados, em geral na sua produção, uma proporção de uma parte de mel por duas de água, mas pode variar conforme a receita ou a região de produção. Consumida desde a antiguidade, sua fabricação é anterior à do vinho e seguramente à da cerveja.
 
Além de ser consumida em Roma e na Grécia Antiga, outras culturas antigas consumidoras desta bebida foram os celtas, os saxões e os vikings. Também era conhecido o consumo de uma bebida similar pelos maias.

Na Mitologia Nórdica, o hidromel aparecia como a bebida favorita dos deuses.
 
Sua origem não é precisa e os arqueólogos a separam entre Oriente e Ocidente, com registros em diversas culturas e povos como gregos, romanos, nórdicos, indianos, africanos e chineses, que consumiam fermentados de mel e arroz. A bebida foi pulverizada no Mundo e até os Maias a consumiram na Guatemala e no México.

Mas se noutros tempos o mel foi um artigo de luxo - e consequentemente seus derivados não eram acessíveis para boa parte da população - o hidromel da atualidade pode se tornar uma bebida bastante difundida, sobretudo no Brasil. Segundo a Embrapa, nosso país "apresenta características especiais de flora e clima que, aliado a presença da abelha africanizada, lhe conferem um potencial fabuloso para a atividade apícola".

Apesar de não ser das bebidas mais fáceis de encontrarmos para comprar, com uma rápida busca pela internet podemos localizar um bom número de produtores no Brasil como os das marcas Milenar, YGGDRASILL, Yulnaishtar, Valkiria e Alma Rústica.

Hoje em dia utiliza-se leveduras específicas, assim como na fabricação de cervejas. O teor alcoólico varia em geral de 8% à 18%, mas esse percentual pode chegar a 30%. Seu sabor apresenta variações segundo o tipo de mel, a técnica empregada ou mesmo pela adição de especiarias. Semelhante ao vinho, podemos encontrar classificações diversas de hidromel: seco, suave, semi-seco, licoroso, espumante... e tal qual o vinho, seu preço também poderá variar bastante.

Curiosidade
Existia a tradição de que os casais recém-casados deveriam consumir esta bebida durante o primeiro ciclo lunar após as bodas para nascer um filho homem. Daí surgiu a tradição atual da lua de mel.



Receita de Hidromel

Existem diversas receitas de hidromel, mas esta é uma receita retirada de um livro de receitas de 1842, escrito à mão, e traduzida no ‘Livro Mágico da Lua’, de D.J. Conway. Como pode-se ver pelos ingredientes, trata-se de uma receita grande para sabbats em grupo e demora para ficar pronto.

Ingredientes:

- 2 kg de mel novo
- 50 ml de água
- 1 punhado de alecrim
- 1 punhado de tomilho
- 1 punhado de louro
- 1 punhado de roseira brava
- 2 ou 3 punhados de malte moído
- tostadas com levedura
- 45 g de cravos
- 45 g de noz-moscada
- 45 g de macis

Procedimento:
Ferva o mel novo na água. Coe bem. Acrescente os punhados de alecrim, tomilho, louro e roseira brava. Ferva a mistura por uma hora, pondo-a em seguida num tonel com o malte moído. Mexa até estar tépido e coe num pano passado para outro tonel.
Espalhe um pouco de tostadas com levedura e despeje o líquido. Quando o hidromel estiver coberto de levedura, despeje em uma pipa. Amarre os cravos, os macis e a noz-moscada num saco e pendure na pipa. Feche a pipa por seis meses e engarrafe. Certifique-se de que todos os recipientes foram esterelizados antes do uso. (Receita tirada do jornale.com.br/wicca)

Os preços dos nacionais que encontrei variam de R$25 até R$50 a garrafa de 750 ml.
Onde comprar (em muitos casos não há uma loja virtual e a encomenda deverá ser feita por e-mail):

Hidromel Milenar hidromelmilenar.blogspot.com.br
IGGDRASILL www.hidromelyggdrasill.com
Yulnaishtar yulna.com.br
Alma Rústica almarustica.com
Hidromel Valkiria (www.costibebidas.com.br)


Outros metodos de preparar o Hidromel

1)Método clássico

água - 3 lt
mel - 1 kg
canela e flor de noz-moscada, ambas em pó, e casca seca de laranja amarga, de cada - 3gr

Leva-se tudo ao lume numa panela de ferro esmaltado e mexe-se com colher de pau até principiar a fazer espuma.Passa-se para um barril e mantém-se mal tapado, em lugar abrigado - e de preferência morno - para fermentar em sossego.
Terminado o período de fermentação, trasfega-se para garrafas, que se guardam bem rolhadas.Estará nas condições ideais de consumo passados dois anos.

