25/07/2007

A Grande Mãe em mim habita.


A Grande Mãe em mim habita

E a vida cresce ao meu redor

As flores se abrem, os frutos amadurecem

Eu sou o centro do universo

Eu sou o poder que jamais enfraquece.

Eu sou a feiticeira antiga perseguida

A mulher das ervas, da lua, da dança

Eu sou a mulher temida na rua

A anciã, a jovem, a eterna criança.

Renasci de minhas cinzas

O corpo é frágil, a alma não.

Sou mulher guerreira, mulher de escolhas

O destino está na palma da minha mão.

Desertos solitários e quentes, noites escuras, vendavais...

Não perco minhas diretrizes

Ou viemos da guerra morta de baixo de nossos punhais

Ou mais fortes em cima de nossas cicatrizes.

A Grande Mãe em mim habita

E todo amor hei de passar.

Não temerei, nem duvidarei

Hei de plantar e colher e amar.

E assim viverei meus dias

Sempre a vida celebrar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Verá com melhor nitidez esse site, com os navegadores Mozilla Firefox ou Google Chrome.

Obrigada, pela visita. Beijos de luz violeta na alma.

Tempo real da Terra e da Lua