29/01/2011

Pompoarismo

Pompoar é a habilidade de controlar a contração e o relaxamento da musculatura circunvaginal. Ao aprender a técnica, a mulher consegue controlar os três aneis circunvaginais separadamente, podendo incrementar o ato sexual apenas com o movimento de seus músculos. Embora para nós, ocidentais atrasadas, a técnica seja algo ainda muito pouco explorado, em países como a índia, ela é passada de mãe para filha, com o objetivo de aumentar o prazer sexual da moça e de seu parceiro.

Existem cursos que ensinam a chamada “malhação íntima”. Mas existem técnicas para se fazer em casa, para quem não achou uma boa professora ou quer tentar primeiro sem gastar nada. Uma delas é a de contrair e soltar várias vezes seguidas os músculos da região ao longo do dia, enquanto se escova os dentes, dirige, assite à aula, etc. Claro, há de se ter o cuidado de contrair apenas os músculos da vagina – se você tensionar junto a musculatura do ânus, não está fazendo direito. Para ter certeza de qual músculo exercitar, enquanto estiver fazendo xixi, tente interrompê-lo no meio. Esse músculo que interormpe o fluxo é o mesmo exercitado no pompoarismo. Você pode também, durante o banho, introduzir um dedo na vagina e tentar apertá-lo – com o tempo, o movimento torna-se natural.

Para as que desejam is mais longe, existem dois objetos usados nos exercícios de pompoarismo: o vibrador e o ben-wa. O vibrador dispensa apresentações, se você não sabe o que é, boa wiki-busca. O ben-wa são as famosas ‘bolinhas tailandesas’ – um ou mais pares de esferas auto-vibratórias ligadas por um fio. De acordo com a pompoarista Stella Alves, elas são usadas para “treinar os movimentos de sucção, expulsão e fortalecimento dos músculos circunvaginais. Os exercícios ajudarão você a identificar os três feixes de músculos do canal vaginal.” Mas atenção: não compre qualquer ben-wa vagabundo! As bolinhas devem ter o peso certo e uma distância correta entre elas, além de serem de material atóxico!

Stella também contou, durante uma entrevista, alguns dos movimentos que o pompoarismo possibilita. Pessoalmente, me parecem beeem interessantes…veja:
Revirginar: é contrair com tanta força o esfíncter vaginal, que é o músculo de entrada da vagina, o que impede ou dificulta muito a penetração do pênis/vibrador, possibilitando simular virgindade.
Ordenhar: é contrair individualmente os anéis circunvaginais de forma sequêncial, pressionando o pênis/vibrador, começando da entrada da vagina em direção ao útero, com força média.
Chupitar: é imitar com a vagina a movimentação que os bebês fazem com a boca quando estão mamando ou usando a chupeta.
Sugar: é chupar o pênis/vibrador com a vagina.
Massagear: o pênis/vibrador é massageado nas intensidades fraca, média ou forte.
Morder: é a pratica utilizada freqüentemente para retardar o orgasmo do homem. Consiste em contrair fortemente o anel circunvaginal que circunda o pescocinho logo abaixo da glande do pênis.
Guilhotina: é uma “mordida” com muita força.
Algemar ou agarrar: é contrair com tal força a musculatura vaginal, impedindo a saída do pênis/vibrador.
Expulsar: é quando a vagina expele o pênis, vibrador, banana, pepino, etc.
[leia toda a entrevista com Stella Alves aqui: GAS-BH]

Além das vantagens na vida seuxal, o pompoarismo fortalece os músculos pélvicos, evitando a queda de bexiga e de útero e a incontinência urinária. Em algumas, pode até diminuir a cólica menstrual.



Você já deve ter ouvido falar das lendárias prostitutas asiáticas que fumam cigarros e arremessam pequenos objetos com a vagina. Lenda? Não. Esta performance exótica é possível, através do Pompoarismo, uma técnica milenar originária na Índia, que consiste no fortalecimento da musculatura vaginal.

A prática de exercícios com a região pélvica é um costume difundido no oriente e assim que as meninas passam a ter uma vida sexual ativa, suas mães e avós transmitem esses conhecimentos.