2) Método rápido

Água - 3 lt
Mel -900gr
Água de rosas - 100ml
Corante vermelho em pó - 1/8 de colher de café

Dilui-se o mel na água, filtra-se por papel-filtro e incorpora-se a água de rosas com o corante diluído.
Deve ficar com um bonito tom rosado.

Doze Mitos do Natal


Doze Mitos do Natal

1. Príncipe Albert inventou a árvore de Natal. Quase. A árvore que a rainha Victoria e ele montou para seus cinco filhos em 1848 foi retratado no Illustrated London News e o costume, ainda aí vista como uma importação germânica, foi retomada pelas classes prósperas. Mas outro consorte real, esposa de George III, Carlota de Mecklenburg-Strelitz, tinha feito a árvore de Natal uma característica da vida na Corte de 1761.



2. Visco foi proibido de Igrejas. Como Steve Roud aponta em seu aprendi O Ano Inglês, não há nenhuma evidência de visco ser banido por lei de Igrejas, nem mesmo que ela foi usada em 'pagãs' aduaneiro na Inglaterra. Plínio (no primeiro século dC) descreve Druidas nas colheitas de visco com uma foice de ouro, mas isso foi nos séculos Gália antes os anglo-saxões invadiram a Bretanha. 

3. Decorações devem descer em 6 de janeiro. Até o século 19, as pessoas iriam manter as decorações de azevinho, hera, caixa, teixo, louro e visco-se até 02 de fevereiro, Dia da Candelária, o fim da época de Natal, 40 dias após o nascimento de Jesus. Robert Herrick, em cerimônias de seu poema para Candlemas Eve escreve, 
     Abaixo o alecrim e baías,
     
Abaixo o visco;
     
Em vez de azevinho, agora se-raise
     
Quanto mais verde caixa, para a mostra.No reinado de Victoria decorações desceu ao dia de Reis, 6 de janeiro e, geralmente, foram queimados. 


4. 06 de janeiro é o Natal ortodoxo. Os ortodoxos celebram o Natal em 7 de janeiro pelo nosso calendário, porque seu calendário não incorpora as reformas gregoriano do século, o 16. Durante alguns anos, o calendário tinha apenas 12 dias à deriva, e sua 25 de dezembro caiu em nosso 06 de janeiro. Isto é, quando, no Ocidente, a Epifania cai, a festa da descoberta do menino Jesus pelos três homens sábios ou magos. Esta festa é importante para os ortodoxos, geralmente sendo chamado de Teofania. Mas eles serão celebrando-o em 19 de janeiro. 

5. Nós três Reis do Oriente São. Eles não são chamados reis na Bíblia, mas "homens sábios do Oriente" (Mateus 2:1). Eles são levados para serem reis, porque no profeta Isaías (60:3), ele diz: "E as nações caminharão à tua luz, e os reis ao esplendor da tua aurora".Eles são levados para três por causa de seus três presentes: ouro, incenso e mirra. O incenso significa a divindade de Cristo, uma vez que foi queimado no culto divino entre os judeus e no mundo pagão, também. Ouro representa a realeza e mirra para os sofrimentos futuros de Cristo, que foi oferecido vinho misturado com mirra para beber na Cruz, e cujo corpo foi ungido com mirra e aloés antes de seu sepultamento. Seus nomes vieram depois: Casper, Melchoir e Balthazar (o último geralmente representado como preto) são os nomes su-pplied no mosaico seis séculos na igreja de Sant-Apollinare Nuovo.
 


6. É ilegal comer tortas no dia de Natal. Uma lei de 08 de junho de 1647 declarou que "porquanto as Festas da Natividade de Cristo, a Páscoa e Pentecostes, e outros festivais comumente chamados Dias Santos, foram até agora usados ​​supersticiosamente e observado, seja decretado, pela Lordes e dos Comuns em Parlamento reunido, que o disse Dias Santos já não ser observado "(o que uma frase longa, você pode respirar novamente agora!). Mince pies não foram apontados. Em 1657, a diarista John Evelyn foi preso em um serviço proibido Santa Comunhão no dia de Natal e interrogado a respeito de porque ele "ousou ofender, e ser particularmente nas orações comuns, o que eles me disseram foi, mas o Masse em Inglês". As leis anti-Natal de interregno decorrido na restauração.


