20/12/2010

Os espelhos místicos da monja Hildegarda

Sem nada de lendária, bem enraizada na história, foi em vez disso a mística figura da monja Hildegarda, nascida no ano da primeira cruzada (1098) que se tornou em uma pregadora aclamada em Trier, Mogúncia, Colônia e muitas outras cidades da Alemanha, cujo gênio se expressou não apenas na poética com­plexidade das suas profecias, mas também na música sacra, na prática herbalista c no estudo da natureza. Tem-se a medida de sua fama pelo tom com que o abade de Brauweiler, uma das mais célebres comunidades monásticas da Europa, escreve-lhe suplicando-lhe para "indicar por carta o que Deus poderá inspirar-te ou revelar-te a este propósito [um exorcismo contra um demônio de excepcional poder] mediante uma visão".

E sua vida foi, com efeito, uma inexaurível sucessão de visões, que inspiraram a escritura do Scivias (imperativo que soa Conhece os caminhos [da fé]) e de dois outros livros, Dos méritos divinos e Das obras da vida, obras-primas iniciáticas desti­nadas a provocar diversas disputas teológicas, recebendo por fim a aprovação do papa com o aval de são Bernardo. O grande místico de Claraval lhe havia capta­do o significado profundo, esplendidamente passado através de uma simbologia redundante de preciosas imagens, Como estas que se seguem:

Vi uma figura cujo rosto e pés reluziam com tal esplendor que meus olhos foram cegados. Sobre o traje de seda branca trazia um manto verde magnificamente ornado de gemas. Das orelhas pendiam jóias, tinha braceletes e adereços de ouro fino cravejados de pedras...

Além da interpretação, que indica com tanto brilho a sabedoria preeminente da beatitude divina, este retrato sobrenatural mostra uma magnificência visível que se impõe também pelas qualidades literárias. Assim prossegue a visão:

Vi uma segunda figura. [...] Tinha no lugar da cabeça um esplendor deslumbran­te e no centro do ventre uma cabeça de homem barbudo, de cabelos grisalhos e garras de leão nos pés. Era sustentada por seis asas vertiginosas; duas partiam para trás e subiam acima do esplendor, duas baixavam sobre a nuca, duas desciam pelos quadris até os calcanhares. Se elevavam e distendiam como para alçar vôo. Seu corpo não era coberto de penas, mas de escamas, como um peixe. As asas eram adornadas de espelhos...

Esses espelhos traziam inscrições de significado esotérico cristão, como “caminho e verdade” e “porta de todos os arcanos de Deus”. É a própria Hildegarda que insere em seu texto chaves de interpretação. Os espelhos indicam "os cinco luminares de diferentes épocas: Abel, Noé, Abraão, Moisés e, por fim, o Filho de Deus". Seguem-se explicações complexas sobre a figura coberta de escamas e outros detalhes deste cintilante afresco, que parece querer levar às últimas conse­qüências os horrores e as maravilhas da revelação apocalíptica.

Sobre o fim dos tempos, a vidente de Bingen fornece uma indicação que, lida hoje em dia, evoca medos sinistros, ligados substancialmente ao cenário delinea­do por Malaquias sobre o crepúsculo do papado. Deixou de fato escrito que o Anticristo chegaria a trazer a rebelião e a morte entre os povos "quando sobre o trono de Pedro sentar-se um papa que terá adotado os nomes de dois apósto­los de Jesus”.

Se assim fosse, deveria tratar-se entre nós do breve pontificado de João Paulo I, no ano de 1978.

O extermínio dos "perfeitos"

Além de difundir-se no imaginário apocalíptico, Hildegarda ancorou boa parte das suas profecias ao próprio tempo. Volta a aparecer nesses oráculos a curto prazo a premonição sobre a ascensão na Europa da heresia cátara, que com efeito atingiu sua expansão máxima nos anos imediatamente seguintes a sua morte, ocorrida em 1179.

Aos seguidores desta doutrina de origem maniqueísta, que pregava um radi­cal dualismo entre o reino de Deus e o do demônio, considerado o único prínci­pe do mundo terreno, Hildegarda atribui "pensamentos de escorpião e ações de serpente", anunciando nestes termos a vinda:

Virá um povo seduzido pelo Diabo e por este mandado à terra, com rosto páli­do e postura de grande santidade. [...] Vestirá mantos ordinários de cores desbota­das, com tonsura austera e aparência de serena tranqüilidade. [...] Não manipulará dinheiro e praticará uma tal abstinência que será difícil encontrar nesse povo qual­quer defeito. O diabo estará com eles...

A vidente rechaça assim como hipócrita a propalada austeridade dos cátaros, chamados também albigenses pela sua forte concentração na cidade de Albi, no Languedoc. E, com efeito, eles eram notórios pelo seu desprezo pela vida, da qual se libertavam deixando-se morrer de inanição, Tratava-se efetivamente de um suicídio, que assinalava o coroamento de um rito regenerador, chamado endura.

Esta religião de teor marcadamente místico era administrada por sacerdotes denominados perfeitos pelo rigor da sua existência, que os tornava emaciados e hieráticos.

A profecia de Hildegarda teve imediata confirmação na história. Os cátaros conquistaram enorme poder na França meridional, exportando sua doutrina para muitos outros estados da Europa, sendo por fim exterminados durante uma cruzada feroz pregada contra eles pelo papa Inocêncio III em 1208, que se estendeu num crescendo até 1243, ano da tomada de Montségur, seu último refúgio.

A vidente, que certamente contribuiu com sua profecia para agitar os ânimos contra os cátaros, juntamente com tantos outros pregadores católicos, previu também o fim. "Os príncipes e outros personagens de grande estatura se lança­rão contra eles e os matarão como lobos raivosos", lê-se na predição por ela divulgada, "onde quer que os encontrarem."

E foi o que aconteceu.

2 comentários:

  1. ...traigo
    sangre
    de
    la
    tarde
    herida
    en
    la
    mano
    y
    una
    vela
    de
    mi
    corazón
    para
    invitarte
    y
    darte
    este
    alma
    que
    viene
    para
    compartir
    contigo
    tu
    bello
    blog
    con
    un
    ramillete
    de
    oro
    y
    claveles
    dentro...


    desde mis
    HORAS ROTAS
    Y AULA DE PAZ


    COMPARTIENDO ILUSION
    BRUXA REVOLUCIONARIA

    CON saludos de la luna al
    reflejarse en el mar de la
    poesía...


    AFECTUOSAMENTE : OS DESEO UNAS FIESTAS ENTRAÑABLES 2010- Y FELIZ AÑO 2011 CON TODO MI CORAZON….


    ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE ACEBO CUMBRES BORRASCOSAS, ENEMIGO A LAS PUERTAS, CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER Y CHOCOLATE.

    José
    Ramón...

    ResponderExcluir
  2. Ola Brixta

    Adorei seu blog, meus parabens... nem sei como vim parar aki mas nada eh por caso ;)
    Blessed Be

    ResponderExcluir

Verá com melhor nitidez esse site, com os navegadores Mozilla Firefox ou Google Chrome.

Obrigada, pela visita. Beijos de luz violeta na alma.

Tempo real da Terra e da Lua