27/06/2010

Energias das pedras

Energizando as pedras

Antes de usá-las em magia, as pedras precisam ser "carregadas" ou "programadas" com energia. Isso é feito simplesmente segurando-a na mão emissora (geralmente a direita, ou a esquerda para canhotos), visualizando sua necessidade mágica e vertendo energia de seu corpo para a pedra.
Esta energia é poder pessoal. Reside em todos nós e pode ser transferida de nossos corpos para as pedras, velas, metais e outros objetos, a fim de nos auxiliar a alcançar nossos objetivos mágicos. A transferência desta, ou de outras formas de energia natural, é o cerne da magia.
Veja o poder fluindo para fora de seu corpo, por sua mão emissora e para o interior da pedra. Carregue-a com a energia de sua necessidade mágica - amor, dinheiro, poder, saúde.
Quando sentir que a pedra está vibrando com seu poder pessoal, a carga está completa. Esse processo simples, efetuado antes de cada ritual, intensificará bastante os efeitos de sua magia com pedras.

Energias das pedras

Uma espantosa variedade de pedras nos aguarda para ser usada em magia. Existem em formas infinitas, com aparência cristalina e até coloridas. Seus usos em magia são incrivelmente variados.
Como mencionei no Capítulo 1, as pedras são depósitos de energia e nós as utilizamos na magia para efetuar transformações.
Existem dois tipos básicos de energias dentro das pedras e eles contêm todas as várias vibrações delas: as que atraem o amor, repelem a negatividade e assim por diante. São as energias emissoras e receptoras. São manifestações das formas mais puras de energias universais que criaram tudo o que existe. Possuem vários símbolos. Na religião, são conhecidas como Deus e Deusa. Em astronomia, o Sol e a Lua. Nos seres humanos, masculino e feminino. Eis mais algumas associações:
EMISSORAS
elétrica
quente
dia
físico
brilhante
verão
faca
ativo
RECEPTORAS
magnetita
fria
noite
espiritual
escuro
inverno
taça
inerte

Esses poderes se encontram por toda a parte no universo. Estão presentes em nós mesmos e no planeta. Segundo o pensamento mágico, encontram-se dentro de nossos corpos. Falando simbolicamente, é por isso que podemos ter filhos de um sexo ou de outro e praticar todas as formas de magia.
As energias receptoras e emissoras estão ambas dentro de nós. Essas forças nada têm a ver com nosso sexo físico. Ou melhor, não deveriam, mas já que somos treinados desde o nascimento para acentuar a energia que combina com o nosso gênero físico, os desequilíbrios são bastante comuns.
Os meninos são vestidos de azul, ensinados a jogar basquete, a usar calças etc. Embora hoje em dia isso esteja mudando, esse ainda é o normal.
Um dos objetivos do mago é alcançar o equilíbrio perfeito dessas duas forças gêmeas. Quando se tornam desequilibradas, quando uma energia é mais abundante ou acentuada do que a outra, o mago também fica assim.
Uma presença excessiva de energia emissora torna o mago irritável, agressivo, zangado e demasiado analítico. Com relação à saúde, esse desequilíbrio pode levar a úlceras, dores de cabeça, pressão alta e outros males.
Excesso de energia receptora provoca melancolia, letargia, depressão, desinteresse e isolamento do mundo físico. Outros possíveis problemas são pesadelos, dependência afetiva, desemprego, queda das defesas imunológicas e hipocondria.
Se e quando notar um desequilíbrio de sua energia, use pedras do tipo oposto para ativar essa força (veja Parte IV para uma lista dessas pedras).
Voltemos às pedras. As pedras emissoras são as brilhantes, extrovertidas, agressivas e elétricas. Possuem energias fortes e dominantes que repelem o mal, vencem a inércia e criam movimento.
As pedras emissoras ajudam a acabar com a doença, reforçam a mente consciente e preenchem o portador com coragem e determinação. São usadas para promover energia física, atrair a sorte e o sucesso. Na magia, podem ser usadas para acrescentar mais força ao ritual.
Essas rochas e minerais são usados de duas formas principais:
Para expulsar energias negativas e não desejadas ou introduzir energias num objeto ou pessoa. Uma mulher que use uma cornalina para ter coragem, por exemplo, absorve essas energias. A mesma mulher, desejando repelir a negatividade presente em seu corpo, capacitaria a
pedra, pela visualização, para esse fim. Assim, em vez de introduzir energia
na mulher, a pedra a levaria para longe. Claro que o segredo é a visualização.
As pedras emissoras contatam a mente consciente. Geralmente são densas ou pesadas, às vezes opacas, e podem ser vermelhas, laranja, amarelas, douradas ou transparentes. Também podem brilhar ou cintilar como o Sol. Exemplos de pedras e minerais emissores incluem o rubi, o
diamante, a lava, o topázio e a rodocrosita.
As pedras emissoras estão associadas ao Sol, Mercúrio, Marte, Urano e aos elementos Fogo e Ar.
Também se relacionam às estrelas, já que estas são apenas sóis distantes.
As pedras receptoras são o complemento natural das emissoras. São reconfortantes, calmantes, introvertidas e magnéticas, promovendo a meditação, a espiritualidade, a sabedoria e o misticismo. Criam a paz.
Essas pedras promovem a comunicação entre o consciente e o inconsciente, fazendo brotar a sensitividade. Irradiam energias que atraem o amor, o dinheiro, a cura e a amizade. As pedras receptoras são bastante usadas para centramento, para estabilizar e reforçar a ligação com a Terra.
Como as pedras emissoras, as receptivas também são usadas de duas maneiras principais: o lápis-lazúli é usado para atrair o amor e, energizada diversamente, será capaz de absorver a depressão e criar a alegria.
As pedras receptoras são encontradas numa grande variedade de cores - verde, azul, verde-azulado, violeta, cinza, prateado, cor-de-rosa, preto (ausência de cor) e branco (todas as cores combinadas). Também podem ser opalescentes ou translúcidas, e terem um orifício natural.
Exemplos de pedras receptoras incluem a pedra-da-lua, água marinha, esmeralda, olho-de-boi, quartzo rosa, turmalina rosa, kunzita, lápis-lazúli e sugilita. São ligadas à Lua, Vênus, Saturno, Netuno, Júpiter e aos elementos Terra e Água.
Nem todas as pedras se encaixam facilmente numa dessas categorias, mas é um bom sistema para nos ajudar a relacionar as pedras com seus poderes básicos. Algumas contêm uma mistura dessas energias, como o lápis-lazúli. Outras possuem usos que não correspondem a essa classificação simples, logo aplique seu julgamento para determinar os poderes principais.
Lembre-se: este é um sistema para ser usado em seu benefício e não pode estar certo o tempo todo.
Só de olhar para uma pedra desconhecida, notando seu peso e cor, você será capaz de saber alguma coisa sobre suas propriedades mágicas antes mesmo de tentar senti-las.
Da próxima vez que vir uma pedra - em qualquer lugar -, tente determinar se ela é emissora ou receptora. Se isso se tornar um processo automático, adquirirá rapidamente o conhecimento das pedras e, assim, a magia com elas se tornará mais fácil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Verá com melhor nitidez esse site, com os navegadores Mozilla Firefox ou Google Chrome.

Obrigada, pela visita. Beijos de luz violeta na alma.

Tempo real da Terra e da Lua