 

7. Papai Noel é americano. São Nicolau foi bispo de Myrna, no que hoje é a Turquia. Mas a sua metamorfose em Papai Noel foi de fato realizado nos Estados Unidos, em grande parte através da popularidade de um poema: A Visita de São Nicolau, conhecido desde a primeira linha como a noite antes do Natal, publicado anonimamente em 1822 por Clemente C Moore, um sacerdote da Igreja Episcopal de Nova York, até então mais conhecido como um estudioso do hebraico. Ele incorporou costumes ligados pelos holandeses com a festa de São Nicolau, 6 de dezembro. (Para as palavras de "A Visita de São Nicolau", veja: http://holyjoe.org/poetry/moore.htm)

8. Papai Noel é o mesmo que o Pai Natal. Havia personificações de centenas de Natal de anos atrás, Sir Natal ou de Pai Natal. Em um manuscrito do século 16 não é uma canção de beginnning "Nowell, Nowell, Nowell, Nowell." "Quem está lá singest que assim, Nowell, Nowell, Nowell?" "Eu estou aqui, Sir Christesmasse". "Bem-vindo, meu senhor, Sir Christesmasse".
 

9. Nowell significa "boas novas". Nowell é uma palavra cheia de mal-entendidos. Ela vem através do francês antigo natalem Latina (acusativo), "aniversário", referindo-se ao nascimento de Cristo. Ele não vem de nouvelle, os franceses para "nova".Foi usado há séculos é o Inglês como uma exclamação de alegria, não só em canções (onde ele sobrevive), mas também em circunstâncias não relacionadas com o Natal (como no lar acolhedor de Henrique V de Agincourt). Somente no século 19 ele chegou a ser usado (na forma noel) como sinônimo de 'Carol'. 
10. Adeste Fidelis é uma canção antiga. Algumas canções medievais são em latim, mas as palavras de Adeste Fidelis são encontrados em um manuscrito que data de apenas 1750, escrita por John Wad, um estudioso do cantochão. Supõe-se que ele inventado. As palavras foram traduzidas para o Inglês por Frederick Oakeley em 1841.'Carol' estava em primeiro o nome de uma dança, e as canções que foram com a dança passou a ser chamado canções também. Eles não eram de todo limitada a assuntos de Natal, tocando sobre o amor, a mortalidade, a devoção à Santíssima Trindade, a guerra, canções de ninar e da Virgem Maria. Há uma abundância de manuscritos do século 15. A frase 'Christmas Carol' aparece em um livro anterior impresso, vendido por Wynkyn de Worde, o colega de Caxton, no início do século 16.
11. O Bom Rei Wenceslas olhou para fora. A festa de Stephen é Boxing Day, e Wenceslas existia. Ele era conhecido como Vaclav para os boêmios 'que ele governava e foi assassinado por seu irmão em 929AD. Ele é o santo padroeiro da República Checa, por isso não há discussão com "bom" o adjetivo.Grande parte do restante vem da caneta prolífico de John Mason Neale, que publicou as letras em 1853 para ir com uma melodia medieval que ele tinha em que originalmente tinha montado uma canção sobre a primavera. Tempus adest floridum ( Tempo de Apresentação das Flores), que foi impresso em uma coleção chamada piae Cantiones em 1582. Embora a base histórica está faltando, é cruel, como alguns têm hymnologists, para chamar versos Neale "cômicas". 


12 cartões de Natal originalmente tinha temas religiosos: Em 1843, John Calcott Horsley, pintor, desenvolveu um cartão de Natal para a venda de Sir Henry Cole, o grande projetado e fundador do Museu Victoria e Albert. Os cartões foram litografada por Joseph Cundall, eram coloridos e vendidos a preço elevado de um xelim cada. O primeiro cartão vendeu 1.000. A imagem era de alegria da família, é não uma cena religiosa.