Além da satisfação sexual do parceiro, que dependendo da técnica vivencia sensações distintas, o pompoarismo proporciona também o bem-estar da mulher. Os exercícios previnem alguns problemas relativos à maturidade, tais como a incontinência urinária, o afrouxamento muscular e o prolapso genital, vulgarmente conhecido como queda de bexiga e útero. Nos casos de vaginismo, a contração muscular vaginal que impede a penetração, a atividade também é válida.

Clássicos do cinema como Império dos Sentidos e Priscilla a rainha do deserto mostraram as exibições para o mundo. Até hoje em países asiáticos como na Tailândia, por exemplo, turistas assistem a shows incríveis. Com exibicionistas fumando, apagando velas, atirando objetos, estourando bexigas usando dardos etc. Pompoaristas de exibição nos mostram do que é possível ter músculos fortes. Tornar-se poderosa.
A palavra pompoar ou pompoir é algo como “pulsar” , movimento natural que a mulher executa ao chegar ao orgasmo. O treinamento faz com que a mulher repita o movimento conscientemente. Aqui no Brasil, o ato de fortalecer os músculos pélvicos tornou-se conhecido por pompoarismo.

Exercício de Kegel

É registrado na história que, no início do século XX, gueixas japonesas e prostitutas tailandesas se apoderaram dessa "arte" para aumentar seus lucros, massageando o pênis de amantes e clientes com os anéis vaginais. Mais tarde, esta técnica ficaria conhecida como "pompoar", que significa "sugar".

Os exercícios logo foram identificados pelos profissionais da saúde e nos anos 50, o médico norte-americano, Arnold Kegel, criou um método semelhante para suas pacientes, que ficou mundialmente conhecido como "Exercício de Kegel". No início, ele recomendava às mulheres que contraíssem e relaxassem os músculos vaginais 500 vezes por dia. No entanto, ficou comprovado que essa freqüência era exagerada.

A sexóloga Cláudia Bueno indica essa série para quase todos os casos. "O exercício de Kegel tem como objetivo reduzir a incontinência urinária. Porém, os mesmos exercícios que fortalecem a uretra servem para a vagina", explica a sexóloga. "Há uma melhora do tônus muscular, da irrigação e, conseqüentemente, da percepção e do prazer da mulher", enfatiza.


Alguns exercícios


1º exercício básico:

Sente-se em uma cadeira (evite as poltronas), sua coluna tem que permanecer ligeiramente inclinada para frente, sem causar desconforto, mãos nos joelhos, pés paralelos. Inspire contraindo os músculos da vagina, como se segurasse algo dentro dela, conte até 30 e relaxe expirando. Repita esse exercício por dez minutos.


2º exercício básico:

Em pé, braços ao longo do corpo, mantenha os pés paralelos e ligeiramente separados. Contraia as nádegas e tente uni-las ao máximo que puder. Conte até dez e relaxe.


3º exercício básico:

Em pé, contraia e relaxe a musculatura da vagina, como se estivesse pulsando, faça esse exercício por dez minutos. Esses são exercícios fáceis, que irão tonificar a musculatura vaginal. Já na primeira semana, você perceberá maior sensibilidade. Continuando os exercícios, sua musculatura se fortalece


4º exercício básico parte1:

Deitada de costas no chão ou em um tapete (observe um que não escorregue) encoste os pés em uma parede contraia o ânus, abdome e vagina.


4º exercício básico parte2:

Mantendo a contração, suba lentamente os pés na parede até erguer o corpo, mantenha a contração anterior, apóie o peso do corpo nos ombros e conte até dez, relaxando a seguir.


Assim, com esses exercícios básicos, você estará fortalecendo a sua musculatura pélvica e abrindo as portas de um novo tempo de prazer e satisfação em sua vida a dois!

O treinamento pode, se você quiser, ser incrementado com outros exercícios e pelo colar tailandês, desenvolvido especialmente para tornar mais fácil o fortalecimento muscular vaginal e diminuir consideravelmente o tempo de treinamento.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Verá com melhor nitidez esse site, com os navegadores Mozilla Firefox ou Google Chrome.

Obrigada, pela visita. Beijos de luz violeta na alma.

Tempo real da Terra e da Lua