Fonte: http://jennybsspace.blogspot.com.br/2011/12/twelve-myths-of-christmas.html 

Os mitos do Natal "razão para a estação"

O Solstício de Verão 2012 chegou aqui no dia 21/12/2012. O Solstício de verão, ou Litha dentro das festividades pagãs, é a data ... pelo calor e tempestades de verão aqui no hemisfério sul, comemor Yule Então um dia perfeito para falar sobre o real "razão para a temporada."
E aqui está o verdadeiro primeiro Natal questão: Por que todo o alarido sobre dezembro de 25?
Para começar, nunca os Evangelhos mencionam uma data precisa ou até mesmo de uma temporada para o nascimento de Jesus. Como, então, vamos resolver em 25 de dezembro?
Se uma luz brilhante só saiu em sua cabeça, você está ficando quente. É tudo sobre o sol.
Nos tempos antigos, um popular festival Saturnalia romanas célebres, um feriado de Ação de Graças, como marcar o solstício de inverno e honrar Saturno, o deus da agricultura. As saturnais começou em 17 de dezembro e enquanto durou apenas dois dias no início, que acabou por ser estendido para um período de uma semana, que perdeu a sua importância agrícola e simplesmente se tornou um momento de alegria geral. Até mesmo os escravos receberam liberdade temporária para fazer o que quisessem, enquanto os romanos festejavam, visitou um outro, velas acesas e deu dons. Mais tarde mudou-se para homenagear o oficial romano deus Sol conhecido como Sol Invictus ("Sol Invicto") e do solstício caiu em 25 de dezembro.
Dois outros importantes deuses pagãos populares na Roma antiga também foram celebrados em torno desta data. O romano eram grandes em adotar os deuses dos povos conquistados. Mitra, um deus persa da luz que foi o primeiro popular entre os soldados romanos, adquiriu um grande culto na antiga Roma. O nascimento de Átis, outro deus agrícola da Ásia Menor, também foi comemorado em 25 de dezembro. Átis morre, mas é trazido de volta à vida por sua amante, uma deusa cujo templo mais tarde se tornou o local de uma basílica importante honrar a Virgem Maria. A propósito, o símbolo de Átis era um pinheiro.
Velas. Dom. Pinheiros. Deuses morrem trazido de volta à vida. Hmmm. Isso soa familiar?
Todas as semelhanças entre Saturnália e esses outros feriados romanos ea celebração do Natal não são coincidência. No século IV, o Papa Júlio 1 atribuído 25 de dezembro como o dia para celebrar a Missa de massa de Cristo-nascimento de Cristo. Esta foi uma jogada de marketing inteligente que convenientemente evitou o problema de eliminar um feriado já popular ao converter a população. A maioria de nossas tradições de Natal refletir a fusão de rituais pagãos, crenças e tradições com o cristianismo. Os Padres da Igreja sabiam que não poderiam converter as pessoas, sem permitir-lhes manter alguns de seus antigos festivais e rituais para que permitiria que eles se eles podem ser conectados ao cristianismo. (Autoridades católicas discordam e dizem que data de dezembro foi obtido pelo somatório de nove meses para 25 de março, a Festa da Anunciação, o dia da concepção milagrosa de Jesus. Mas de onde veio essa data vem?)
A importância do solstício de inverno, então, é crucial para a compreensão não só a data de Natal, mas muitos dos outros "mitos" desta temporada.
Enquanto estamos falando de datas, o ano exato do nascimento de Jesus é também um mistério. O namoro sistema que usamos é baseada em um sistema inventado por um monge em torno de 1500 anos atrás e está seriamente danificada. O Rei Herodes histórica que ordenou o massacre dos inocentes morreu em 4 aC (ou AEC, Antes da Era Comum). O "censo" ordenado pelo Imperador Agostinho não está registrado na história romana, mas um censo local teve lugar na província romana da Judéia, em 6 AD (ou CE, da Era Comum). É que tudo perfeitamente claro agora?

30/08/2012

A Rara Magia da Lua Azul


Vera Denise Nascimento










A Rara Magia da Lua Azul
Dentre os treze Esbats ao longo do ano solar, uma vez a cada dois anos e sete meses acontecem as LUAS AZUIS.


Relembrando, Esbats são os Plenilúnios, o dia de Plenitude de cada Lua Cheia. A palavra Esbat deriva de esbattre - francês arcaico - que significa alegrar-se.


Lua Azul é a segunda lua cheia dentro do mesmo mês. É um fenômeno raro e há remotos tempos considerado de muita força magnética para a Terra.
Os Plenilúnios Azuis provavelmente começaram a ser cultuados entre os egípcios quando o calendário lunar que marcava o tempo a partir das fases da lua foi substituído pela contagem de tempo solar, com a introdução dos meses com média de 30 dias. Um mês terrestre tem em média 30,5 dias enquanto o mês lunar tem 29,5 dias.
A Lua exerce muita influência sobre a Água, portanto sobre o Planeta Terra e todos os seres. Atuando principalmente no corpo emocional. Acredita-se que o magnetismo raro da lua azul reforce o sentido da lua cheia e propicie a oportunidade do aumento da consciência diante das forças sobrenaturais reforçando assim o intercâmbio com planos e dimensões sutis de nossa psique e do tempo e espaço. A lua azul é “um tempo entre os tempos” em que a magia e poder facilitam alcançar “o mundo entre os mundos”. É uma lua de abundancia com a possibilidade de se colher muito mais do que se plantou. As magias e encantamentos têm muito mais poder e rapidez. Pensamentos e desejos são mais intensos e o próprio magnetismo de cada um de nós, seres humanos, tende a ser mais emotivo. Assim, qualquer desejo, pedido ou magia exigem muito mais cautela e responsabilidade.

Lua Azul de 2012– Plenilúnio em Peixes – Sol em Virgem
Peixes - signo de Água, da tolerância, espiritualidade e misticismo, profundidade, compaixão, sensibilidade, romantismo, passividade, fantasia, ambivalência, sedução e mistério, compreensão e dedicação; peixes é o signo que guarda o segredo do inconsciente e a chave para abrir os portais dos mistérios na natureza humana, capaz de mostrar mil facetas de si, ora na superfície das ondas, ora com mergulhos profundos na imensidão do mar da inconsciência.   Virgem - signo de terra: do discernimento, da ordem e organização, responsabilidade, serviço, segurança, análise e discriminação racional, do realismo e perspicácia, da aceitação da realidade com ela é, diferente de Peixes que é idealista. Virgem tem a capacidade de ordenar o caos analisando-o; esmiúça, avalia, cataloga, ordena e conclui a realidade nua e crua; explica os sentimentos e emoções de maneira racional.
A nona lunação anual é a união das energias de alguns aspectos de Água e Terra nos convidando a análises e avaliações de erros e acertos; mergulhos profundos no vasto mar inconsciente dos mistérios de nós mesmos e da existência; ao agradecimento e dádivas com alegria e arte.


31/08/12 - Lua Azul – Plenilúnio próximo a Sabbat Imbolc 01/08/12
Imbolc, Candlemas ou Oimelc: (a palavra significa “apressar-se”) o Festival dedicado ao aumento da luz e derrota do inverno. O despertar das sementes plantadas. Apesar da estação fria, os primeiros raios de sol começam a aparecer anunciando que o auge do inverno passou e o frio começa a se dissipar.
Acredita-se que a origem deste Sabbat tenha acontecido na antiga Irlanda em comemorações da deusa Brighid que era reverenciada como a “Noiva do Sol”. Imbolc simboliza a Deusa após o parto da criança solar – Sol – e sua transformação em Donzela.
Brighid é uma deusa tríplice do fogo, que rege a inspiração e metalurgia e a cura (poesia, profecia, artes, criatividade, os ferreiros, ourives e artesãos, a medicina, ervas, fertilidade e curas espirituais). Suas celebrações aconteciam com fogueiras, rodas solares, coroas de velas e rituais para despertar e ativar o fogo criador.
Os povos nórdicos “enterravam” a negatividade, dificuldades e agruras do inverno acendendo fogueiras e salpicando sal na terra como símbolo de purificação.
A energia deste Sabbat é marcada pelo despertar das sementes, os novos projetos, planos e desejos, a iniciação em novas atividades, um novo caminho espiritual, a celebração e renovação das energias, o renascimento material e espiritual. A busca de presságios para novas realizações. A reverência à força criativa que pode ser inspirada através da poesia, do canto, dança, desenhos, cerâmicas, artes e narrativas. As deusas associadas são as de cura, do fogo e da luz: Vênus, Pele, Sulis, Amaterasu, Brighid, Freya, Héstia, Juno Februa, Lucina. Os rituais reúnem guirlandas de flores e fitas, roda de velas, palhas de trigo e a Grain Dolly (boneca de palha de trigo que representa a deusa jovem vestida de noiva). Os cristais são o jaspe sanguíneo, âmbar, berilo, coral, estaurolita e quartzo rosa. As celebrações são realizadas com chás de ervas e pratos à base de leite, especiarias, ovos e salada de sementes e brotos.


Roda do Ano e os Sabbats relativos ao hemisfério norte

Sabbats
Festas
Hemisfério Norte
Hemisfério Sul
Samhain ou Hallows
Fim e Início de um Novo Ano
(quando o deus desce ao mundo subterrâneo – mistério, oculto, escuridão. A deusa então é Anciã)
31 de outubro
30 de abril
Yule
Solstício de Inverno
(renascimento do deus como filho da deusa. Deusa com aspecto pleno de Mãe)
21 de dezembro
21 de junho
Imbolc
Festa do Fogo (Luz e Sol)
(o deus e a deusa são jovens cheios de energia e promessas. A natureza e a vida se desabrocham)

1 de fevereiro

1 agosto
Ostara
Equinócio de Primavera
(a deusa é virgem, antecipação da união do deus e a deusa. A deusa como donzela promove a fertilidade da terra que floresce)  

21 de março

21 de setembro
Beltane
Fogos de Beltane
(Casamento do deus e da deusa)

30 de abril

31 de outubro
Litha
Solstício de Verão
(deusa grávida, toda natureza frutifica. O deus começa a mudar, tornar-se escuro, o sol distancia-se e a luz começa a diminuir)
21 de junho
21 de dezembro
Lammas ou Lughnassadh
Festival da Colheita – o auge da luz solar e o começo do seu declínio – sua morte
(o deus se sacrifica morrendo na colheita dos grãos, seu sacrifício garante o alimento e sementes para um novo plantio)

1 agosto

1 de fevereiro
Mabon
Equinócio de Outono
(a deusa é uma mãe amadurecida e sábia, o deus é presença sutil)

21 de setembro

22 de março

A freqüência de acontecimento, é de 1 vez a cada 2 ou 3 anos. As últimas luas azuis ocorreram em 31/05/2007 e 31/12/2009. A próxima lua azul deverá ocorrer em Julho de 2015, Janeiro e Março de 2018, Outubro de 2020, Agosto de 2023, Maio de 2026, Dezembro de 2028. O fato se dá devido ao ciclo lunar de 29.5 dias, o que torna possível que em um mesmo mês sua fase se apresente cheia por duas vezes. Fevereiro é o único mês que não pode ter a Lua Azul, mesmo em anos bissextos. Inclusive é possível um ano não ter Lua Cheia no mês de fevereiro, nesses anos, acontece uma Lua Cheia no final de janeiro e a outra no início de março, ou seja, 2 Luas Azuis no mesmo ano, em janeiro e março. Isto ocorre em média a cada 35 anos.
Existem alguns registros raros onde a coloração do nosso satélite foi realmente alterada. Um desses registros remonta aos anos de 1883, quando uma violenta erupção no vulcão Krakatoa, na Ilha de Java, Indonésia, lançou ao espaço milhões de toneladas de gases e poeira, fazendo com que a Lua, quando observada próxima ao horizonte, fosse vista em tons azulados. De acordo com os relatos, isso durou aproximadamente dois anos e foi testemunhado em todo o planeta. Em 1951, um grande incêndio nas florestas canadenses produziu o mesmo efeito que o Krakatoa. Fonte de pesquisa: Wikipédi e site da NASA: http://science.nasa.gov/science-news/science-at-nasa/2009/29dec_bluemoon/

“Todas as mulheres trazem em si a centelha da natureza divina dos ciclos da grande criação. Abrigam em sua natureza a essência e os mistérios da sabedoria das grandes e sagradas fases, representados nos grandes e pequenos Ciclos de Sangue, que marcam todas as grandes mudanças da mulher e as pequenas ao longo de cada mês. Quando essa consciência é compreendida, respeitada e reverenciada, a mulher tem então, o poder conquistado, alcançado e entra em sintonia com as mesmas deusas que regem a sacralidade feminina.”  (Vera Denise Nascimento)
_________________________________________________________________________
Celebração da Lua Azul
O conteúdo deste estudo foi escrito e elaborado por Vera Denise Nascimento para a Celebração da Lua Azul de agosto de 2012, realizada na Essence.
Fonte de pesquisas: estudos de Mirella Four, Wikipédia e site da NASA. Divulgue com os créditos.
Essence – Centro Integrado da Mulher
essence.centrointegrado@hotmail.com
Vera Denise Nascimento
Graduada em Educação Física, Pós-graduada em Parapsicologia, Especializada em Naturoterapia, Estética, Sexualidade Integrada e Radiestesia Clínica.
Verá com melhor nitidez esse site, com os navegadores Mozilla Firefox ou Google Chrome.

Obrigada, pela visita. Beijos de luz violeta na alma.

Tempo real da Terra e da Lua